Lisaac

Sementes da Palavra, É tempo de semear

Arquivo por mês: novembro 2019

nov 18

EDITORIAL DA SEMANA: ITINERÁRIO PARA ENTRAR NO CÉU

ESPÍRITOS DE LUZ

DEGRAUS QUE CONDUZEM AO REINO DOS CÉUS –

*Por Luiz Antonio de Moura –

A Igreja Católica defende a existência de um “purgatório”, para onde as almas, quando saem do corpo, após a morte, são direcionadas para serem submetidas a um processo de “purificação”, caminho preliminar à entrada no Reino dos Céus. Embora o local descrito possa mesmo ser objeto de questionamentos e de, até mesmo, rejeição por parte de alguns fiéis, o fato é que não é razoável acreditar, chegando mesmo a ser ilógico, que a alma de um inveterado pecador, saindo do corpo, seja imediatamente conduzida ao Céu, só porque a criatura, em vida, usou a boca para, além dos inúmeros impropérios, enganos, fraudes, mentiras e falsos testemunhos proferidos, andar dizendo que “Jesus Cristo é o Senhor” ou “Eu aceito Jesus como meu Salvador”, e coisas do gênero, sem qualquer vestígio real de seguimento dos passos do Mestre de Nazaré.

Fosse assim, o céu estaria assegurado para toda e qualquer criatura que, mesmo sem convicção, proferisse os mantras acima descritos e muitos outros semelhantes. Deve ficar bem claro, antes de qualquer outra coisa que, quando Jesus declara que “todo aquele que crer será salvo” Ele está se referindo àquele(a) que cumpre os seus ensinamentos, porque Ele sempre soube que “Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. Em vão me prestam culto; as doutrinas que ensinam são preceitos humanos” (Mt 15, 8-9).

Bem, o Novo Testamento está repleto de palavras de Jesus que, examinadas com atenção, revelam que não basta, apenas, ficar bradando o nome do Senhor em público, para alcançar a salvação, conforme pensam muitos cristãos que andam por aí com o Livro Sagrado embaixo do braço. Também não basta exercer função ou “missão” eclesial, nesta ou naquela religião, conforme acreditam piamente muitos que assumem tais compromissos, mas, deixam de lado o amor a Deus SOBRE TODAS AS COISAS e AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO. Amam-se acima e mais do que a todas as coisas, de forma narcisista, e o próximo serve apenas como instrumento para exploração em diversos sentidos e oportunidades.

De toda sorte, até para os fiéis mais zelosos com a fé, a conduta pecaminosa (do simples pensar até o agir) faz parte da vida de cada um e, ao final da estrada, a alma já carrega uma carga bastante acentuada, apesar da fé e da esperança na misericórdia final do Criador e do Salvador. O que não parece significar a entrada automática no Reino dos Céus.

É possível acreditar, sim, na existência, não de um espaço físico denominado  “purgatório”, mas, em algumas etapas a serem percorridas pela alma para, então, e somente então, poder se aconchegar nas Terras do Rei, do seu Filho e de todos os eleitos.

Podemos imaginar, por exemplo, que, em um primeiro momento, a alma é conduzida para um lugar no qual ouve a voz do Anjo de Deus declamando todos os mandamentos e todos os preceitos divinos que, durante a vida, ela não seguiu ou para os quais, simplesmente, virou as costas por não acreditar em nada, ou, ainda, por ter preferido dar ouvidos aos pregadores de plantão, com seus ensinamentos meramente humanos. Ali, sem direito a réplicas ou a tréplicas, pedirá que alguém fale em seu nome e em sua defesa, o que, certamente, será concedido. Chegará, então, o próprio Jesus que, na condição de Supremo Advogado, confirmará àquela alma a lista dos seus “deslizes” e, digamos, “malfeitos”, dando à ela duas opções: aceitar, humildemente suas culpas e, com extrema sinceridade, arrepender-se e submeter-se à purificação, ou, na pior das hipóteses, rebelar-se contra tudo o que está sendo dito, alegando aquele montão de desculpas que nós, humanos, já conhecemos muito bem.

A alma que aceitar seus erros e culpas e demonstrar verdadeiro arrependimento e desejo de submeter-se à purificação, o que será verificado pelo próprio Jesus, será encaminhada para uma segunda etapa (ou degrau), no qual ela, juntamente com outras incontáveis almas, terá contabilizadas suas possíveis boas obras praticadas ainda em vida e clamará pelo perdão divino por período compatível com a multidão dos pecados cometidos e assumidos de forma humilde e serena. Caso em vida ela jamais tenha se preocupado com arrependimentos nem em fazer penitência, jejum ou quaisquer outras boas ações, ficará ali, clamando sem cessar e sem qualquer noção de tempo. Receberá, constante e periodicamente, as visitas de Jesus, de sua santa Mãe, dos Anjos e dos santos, que lhe darão imenso consolo e esperança do perdão final que, por fim, chegará.

Vencida esta etapa, ela é encaminhada para um terceiro patamar, no qual deverá conviver de forma harmônica, serena e santa com a comunidade das almas que, com ela, passaram do segundo para o terceiro degrau. Nesta etapa, a alma vai demonstrar a compreensão e a assimilação de forma perfeita, do que realmente significa estar em plena e profunda comunhão com os filhos de Deus, na magnitude dos verdadeiros amor e fraternidade.

Por fim, todas aquelas almas absolutamente purificadas, e em perfeitíssima comunhão entre si, e que agora estão no terceiro patamar vão sendo, lenta e progressivamente, encaminhadas para o Reino dos Céus onde, finalmente, terão a oportunidade de serem integradas, para sempre, com todos os eleitos e com os verdadeiramente salvos. Ali, não terá importância a religião humana que cada uma seguiu; não terão importância as filosofias apreendidas ou disseminadas, os conhecimentos adquiridos durante a vida terrena. De nada valerão as palavras bonitas ou messiânicas que proferiram. De nada valerão os cargos ocupados, os títulos recebidos ou o patrimônio adquirido e acumulado durante a estada terrena. Tudo passou, tudo acabou para sempre! O que realmente terá valor naquele ambiente de paz, de luz, de santidade e de eterna comunhão será a pureza adquirida após a santificação porque, conforme ensinado por Jesus: “Bem aventurados os puros de coração, porque verão a Deus; bem aventurados os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus” (Mt 5, 8-9).

Pureza de coração é olhar para o outro e nele enxergar o próprio Cristo, independentemente de quem ele seja ou de tudo o que tenha praticado, ou ainda pratique porque Deus, o Pai, olha para cada um de nós como filhos e filhas muito amados, apesar de sermos quem somos e de praticarmos tudo o que praticamos.

Penso que muitas pessoas, ao lerem este texto dele discordarão de forma veemente, porque trazem consigo suas próprias crenças e convicções (limitadas e limitantes), às quais caminharão agarradas até o momento final. Entretanto, a partir do momento final, será possível compreender que nada é da forma que imaginaram porque, primeiro, quem entra no Céu quer ver Deus e, para poder vê-Lo é preciso estar e ser puro de coração; segundo, porque muitos dos nossos atos, palavras e pensamentos não são tidos ou reconhecidos por nós como pecaminosos. Afinal, temos justificativas para tudo o que fazemos ou deixamos de fazer. Ao mesmo tempo, temos argumentos fortíssimos para condenar as ações, as palavras e as omissões dos nossos semelhantes.

Assim, será preciso passar por uma espécie de “pente-fino”, quando a autoridade divina mostrará diante de nós todo o mal que praticamos enquanto viventes. Coisas que, muitos de nós, sequer imagina serem tidas como pecado mas que, por contrariarem principalmente o mandamento do “ama o teu próximo como a ti mesmo”; ou o mandamento do perdão das injúrias recebidas; ou, ainda, da misericórdia para com absolutamente todos os homens e mulheres, independentemente de quem possam ser ou do que possam ter praticado. Tudo isso será lançado diante de todos e de cada um de nós, inclusive, dos que acreditam que basta invocar o nome de Jesus, para já estarem com vagas asseguradas no Reino dos Céus.

Para quem afirma crer, é importante não esquecer do que o próprio Jesus disse: “Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome, e em teu nome expelimos os demônios, e em teu nome fizemos muitos milagres? Então, eu lhes direi bem alto: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade” (Mt 7, 22-23). Mas, este julgamento, só Ele pode fazer. Estas palavras só poderão ser ditas por Ele. Não, como vemos por aí, muitos irmãos julgando e selecionando quem é bom e quem não é; quem já estaria salvo e quem  está irremediavelmente “perdido”, como se fossem prepostos do Pai ou do Filho.

É bom que, concordando ou não com os degraus para alcançar o Reino dos Céus, cada um de nós faça rigoroso exame de consciência à luz da Palavra de Deus e das inspirações vindas do Espírito Santo, a fim de podermos, ainda aqui neste mundo, tratarmos de buscar a correção, a penitência e a prática permanente das boas ações, inclusive, em favor daqueles que, vítimas dos diversos padrões humanos, estão à margem da sociedade e de tudo de bom que o Criador disponibilizou para, absolutamente, TODAS as suas criaturas.

Infelizmente, muitos cristãos acreditam estarem cumprindo os mandamentos de Deus, quando fazem o bem a um pobre e necessitado, deixando de fora aqueles que eles consideram extremamente pecadores, julgando-os não merecedores de ajuda, de piedade ou de misericórdia. Isso vale para a prostituta, para o viciado, para o alcoólatra e para uma infinidade de pessoas combatidas no meio da sociedade, sob fundamentos morais e religiosos e, até, em nome de Deus.

Antes de mais nada lembre-se: é apenas um texto, fruto de inspiração literária. Nada mais! Um texto que, independentemente de poder ser plausível ou não, pretende convidar o leitor e a leitora para uma profunda reflexão sobre o que ainda está por vir ao final da nossa vida, sabendo-se, de antemão que, duas verdades são incontestáveis: todos nós, um dia, partiremos desta vida rumo às Terras do Grande Rei e, também, seremos submetidos ao ajuste de contas. Daí por diante, só o próprio Deus conhece os mistérios que envolverão a possível, graças a Jesus, Salvação de todos e de cada um de nós. Vale, ao menos, refletir. Seja feliz, e boa sorte!

____________________________________________________

*Luiz Antonio de Moura é um pensador espiritualista, um caminhante e um cultor do silêncio.

nov 18

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS SUGERIDAS PARA HOJE

BÍBLIA - DIA DE LER

33ª SEMANA DO TEMPO COMUM – SEGUNDA-FEIRA – 18/11/2019 –

3Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que do alto do céu nos abençoou com toda a bênção espiritual em Cristo,4e nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis, diante de seus olhos.5No seu amor nos predestinou para sermos adotados como filhos seus por Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua livre vontade,6para fazer resplandecer a sua maravilhosa graça, que nos foi concedida por ele no Bem-amado.  7Nesse Filho, pelo seu sangue, temos a Redenção, a remissão dos pecados, segundo as riquezas da sua graça8que derramou profusamente sobre nós, em torrentes de sabedoria e de prudência.” (Ef 1, 3-8)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DO PRIMEIRO LIVRO DOS MACABEUS – (1Mc  1,10-15.41-43.54-57.62-64) –

Naqueles dias, 10brotou uma raiz iníqua, Antíoco Epífanes, filho do rei Antíoco. Estivera em Roma, como refém, e subiu ao trono no ano cento e trinta e sete da era dos gregos. 11Naqueles dias, apareceram em Israel pessoas ímpias, que seduziram a muitos, dizendo: “Vamos fazer uma aliança com as nações vizinhas, pois, desde que nos isolamos delas, muitas desgraças nos aconteceram”. 12Estas palavras agradaram, 13e alguns do povo entusiasmaram-se e foram procurar o rei, que os autorizou a seguir os costumes pagãos. 14Edificaram em Jerusalém um ginásio, de acordo com as normas dos gentios. 15Aboliram o uso da circuncisão e renunciaram à aliança sagrada. Associaram-se com os pagãos e venderam-se para fazer o mal. 41Então o rei Antíoco publicou um decreto para todo o reino, ordenando que todos formassem um só povo, obrigando cada um a abandonar seus costumes particulares. 42Todos os pagãos acataram a ordem do rei, 43e inclusive muitos israelitas adotaram sua religião, sacrificando aos ídolos e profanando o sábado. 54No dia quinze do mês de Casleu, no ano cento e quarenta e cinco, Antíoco fez erigir sobre o altar dos sacrifícios a Abominação da desolação. E pelas cidades circunvizinhas de Judá construíram altares. 55Queimavam incenso junto às portas das casas e nas ruas. 56Os livros da lei que lhes caíam nas mãos eram atirados ao fogo depois de rasgados. 57Em virtude do decreto real, era condenado à morte todo aquele em cuja casa fosse encontrado um livro da aliança, assim como qualquer pessoa que continuasse a observar a lei. 62Mas muitos israelitas resistiram e decidiram firmemente não comer alimentos impuros. 63Preferiram a morte a contaminar-se com aqueles alimentos. E, não querendo violar a aliança sagrada, esses foram trucidados. 64Uma cólera terrível se abateu sobre Israel.                     

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Lc 18,35-43

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

35Quando Jesus se aproximava de Jericó, um cego estava sentado à beira do caminho, pedindo esmolas. 36Ouvindo a multidão passar, ele perguntou o que estava acontecendo. 37Disseram-lhe que Jesus nazareno estava passando por ali. 38Então o cego gritou: “Jesus, filho de Davi, tem piedade de mim!” 39As pessoas que iam na frente mandavam que ele ficasse calado. Mas ele gritava mais ainda: “Filho de Davi, tem piedade de mim!” 40Jesus parou e mandou que levassem o cego até ele. Quando o cego chegou perto, Jesus perguntou: 41“O que queres que eu faça por ti?” O cego respondeu: “Senhor, eu quero enxergar de novo”. 42Jesus disse: “Enxerga, pois, de novo. A tua fé te salvou”. 43No mesmo instante, o cego começou a ver de novo e seguia Jesus, glorificando a Deus. Vendo isso, todo o povo deu louvores a Deus.                    

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/    

nov 17

COMENTANDO O EVANGELHO: MONS. JOSÉ MARIA PEREIRA

ZÉ MARIA - 2018

XXXIII DOMINGO DO TEMPO COMUM – O FIM DO MUNDO –

*Por  Mons. José Maria Pereira –

Estamos no penúltimo domingo do Ano Litúrgico. A Palavra de Deus convida-nos a meditar no fim último do homem, no seu destino além da morte. A meta final, para onde Deus nos conduz, faz nascer em nós a esperança e a coragem para enfrentar as adversidades e lutar pelo Advento do Reino.

O Profeta Malaquias fala do juízo final, com acentos fortes: “Eis que virá o dia, abrasador como fornalha…” (Ml 3, 19)

O texto do Evangelho (Lc 21, 5-19) é uma parte dos famosos discursos escatológicos de Jesus. Podemos interpretá-lo como anúncio de desventuras: aí se fala de guerras, revoluções, terremotos, carestias e pestes. Na realidade, ao invés, é um anúncio de paz. As desventuras – de acordo com o que o Evangelista Lucas diz à Igreja – continuarão a existir, porque fazem parte integral da história humana; não foi Jesus que as trouxe, o que Jesus trouxe foi, antes, a possibilidade de vencê-las mediante a fé em seu nome: “Mas vós não perdereis um só fio de cabelo da vossa cabeça. É permanecendo firmes que ireis ganhar a vida!” (Lc21, 18-19).

O texto não pretende incutir medo, falando do “fim do mundo”, mas fortalecer a esperança em Deus para enfrentar os dramas da vida e da história; esperança que devemos ter ainda hoje, apesar do que vemos…

São Paulo (2Ts 3, 7-12) fala da comunidade de Tessalônica, perturbada por fanáticos que pregavam estar próximo o fim do mundo, por isso não valia a pena continuar trabalhando. Paulo diz: “Quem não quer trabalhar, também não deve comer…” (2Ts 3, 10). O Apóstolo ressalta a importância do trabalho para a vida do homem.

A vida é realmente muito curta e o encontro com Jesus está próximo. Isto ajuda-nos a desprender-nos dos bens que temos de utilizar e aproveitar o tempo; