Lisaac

Sementes da Palavra, É tempo de semear

Arquivo por mês: setembro 2019

set 30

EDITORIAL DA SEMANA: CRENÇAS E PENSAMENTOS LIMITANTES

PENSAMENTOS LIMITANTES

CRENÇAS E PENSAMENTOS LIMITANTES: É PRECISO ABANDONÁ-LOS, PARA PODER AVANÇAR –

*Por Luiz Antonio de Moura –

Não é segredo para ninguém, e nem deve assustar a ninguém, a constatação de que nós, seres humanos, estamos encurralados no avançar da civilização. Chegamos até aqui, porém, não estamos agindo com a sabedoria e com a perspicácia necessárias para continuarmos avançando no processo cognitivo, que poderia nos transformar em pessoas mais dignas, superiores e cada vez melhores.

O mundo atual, com todas as estruturas dominantes, e cada vez mais ortodoxas, tem nos levado, não apenas ao isolamento individual, mas, e, sobretudo, ao isolamento coletivo. Cada vez mais somos empurrados para guetos religiosos, políticos, filosóficos, ideológicos, todos, fundados em crenças, em pensamentos, em convicções e em “certezas”, que só fazem limitar a nossa capacidade de avançar na compreensão do homem, enquanto espécie, e da natureza, enquanto berço e leito destinados ao acolhimento e à própria sobrevivência de todos os seres vivos.

Guiados por uma espécie de bússola construída por grupos ideológicos fortemente politizados, por sólidas instituições religiosas e acadêmicas, por pensadores que se dizem modernos, mas, que, no fundo estão atrelados à era glacial, e por um conceito de Estado cada vez mais elaborado e difundido por elites que nem sempre têm compromisso com a evolução e com o progresso de homens e de Nações, vemos muitos dos nossos contemporâneos se apequenarem, fazendo seus, crenças e pensamentos estanques, que defendem com unhas e dentes, ou seja, a tudo aceitam como verdade absoluta, em nada oferecendo resistência ou contestação impossibilitando, assim, a caminhada investigativa, que é o nascedouro do conhecimento na forma mais pura e mais genuína.

Muitos homens e mulheres deste nosso tempo têm se deixado levar por estes, que podemos denominar como “pensamentos e crenças limitantes”, simplesmente, abandonando a capacidade de crescimento intelectual e de, o que é mais importante, servirem de exemplo e de incentivo para as gerações que vêm logo atrás. Acreditam, muitos destes homens e muitas destas mulheres, já serem detentores de todo o conhecimento necessário, seja em que aspecto for, e que, portanto, agora, é só se trancarem nos seus guetos individuais e egoístas, blindando suas mentes e seus corações contra forasteiros, para assegurarem todo o bem de que necessitam.

A partir destas convicções e certezas, que adotam como verdades absolutas, isolam-se do mundo, e no mundo, e, simplesmente, param de evoluir, vivendo apenas de resquícios de um passado que vai ficando cada vez mais distante; de frases construídas há tempos; e das famosas “opiniões formadas sobre tudo”, como apregoa o cancioneiro popular. Este tipo de pessoa, cujas características são encontradas em todos os estratos sociais, terminam por venderem “verdades” e conhecimentos que só cabem nas próprias cabeças, haja vista não resistirem mais, a nenhuma investigação mais detalhada e aprofundada.

São, portanto, os pensamentos e as crenças limitantes, que estão impedindo os homens e as mulheres deste nosso tempo de trevas e de obscurantismo intelectual, os responsáveis pelo embotamento da raça humana, posto que, quem assim não se adequa e aceita viver, passa a ser objeto de exclusão e, com bastante frequência, de perseguição mesmo.

Assim, temos visto, e de certa forma enfrentado, situações das mais grotescas, considerado todo o progresso que a humanidade experimentou nos dois últimos séculos e, particularmente, nas últimas cinco ou seis décadas. Todo o avanço da ciência e da tecnologia não tem encontrado paralelo no avanço cognitivo de boa parte da humanidade que, sem saber muito o bem o que fazer, prefere andar em bandos, em busca de gurus, de mestres, de líderes religiosos, de profetas do apocalipse, de guias espirituais e de todo tipo de condutores, destes cujos livros estão apinhados nas livrarias, físicas ou virtuais, espalhadas pelo mundo afora.

Os seres humanos deste tempo, ao invés de buscarem dentro de si mesmos a luz, as respostas e as soluções para seus inúmeros conflitos, assim como para os da própria espécie, preferem dar ouvidos aos pregadores separatistas, que trabalham a soldo de suas escolas políticas e filosóficas, de suas seitas e religiões e afirmam conhecer perfeitamente, tanto o verdadeiro caminho, quanto o caminho da verdade. E, sem se darem ao trabalho de estudar, de pesquisar e de investigar todas as informações que recebem, as massas assimilam tudo aquilo que ouvem e saem divulgando por todos os meios possíveis e imagináveis e, o pior, alimentando conflitos uns com os outros, em razão dos guias e condutores aos quais servem, e seguem, a pretexto de professarem esta ou aquela ideologia, ou mesmo convicção filosófico-religiosa.

Ora, há milhares de anos os homens daqueles tempos remotos faziam a mesma coisa: ouviam longos discursos, formavam filas para serem abençoados por seus gurus e mestres, cultuavam deuses, apresentavam oferendas e ofereciam sacrifícios e, do mesmo modo que hoje, combatiam uns aos outros, em nome da crença e das ideias predominantes. Mas eles ainda tinham muito a avançar!

E hoje, o que temos, o que vemos? Temos pessoas que estão abrindo mão do direito de pensar. Vemos pessoas vendendo pensamentos, por meio de livros e de palestras, e enriquecendo às custas de verdadeiras massas humanas que, ao final de tudo, andam por aí dando prestígio, fama e dinheiro para os grandes, não sábios, mas, sabichões, mestres e acumuladores de fortunas.

É preciso que os homens e que as mulheres deste nosso tempo usem o cérebro, a mente e a consciência para descobrirem novas e promissoras formas de vida, aqui mesmo, neste Planeta maravilhoso, chamado Terra. Já passa da hora de buscarem dentro de si mesmos, a luz que já brilha em abundância, e deixarem de andar iluminados por fagulhas que escapam daqueles que sabem negociar, no mercado humano, o fruto das suas baterias internas.

É preciso abandonar as crenças e os pensamentos limitantes e, até certo ponto, alienantes, para que se possa retomar o caminho da evolução cognitiva, para o qual fomos criados e do qual estamos desviados, saindo do nosso isolamento e dos guetos nos quais fizemos nossa morada, onde já habitamos por muitas e muitas gerações.

Não podemos continuar sendo deste ou daquele País, desta ou daquela religião, defensores desta ou daquela linha de pensamento. Somos todos de uma mesma e única espécie: a humana. Precisamos abandonar todas as divisões e formas de separatismos, pois, é de onde vêm os conflitos, os embates e as guerras. Precisamos refletir juntos e, juntos, buscarmos o “ser humano renovado” que habita nas cavernas internas que trazemos em cada um de nós, desde sempre. Reflita, pesquise, investigue sobre tudo isto e, fundamentalmente, rejeite conclusões, porque elas significam o fim da linha. Quando concluímos alguma coisa, importa dizer, chegamos ao final daquela jornada, e a nossa jornada jamais tem um fim. Somos, apenas, substituídos pelos que vão chegando pouco a pouco durante, ou mesmo após, a nossa partida.

Porém, não abra mão do direito de ter seus próprios pensamentos e seu próprio conhecimento, frutos da sua vivência, da sua convivência, das suas pesquisas e das suas investigações. Pare de andar sob a tutela de mestres, de gurus e de condutores de ocasião, que vendem livros igual água e se dizem conhecedores do verdadeiro caminho para a felicidade. Não acredite nisto, nem gaste o seu precioso dinheiro.

Seja senhor, senhora, do seu próprio destino e comece por questionar tudo o que está por trás de todos os discursos que ouve; das pregações, dos “ensinamentos” e dos pseudoconhecimentos que são passados por aqueles que, no dia-a-dia, revelam não saberem viver, e não vivem, o que ensinam nem o que pregam dos púlpitos e das bancadas. Passe a refletir sobre todas as coisas, antes de formar o seu próprio pensamento e a sua convicção cronológica. Assim, você estará caminhando, evoluindo, construindo, renovando e servindo de exemplo paras as novas gerações que estão aí e para as que já estão a caminho.

Reflita e investigue sobre o papel que você tem desempenhado: se tem sido o de pensador, de investigador, de pesquisador, de inovador, de construtor, ou, simples e confortavelmente, o de seguidor de líderes nos quais prefere acreditar cegamente, só porque reproduzem, eles também, livros e palavras antigas, frutos do pensamento e da investigação daqueles que, no seu devido tempo, foram mais eficientes do que nós, na arte de pensar. Se acredita que só eles eram bons, você também é vítima das crenças e dos pensamentos limitantes que, iguais ao prego, estão te fixando na madeira dura do tempo e da história, impedindo que explore todo o seu verdadeiro potencial, deixando de colaborar com o projeto expansionista da vida, seja do ponto de vista da Evolução, ou mesmo da Criação. Fuja deste cenário, enquanto é tempo. Seja feliz, e boa sorte!

_______________________________________________

*Luiz Antonio de Moura é um pensador espiritualista, um caminhante e um cultor do silêncio.

set 30

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS SUGERIDAS PARA HOJE

BÍBLIA - ANTIGO TESTAMENTO

26ª SEMANA DO TEMPO COMUM – SEGUNDA-FEIRA – 30/09/2019 –

3Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que do alto do céu nos abençoou com toda a bênção espiritual em Cristo,4e nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis, diante de seus olhos.5No seu amor nos predestinou para sermos adotados como filhos seus por Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua livre vontade,6para fazer resplandecer a sua maravilhosa graça, que nos foi concedida por ele no Bem-amado.  7Nesse Filho, pelo seu sangue, temos a Redenção, a remissão dos pecados, segundo as riquezas da sua graça8que derramou profusamente sobre nós, em torrentes de sabedoria e de prudência.” (Ef 1, 3-8)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA PROFECIA DE ZACARIAS – (Zc 8,1-8) –

1A palavra do Senhor dos exércitos foi manifestada nos seguintes termos: 2“Isto diz o Senhor dos exércitos: tomei-me de forte ciúme por Sião, consumo-me de zelo ciumento por ela. 3Isto diz o Senhor: voltei a Sião e habitarei no meio de Jerusalém; Jerusalém será chamada Cidade Fiel, e o monte do Senhor dos exércitos, Monte Santo. 4Isto diz o Senhor dos exércitos: velhos e velhas ainda se sentarão nas praças de Jerusalém, cada qual com seu bastão na mão devido à idade avançada; 5as praças da cidade se encherão de meninos e meninas a brincar em suas praças. 6Isto diz o Senhor dos exércitos: se tais cenas parecerem difíceis aos olhos do resto do povo, naqueles dias, acaso serão também difíceis aos meus olhos? – diz o Senhor dos exércitos. 7Isto diz o Senhor dos exércitos: eis que eu vou salvar o meu povo da terra do oriente e da terra do pôr do sol; 8eu os conduzirei, e eles habitarão no meio de Jerusalém; serão meu povo e eu serei seu Deus, em verdade e com justiça”.           

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Lc 9,46-50

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 46houve entre os discípulos uma discussão para saber qual deles seria o maior. 47Jesus sabia o que estavam pensando. Pegou então uma criança, colocou-a junto de si 48e disse-lhes: “Quem receber esta criança em meu nome estará recebendo a mim. E quem me receber estará recebendo aquele que me enviou. Pois aquele que entre todos vós for o menor, esse é o maior”. 49João disse a Jesus: “Mestre, vimos um homem que expulsa demônios em teu nome. Mas nós lho proibimos, porque não anda conosco”. 50Jesus disse-lhe: “Não o proibais, pois quem não está contra vós está a vosso favor”.                

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

set 29

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS SUGERIDAS PARA HOJE

BÍBLIA - CONJUNTO DE NARRATIVAS

26º DOMINGO DO TEMPO COMUM – SENHOR, TUDO O QUE FIZESTES CONOSCO COM RAZÃO O FIZESTES, POIS PECAMOS CONTRA VÓS E NÃO OBEDECEMOS AOS VOSSOS MANDAMENTOS. MAS HONRAI O VOSSO NOME, TRATANDO-NOS SEGUNDO VOSSA MISERICÓRDIA. – 29/09/2019

3Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que do alto do céu nos abençoou com toda a bênção espiritual em Cristo,4e nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis, diante de seus olhos.5No seu amor nos predestinou para sermos adotados como filhos seus por Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua livre vontade,6para fazer resplandecer a sua maravilhosa graça, que nos foi concedida por ele no Bem-amado.7Nesse Filho, pelo seu sangue, temos a Redenção, a remissão dos pecados, segundo as riquezas da sua graça8que derramou profusamente sobre nós, em torrentes de sabedoria e de prudência.” (Ef 1, 3-8)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DO LIVRO DO PROFETA AMÓS – (Am 6,1.4-7) –

Assim diz o Senhor todo-poderoso: 1“Ai dos que vivem despreocupadamente em Sião, os que se sentem seguros nas alturas de Samaria! 4Os que dormem em camas de marfim, deitam-se em almofadas, comendo cordeiros do rebanho e novilhos do seu gado; 5os que cantam ao som das harpas ou, como Davi, dedilham instrumentos musicais; 6os que bebem vinho em taças e se perfumam com os mais finos unguentos, e não se preocupam com a ruína de José. 7Por isso, eles irão agora para o desterro, na primeira fila, e o bando dos gozadores será desfeito”.  

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

SALMO RESPONSORIAL: Sl 145(146)

R.Bendize, minha alma, e louva ao Senhor!

1. O Senhor é fiel para sempre, / faz justiça aos que são oprimidos; / ele dá alimento aos famintos, / é o Senhor quem liberta os cativos. 

R.Bendize, minha alma, e louva ao Senhor!

2. O Senhor abre os olhos aos cegos, / o Senhor faz erguer-se o caído; / o Senhor ama aquele que é justo. / É o Senhor quem protege o estrangeiro. 

R.Bendize, minha alma, e louva ao Senhor!

3. Ele ampara a viúva e o órfão, / mas confunde os caminhos dos maus. / O Senhor reinará para sempre! Ó Sião, o teu Deus reinará / para sempre e por todos os séculos! 

R.Bendize, minha alma, e louva ao Senhor!

SEGUNDA LEITURA:

LEITURA DA PRIMEIRA CARTA DE SÃO PAULO A TIMÓTEO – (1Tm 6,11-16)

11Tu que és um homem de Deus, foge das coisas perversas, procura a justiça, a piedade, a fé, o amor, a firmeza, a mansidão. 12Combate o bom combate da fé, conquista a vida eterna, para a qual foste chamado e pela qual fizeste tua nobre profissão de fé diante de muitas testemunhas. 13Diante de Deus, que dá a vida a todas as coisas, e de Cristo Jesus, que deu o bom testemunho da verdade perante Pôncio Pilatos, eu te ordeno: 14guarda o teu mandato íntegro e sem mancha até a manifestação gloriosa de nosso Senhor Jesus Cristo. 15Esta manifestação será feita no tempo oportuno pelo bendito e único soberano, o Rei dos reis e Senhor dos senhores, 16o único que possui a imortalidade e que habita numa luz inacessível, que nenhum homem viu nem pode ver. A ele, honra e poder eterno. Amém. 

 – Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

EVANGELHO: Lc 16,19-31

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, Jesus disse aos fariseus: 19“Havia um homem rico que se vestia com roupas finas e elegantes e fazia festas esplêndidas todos os dias. 20Um pobre, chamado Lázaro, cheio de feridas, estava no chão à porta do rico. 21Ele queria matar a fome com as sobras que caíam da mesa do rico. E, além disso, vinham os cachorros lamber suas feridas. 22Quando o pobre morreu, os anjos levaram-no para junto de Abraão. Morreu também o rico e foi enterrado. 23Na região dos mortos, no meio dos tormentos, o rico levantou os olhos e viu de longe a Abraão, com Lázaro ao seu lado. 24Então gritou: ‘Pai Abraão, tem piedade de mim! Manda Lázaro molhar a ponta do dedo para me refrescar a língua, porque sofro muito nestas chamas’. 25Mas Abraão respondeu: ‘Filho, lembra-te que tu recebeste teus bens durante a vida e Lázaro, por sua vez, os males. Agora, porém, ele encontra aqui consolo e tu és atormentado. 26E, além disso, há um grande abismo entre nós: por mais que alguém desejasse, não poderia passar daqui para junto de vós, e nem os daí poderiam atravessar até nós’. 27O rico insistiu: ‘Pai, eu te suplico, manda Lázaro à casa do meu pai, 28porque eu tenho cinco irmãos. Manda preveni-los, para que não venham também eles para este lugar de tormento’. 29Mas Abraão respondeu: ‘Eles têm Moisés e os profetas, que os escutem!’ 30O rico insistiu: ‘Não, pai Abraão, mas se um dos mortos for até eles, certamente vão se converter’. 31Mas Abraão lhe disse: ‘Se não escutam a Moisés nem aos profetas, eles não acreditarão, mesmo que alguém ressuscite dos mortos’”. 

 – Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:  https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/    

set 28

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS SUGERIDAS PARA HOJE

BÍBLIA - 2016

25ª SEMANA DO TEMPO COMUM – SÁBADO – 28/09/2019 –

3Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que do alto do céu nos abençoou com toda a bênção espiritual em Cristo,4e nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis, diante de seus olhos.5No seu amor nos predestinou para sermos adotados como filhos seus por Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua livre vontade,6para fazer resplandecer a sua maravilhosa graça, que nos foi concedida por ele no Bem-amado.  7Nesse Filho, pelo seu sangue, temos a Redenção, a remissão dos pecados, segundo as riquezas da sua graça8que derramou profusamente sobre nós, em torrentes de sabedoria e de prudência.” (Ef 1, 3-8)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA PROFECIA DE ZACARIAS – (Zc 2,5-9.14-15) –

5Levantei os olhos e eis que vi um homem com um cordel de medir na mão. 6Perguntei-lhe: “Aonde vais?” Respondeu-me: “Vou medir Jerusalém, para ver qual é a sua largura e o seu comprimento”. 7Eis que apareceu o anjo que falava em mim, enquanto lhe vinha ao encontro um outro anjo, 8que lhe disse: “Corre a falar com esse moço, dizendo: a população de Jerusalém precisa ficar sem muralha, em vista da multidão de homens e animais que vivem no seu interior. 9Eu serei para ela, diz o Senhor, muralha de fogo ao seu redor e mostrarei minha glória no meio dela. 14Rejubila, alegra-te, cidade de Sião, eis que venho para habitar no meio de ti, diz o Senhor. 15Muitas nações se aproximarão do Senhor, naquele dia, e serão o seu povo. Habitarei no meio de ti”.          

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Lc 9,43-45

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 43todos estavam admirados com todas as coisas que Jesus fazia. Então Jesus disse a seus discípulos: 44“Prestai bem atenção às palavras que vou dizer: o Filho do homem vai ser entregue nas mãos dos homens”. 45Mas os discípulos não compreendiam o que Jesus dizia. O sentido lhes ficava escondido, de modo que não podiam entender; e eles tinham medo de fazer perguntas sobre o assunto.                

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

set 27

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS SUGERIDAS PARA HOJE

BÍBLIA - 2016

25ª SEMANA DO TEMPO COMUM – SEXTA-FEIRA – 27/09/2019 –

3Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que do alto do céu nos abençoou com toda a bênção espiritual em Cristo,4e nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis, diante de seus olhos.5No seu amor nos predestinou para sermos adotados como filhos seus por Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua livre vontade,6para fazer resplandecer a sua maravilhosa graça, que nos foi concedida por ele no Bem-amado.  7Nesse Filho, pelo seu sangue, temos a Redenção, a remissão dos pecados, segundo as riquezas da sua graça8que derramou profusamente sobre nós, em torrentes de sabedoria e de prudência.” (Ef 1, 3-8)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA PROFECIA DE AGEU – (Ag 1,15-2,9) –

15No segundo ano do reinado de Dario, 2,1no dia vinte e um do sétimo mês, fez-se ouvir a palavra do Senhor mediante o profeta Ageu: 2“Vai dizer a Zorobabel, filho de Salatiel, governador de Judá, e a Josué, filho de Josedec, sumo sacerdote, e ao resto do povo: 3Há dentre vós algum sobrevivente que tenha visto esta casa em seu primitivo esplendor? E como a vedes agora? Não parece aos vossos olhos uma sombra do que era? 4Mas agora toma coragem, Zorobabel, diz o Senhor, coragem, Josué, filho de Josedec, sumo sacerdote; coragem, povo todo desta terra, diz o Senhor dos exércitos; ponde mãos à obra, pois eu estou convosco, diz o Senhor dos exércitos. 5Eu assumi um compromisso convosco quando saístes do Egito, e meu espírito permaneceu no meio de vós: não temais. 6Isto diz o Senhor dos exércitos: ainda um momento, e eu hei de mover o céu e a terra, o mar e a terra firme. 7Sacudirei todos os povos, e começarão a chegar tesouros de todas as nações, hei de encher de esplendor esta casa, diz o Senhor dos exércitos. 8Pertence-me a prata, pertence-me o ouro, diz o Senhor dos exércitos. 9O esplendor desta nova casa será maior que o da primeira, diz o Senhor dos exércitos; e neste lugar estabelecerei a paz, diz o Senhor dos exércitos”.          

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Lc 9,18-22

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Aconteceu que Jesus 18estava rezando num lugar retirado e os discípulos estavam com ele. Então, Jesus perguntou-lhes: “Quem diz o povo que eu sou?” 19Eles responderam: “Uns dizem que és João Batista; outros, que és Elias; mas outros acham que és algum dos antigos profetas que ressuscitou”. 20Mas Jesus perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?” Pedro respondeu: “O Cristo de Deus”. 21Mas Jesus proibiu-lhes severamente que contassem isso a alguém. 22E acrescentou: “O Filho do homem deve sofrer muito, ser rejeitado pelos anciãos, pelos sumos sacerdotes e doutores da lei, deve ser morto e ressuscitar no terceiro dia”.                

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

set 26

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS SUGERIDAS PARA HOJE

BÍBLIA - 2016

25ª SEMANA DO TEMPO COMUM – QUINTA-FEIRA – 26/09/2019 –

3Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que do alto do céu nos abençoou com toda a bênção espiritual em Cristo,4e nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis, diante de seus olhos.5No seu amor nos predestinou para sermos adotados como filhos seus por Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua livre vontade,6para fazer resplandecer a sua maravilhosa graça, que nos foi concedida por ele no Bem-amado.  7Nesse Filho, pelo seu sangue, temos a Redenção, a remissão dos pecados, segundo as riquezas da sua graça8que derramou profusamente sobre nós, em torrentes de sabedoria e de prudência.” (Ef 1, 3-8)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA PROFECIA DE AGEU – (Ag 1,1-8) –

1No segundo ano do reinado de Dario, no sexto mês, no primeiro dia, foi dirigida a palavra do Senhor, mediante o profeta Ageu, a Zorobabel, filho de Salatiel, governador de Judá, e a Josué, filho de Josedec, sumo sacerdote: 2“Isto diz o Senhor dos exércitos: Este povo diz: ‘Ainda não chegou o momento de edificar a casa do Senhor’”. 3A palavra do Senhor foi assim dirigida, por intermédio do profeta Ageu: 4“Acaso para vós é tempo de morardes em casas revestidas de lambris, enquanto esta casa está em ruínas? 5Isto diz agora o Senhor dos exércitos: Considerai, com todo o coração, a conjuntura que estais passando: 6tendes semeado muito e colhido pouco; tendes-vos alimentado e não vos sentis satisfeitos, bebeis e não vos embriagais; estais vestidos e não vos aqueceis; quem trabalha por salário guarda-o em saco roto. 7Isto diz o Senhor dos exércitos: Considerai, com todo o coração, a difícil conjuntura que estais passando: 8mas subi ao monte, trazei madeira e edificai a casa; ela me será aceitável, nela me glorificarei, diz o Senhor”.          

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Lc 9,7-9

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 7o tetrarca Herodes ouviu falar de tudo o que estava acontecendo e ficou perplexo, porque alguns diziam que João Batista tinha ressuscitado dos mortos. 8Outros diziam que Elias tinha aparecido; outros, ainda, que um dos antigos profetas tinha ressuscitado. 9Então Herodes disse: “Eu mandei degolar João. Quem é esse homem sobre quem ouço falar essas coisas?” E procurava ver Jesus.                

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

set 25

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS SUGERIDAS PARA HOJE

BÍBLIA - 2016

25ª SEMANA DO TEMPO COMUM – QUARTA-FEIRA – 25/09/2019 –

3Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que do alto do céu nos abençoou com toda a bênção espiritual em Cristo,4e nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis, diante de seus olhos.5No seu amor nos predestinou para sermos adotados como filhos seus por Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua livre vontade,6para fazer resplandecer a sua maravilhosa graça, que nos foi concedida por ele no Bem-amado.  7Nesse Filho, pelo seu sangue, temos a Redenção, a remissão dos pecados, segundo as riquezas da sua graça8que derramou profusamente sobre nós, em torrentes de sabedoria e de prudência.” (Ef 1, 3-8)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DO LIVROS DE ESDRAS – (Es 9,5-9) –

5Na hora da oblação da tarde, eu, Esdras, levantei-me da minha prostração. E, com as vestes e o manto rasgados, caí de joelhos, estendi as mãos para o Senhor, meu Deus. 6E disse: “Meu Deus, estou coberto de vergonha e confusão ao levantar a minha face para ti, porque nossas iniquidades multiplicaram-se acima de nossas cabeças e nossas faltas se acumularam até o céu. 7Desde os tempos de nossos pais até este dia, uma grande culpa pesa sobre nós: por causa de nossas iniquidades, nós, nossos reis e nossos sacerdotes, fomos entregues às mãos dos reis estrangeiros, à espada, ao cativeiro, à pilhagem e à vergonha, como acontece ainda hoje. 8Mas agora, por um breve instante, o Senhor nosso Deus concedeu-nos a graça de preservar dentre nós um resto e de permitir que nos fixemos em seu lugar santo. Assim o nosso Deus deu brilho aos nossos olhos e concedeu-nos um pouco de vida no meio de nossa servidão. 9Pois éramos escravos, mas em nossa servidão o nosso Deus não nos abandonou. Antes, conseguiu para nós o favor dos reis da Pérsia, deu-nos bastante vida para podermos reconstruir o templo do nosso Deus e restaurar suas ruínas e concedeu-nos um abrigo seguro em Judá e em Jerusalém”.          

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Lc 9,1-6

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1Jesus convocou os doze, deu-lhes poder e autoridade sobre todos os demônios e para curar doenças 2e enviou-os a proclamar o reino de Deus e a curar os enfermos. 3E disse-lhes: “Não leveis nada para o caminho: nem cajado, nem sacola, nem pão, nem dinheiro, nem mesmo duas túnicas. 4Em qualquer casa onde entrardes, ficai aí; e daí é que partireis de novo. 5Todos aqueles que não vos acolherem, ao sairdes daquela cidade, sacudi a poeira dos vossos pés como protesto contra eles”. 6Os discípulos partiram e percorriam os povoados, anunciando a boa-nova e fazendo curas em todos os lugares.                

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

set 24

EDITORIAL DO MÊS: AO IMITAR JESUS, O PAPA FRANCISCO É EXEMPLO PARA TODOS OS CRISTÃOS

O PAPA NA ÁFRICA

OS CRISTÃOS E O PAPA FRANCISCO: RELAÇÃO A SER APRIMORADA, EXEMPLOS A SEREM SEGUIDOS –

*Por Luiz Antonio de Moura –

Lemos, nos dias atuais, toda a batalha que o Papa Francisco tem enfrentado, e muito do que ainda está para enfrentar, simplesmente, porque decidiu fazer o que a Igreja, como um todo, parece desconhecer profundamente: ser imitador de Jesus Cristo. Um Papa que se nivela aos mais pobres, aos doentes, aos humildes e humilhados, aos excluídos e discriminados, aos imigrantes, rechaçados em todas as praças do mundo, aos famintos, aos indígenas e a toda uma casta de pessoas que não se enquadram no perfil desejado pelas cabeças mais coroadas, com o ouro da exploração, de todo o Planeta.

Um Papa que, a exemplo de Jesus, a quem diz representar, quer acolher com todas as prerrogativas concedidas aos mais “santinhos” dos cristãos, todos os filhos de Deus, sem qualquer exceção, mas, que encontra em determinados grupos que se dizem “defensores da Igreja e da Tradição” forte resistência e até mesmo grande rejeição.

No tempo de Jesus, era natural que o povo agisse da forma como agiu, vendo o Mestre nazareno sendo condenado à morte, sem nada fazer, haja vista o baixíssimo grau de instrução reinante. No entanto hoje, em pleno século XXI, apesar de todas as dificuldades relacionadas com o ensino e com a educação, de um modo geral, não se pode comparar este, com aquele povo. Hoje, não dá mais para admitir que os cristãos, como um todo, e os católicos, em particular, possam ficar à distância observando a execração de um homem que, acima de tudo, repete as falas, os gestos e os comportamentos de Jesus, em defesa dos mais pobres, humildes, necessitados, excluídos e perseguidos em razão da condição de vida que têm, voluntária ou involuntariamente.

Pois é o que está acontecendo. O Papa Francisco tem promovido verdadeira devassa nas entranhas da Igreja, o que tem gerado enorme insatisfação interna e externamente. E esta insatisfação, cujas reais causas não veem a público, tem sua razão de ser na visão chamada “progressista” do Pontífice que, olhando para o Cristo, quer defender o meio ambiente e o Planeta Terra, como nave mãe de toda a Criação; quer acolher os excluídos de todas as espécies; quer receber com um caloroso abraço e com um prato de alimento, os imigrantes que, desesperados, partem de suas pátrias para não serem dizimados pela guerra, pelo terrorismo, pela doença e pela fome e procuram abrigo em diversas partes do mundo, sendo acolhidos por uns, presos, maltratados, condenados aos campos de refugiados e rechaçados por outros, como se a Terra pertencesse a uma casta específica. 

O PAPA E O POVO DE DEUS

Papa lamenta que resgatar bancos seja mais importante que salvar refugiados - FONTE: http://relances.blogspot.com/2016/11/papa-lamenta-que-resgatar-bancos-seja.html 

Este Papa, é de se perguntar, é comunista, progressista, esquerdista, terrorista ou, simplesmente, cumpre à risca o exemplo do bom samaritano, tão espetacularmente contado por Jesus? Seria o Papa o errado, ou seriam os seus detratores, que preferem acobertar todas as mazelas do mundo, colocando fogo no paiol com a singela desculpa de estarem queimando o joio para preservarem o trigo?

Quem são os cristãos? São os que dividem, excluem, matam, destroem, perseguem, ideologizam e demonizam, ou são os que deveriam imitar Jesus Cristo em tudo o que fez e ensinou?

Parece ter chegado a hora dos verdadeiros cristãos, daqueles que seguem, não apenas as pegadas, mas, e, sobretudo, as palavras, os gestos e as ações de Jesus, formarem fileiras ao lado do Papa Francisco para, ombro a ombro, postularem mais justiça, mais direitos para os humanos, mais compreensão, mais perdão, mais reconciliação, mais aceitação e tolerância, mais união e mais defesa do ambiente no qual todos estamos inseridos, em resumo: mais amor e mais misericórdia. Não é possível deixar que, mais uma vez, um justo pague por todo o mal praticado por tantos, durante tanto tempo.

Os católicos, de modo especial, precisam tomar consciência de que a Igreja não é apenas o fabuloso conjunto arquitetônico situado na Praça São Pedro, em Roma. Não! A Igreja é o fabuloso conjunto humano que prima pelos mandamentos de Deus, dentre os quais o segundo maior e mais importante é o amor ao próximo como a si mesmo.

Portanto, é dever de todo cristão, e, especialmente, dos católicos, fazer ecoar por toda a Terra as mensagens de paz, de amor, de compaixão e de misericórdia vindas do Papa Francisco para todo o mundo, sem qualquer exceção, dando ele próprio o exemplo nas praças, ruas e avenidas percorridas em todas as Nações por onde tem passado.

Mais do que rezar pelo Papa, os católicos devem replicar tudo o que ele defende, porque, acolher com amor e carinho; receber de braços abertos; sentar-se à mesa e tomar alimentos com os pecadores, com as prostitutas, com os publicanos e com toda espécie de excluídos é repetir Jesus e, se alguém repete o Mestre de Nazaré, não pode ser tachado de inimigo da Igreja, mas, verdadeiramente, um dos seus mais importantes representantes.

Neste momento nebuloso e escurecido por palavras e por ações contra o Sumo Pontífice Católico, que cada homem e cada mulher, jovens ou idosos, façam brilhar a Luz que têm dentro de si, para que seja lançado o máximo de claridade sobre o obscurantismo que, por trás de mantos, capuzes e armas, tenta lançar o Papa Francisco na fogueira ardente da omissão, do silêncio e da conivência. Que se façam ouvir as vozes dos verdadeiros seguidores de Jesus e que o Sol volte a brilhar sobre a Igreja de Cristo e sobre seus fiéis seguidores, em todos os quadrantes do Planeta.

O Papa sozinho não tem condições de modificar as estruturas injustas e carcomidas do mundo. Mas, se todos os homens e mulheres de boa vontade tomarem-no como exemplo e replicarem, principalmente, por meio das tão badaladas redes sociais, seus atos e palavras de fé, de amor, de perdão, de acolhimento, de tolerância, de compaixão e de misericórdia, certamente, ocorrerão mudanças visíveis e sensíveis em todas as partes do mundo.

Apesar de certas ordens, doutrinas e ideologias impostas ao mundo, o conjunto de todos os homens e de todas as mulheres será sempre muito maior e muito mais potente e, portanto, totalmente capaz de fazer o pêndulo da balança inclinar-se para o lado da justiça, do direito, da tolerância, do perdão, da compaixão e da misericórdia, virtudes cunhadas a fogo por Deus ao longo de toda a História e, particularmente, descritas e ensinadas à exaustão, tanto no Antigo quanto no Novo Testamento.

É preciso que as pessoas se liguem em tudo o que está se passando ao seu redor, e parem de fazer coro com as vaquinhas do Presépio, acreditando que ir ao templo ou à igreja nos dias e horas designados é o bastante para justificar o título de CRISTÃO e o suficiente para assegurar-lhes uma vida eterna cheia de gozo e de felicidade. Antes, é necessário sentar-se com os pobres, com os desvalidos, com os excluídos e perseguidos de todas as espécies, com os imigrantes famintos e abandonados à própria sorte, com os trabalhadores explorados mundo afora, com os pecadores, com as prostitutas, com os homossexuais, com os indígenas, com os aprisionados sem lei e sem justiça, com os divorciados, com os recasados, com os que não são casados na Igreja, ou seja, com os leprosos do nosso tempo. Mirem-se no exemplo de Jesus e tenham coragem para, assim como Ele, afirmarem que são Filhos do Altíssimo, pouco se importando com as reações do Sinédrio moderno.

Nada disso significa afronta, enfrentamento ou desrespeito à Igreja ou à Tradição mas, e acima de tudo, significa agir como Jesus agiu e, certamente, como agiria, ainda, nos dias de hoje. Não viver desta forma e, ao contrário, ficar em cima do muro jogando pedras e criticando, importa no não seguimento a Jesus e a tudo o que Ele fez, ensinou e praticou. O Papa Francisco é exemplo a ser seguido por todos nós, que nos autoproclamamos cristãos. É bom refletir, repetir e replicar. Seja feliz, e boa sorte!

_______________________________________________________

*Luiz Antonio de Moura é um pensador espiritualista, um caminhante e um cultor do silêncio.                  

 

set 24

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS SUGERIDAS PARA HOJE

BÍBLIA - 2016

25ª SEMANA DO TEMPO COMUM – TERÇA-FEIRA – 24/09/2019 –

3Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que do alto do céu nos abençoou com toda a bênção espiritual em Cristo,4e nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis, diante de seus olhos.5No seu amor nos predestinou para sermos adotados como filhos seus por Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua livre vontade,6para fazer resplandecer a sua maravilhosa graça, que nos foi concedida por ele no Bem-amado.  7Nesse Filho, pelo seu sangue, temos a Redenção, a remissão dos pecados, segundo as riquezas da sua graça8que derramou profusamente sobre nós, em torrentes de sabedoria e de prudência.” (Ef 1, 3-8)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DO LIVROS DE ESDRAS – (Es 6,7-8.12.14-20) –

Naqueles dias, 7o rei Dario escreveu ao governador do território da outra margem do rio Eufrates: “Deixa que prossigam os trabalhos no templo de Deus. Que o governador de Judá e os anciãos dos judeus edifiquem a casa de Deus no seu lugar. 8Também ordenei como se deve proceder com aqueles anciãos dos judeus que constroem aquela casa de Deus: com os bens do rei, deveis reembolsar religiosamente e sem interrupção aqueles homens por tudo o que gastarem. 12Eu, Dario, dei esta ordem. Que ela seja pontualmente executada!” 14E os anciãos dos judeus continuaram a construir, com êxito, de acordo com a profecia de Ageu, o profeta, e de Zacarias, filho de Ado, e puderam terminar a construção conforme a ordem do Deus de Israel e as ordens de Ciro, de Dario e de Artaxerxes, reis da Pérsia. 15Esta casa de Deus foi concluída no terceiro dia do mês de Adar, no sexto ano do reinado de Dario. 16Os filhos de Israel, os sacerdotes, os levitas e o resto dos repatriados celebraram com alegria a dedicação desta casa de Deus. 17Ofereceram, para a inauguração desta casa de Deus, cem touros, duzentos carneiros, quatrocentos cordeiros e, como sacrifício pelo pecado de todo Israel, doze bodes, segundo o número das tribos de Israel. 18Estabeleceram também os sacerdotes, segundo suas categorias, e os levitas, segundo suas classes, para o serviço de Deus em Jerusalém, como está escrito no livro de Moisés. 19Os deportados celebraram a Páscoa no dia catorze do primeiro mês. 20Como todos os levitas se haviam purificado juntamente com os sacerdotes, estavam puros; e, assim, imolaram a Páscoa para todos os filhos do cativeiro, para os sacerdotes seus irmãos e para eles próprios.         

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Lc 8,19-21

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 19a mãe e os irmãos de Jesus aproximaram-se, mas não podiam chegar perto dele por causa da multidão. 20Então anunciaram a Jesus: “Tua mãe e teus irmãos estão aí fora e querem te ver”. 21Jesus respondeu: “Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a põem em prática”.                

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

set 23

EDITORIAL DA SEMANA: O RESPEITO, COMO PONTO DE PARTIDA!

TRABALHO ALHEIO

HÁ QUE SE RESPEITAR O OUTRO E TUDO O QUE ELE PRODUZ DE BOM –

*Por Luiz Antonio de Moura –

Depois de algumas décadas de vida, a gente começa a revisitar os arquivos internos e, de forma até meio nostálgica, recorda muitas etapas superadas, reavalia métodos, renova esperanças e, sem dúvida, faz comparações e elabora críticas ao novo e ao moderno. Críticas, positivas. Críticas que trazem a força da experiência que, de forma alguma, pode ser desperdiçada. Esse mecanismo existe desde as origens. De geração em geração, vamos nos renovando, aprendendo com os mais antigos, criando novos métodos e ensinando aos mais jovens e, assim, sucessivamente, caminhamos na longa e interminável estrada do tempo.

Algumas coisas chamam mais atenção, obviamente, do que outras. Alguns procedimentos, apresentam-se como verdadeiramente inovadores, para o bem. Outros, no entanto, são, também, inovadores, só que, para o mal e, portanto, precisam ser apontados e combatidos enquanto há tempo, para que o futuro não seja absolutamente frustrante e, de certa forma, temido.

No atual estágio vivido pela humanidade é de se observar uma prática que vem tomando corpo entre nós, seres humanos equilibrados, sábios, competentes e senhores de tudo: a falta de respeito para com o próximo! E esta falta de respeito é demonstrada nas formas mais diversas possíveis, mas, notadamente, no que se refere ao trabalho produzido pelo próximo. Os exemplos surgem aos milhares, porque em toda parte, a toda hora e seja lá quem for o tal “próximo”, podemos verificar a lamentável ocorrência.

Alguém, por exemplo, compra uma casa, por mais simples que seja, constrói um muro no entorno da residência e comete a “imprudência” de pintá-lo de branco, por exemplo. Logo aparece alguém que, sem respeitar a pessoa, o trabalho e o sacrifício despendidos, trata de pichar o máximo que pode, com palavras, siglas e símbolos, muitas vezes indecifráveis para as pessoas mais ingênuas e menos antenadas com o mundo do vandalismo.

Faz-se uma festinha em casa, convida-se os amigos mais próximos que, obviamente, trazem cônjuges e filhos, não raro, com namoradas e/ou namorados e, no final da festa, são facilmente encontrados restos de alimentos na lixeira do banheiro; copos atrás do sofá da sala, com restos de bebidas e guimbas de cigarros, no mínimo; marcas de dedos sujos com glacê de bolo na cortina, além de coisas que nem podem ser escritas, em total desrespeito, desconsideração e desprestígio para com aqueles que, de forma árdua, e muitas vezes com sacrifícios financeiros, arquitetaram, organizaram e produziram todo aquele ambiente festivo. Isso, quando, tempos depois, não se fica sabendo de críticas feitas aos arranjos alocados no ambiente.

Em casa, filhos e filhas, sem terem a menor noção do trabalho, do custo e do sacrifício feitos pelos pais, esbanjam alimentos e energia; destroem equipamentos e mobiliários; não sentem o menor constrangimento em colocar os pés calçados sobre camas e sofás; fazem do carro da família o seu parque de diversão particular. Enfim, desrespeitam e desprestigiam tudo o que os pais fazem. Isso, quando não desfazem do trabalho dos próprios empregados da casa, sem se darem conta de que tudo o que foi feito, comprado ou construído, partiu do trabalho de alguém. Alguém, que empregou energia física ou intelectual, tempo para a execução e, quase sempre, dinheiro. Mas, quem destrói, desrespeita ou desprestigia, não tem noção de nada, ou, se tem, age mesmo por falta de escrúpulos.

No trabalho, todos querem ter acesso livre e pessoal a mesa, cadeira, telefone e computador, além de uma pequena quantidade de acessórios. No entanto, no dia-a-dia, tudo isto é tratado com o maior desprezo e descuido, simplesmente, porque é fruto do investimento alheio. É fruto de projeto negocial cujos lucros pertencem a quem comanda, sendo esquecido que, se quem comanda for à bancarrota, o emprego será perdido. E, uma vez perdido, torna-se difícil uma nova, rápida e necessária recolocação no mercado de trabalho.

As vias e praças públicas e, principalmente, os jardins e canteiros de flores, são especialmente descuidados, desrespeitados e desprestigiados também, sob o falso e ignóbil entendimento de que os impostos são pagos justamente para o cuidado permanente de todos os bens públicos. Com esta visão tosca, que muitos revelam sem o menor pudor ou constrangimento, todo o trabalho realizado por varredores de rua, por jardineiros, por calceteiros, por zeladores das vias públicas e por toda uma gama de trabalhadores profissionais, é visto e tratado sem a menor consideração e sem o menor respeito.

Os que utilizam o transporte público, que representam a maioria da população, pouco ou nada se importam com a preservação dos veículos e de acessórios como bancos e poltronas: rabiscam, cortam com estilete, escrevem palavras chulas, fazem publicidade sobre suas opções sexuais etc., em total prejuízo para empresas e usuários. Porque, quem destrói, também usa e, quando não tem, critica e protesta, às vezes, até, de forma violenta e depredatória. Tudo isso, sem qualquer respeito para com quem investe, com quem limpa, conserta, faz ajustes e que, também, utiliza.

O desprezo, o desrespeito, o desprestígio e o desleixo para com os bens públicos, de um modo geral, é quase uma regra com pouquíssimas exceções e envolve, ainda, telefones, placas, bancos de praças, estátuas e gravuras, postes, semáforos, iluminação, rios e córregos, pontes e grades, banheiros e tudo o mais que, ao menos em tese, visa o bem estar de toda a coletividade, inclusive, de quem não paga, ou nunca pagou, impostos.

Todos estes poucos exemplos, servem para revelar, de forma assustadora e arrepiante, o quanto é desprezado e desrespeitado o trabalho alheio e tudo o que é pago e produzido pelo outro, numa prática que beira à insanidade coletiva, dado que, muitos dos que escapam de uma hipótese caem, impreterivelmente, na outra. É preciso dialogar mais com as pessoas, no sentido de fazê-las compreender que tudo o que existe é produzido, comprado ou pago por alguém que, em determinado momento, será até mesmo por aquele ou por aquela que, hoje, contribui com sua dose de desprezo e de desrespeito para com o trabalho, o investimento e o sacrifício do próximo.

É preciso levar às pessoas, na verdade, ensiná-las, a exata noção de que o respeito ao próximo é o ponto de partida para o funcionamento de qualquer outro mecanismo social, cívico, religioso ou moral, donde emana a possibilidade de uma vida mais harmônica em sociedade. Fora daí, deste entendimento e desta compreensão, a convivência entre nós, seres humanos, vai ficar cada dia mais exposta à impaciência e à intolerância e, por fim, à violência o que, certamente, trará consequências gravíssimas para a nossa própria espécie.

As pessoas precisam aprender, e cabe aos mais sóbrios ensinar, que práticas de vandalismo, de desrespeito, de desprestígio e de desconsideração por tudo o que o outro produz de bom revelam, acima de tudo, o estágio mais primitivo do ser humano o que, no mundo contemporâneo, importa em verdadeiro retrocesso, haja vista o elevado nível intelectual e tecnológico a que chegamos. Ou seja, o que se vê, na prática, não condiz com o progresso auferido pela civilização. Falta, no caso, elevada dose de coerência! Sem falar é claro, óbvio e triste, na tremenda ausência de educação para a vida em sociedade e a para a própria convivência entre iguais.

Este texto é apenas mais um convite à reflexão, diante de um cenário que, para ser comprovado, exige apenas que a pessoa esteja viva, de tão fácil que é. Caso o leitor ou a leitora julgue prático e conveniente, compartilhe com outras pessoas. Quem sabe, conseguiremos comprovar a tese de que “de grão em grão a galinha enche o papo”? Seja feliz, e boa sorte!

_____________________________________________________

*Luiz Antonio de Moura é um pensador espiritualista, um caminhante e um cultor do silêncio.

 

 

Posts mais antigos «

Apoio: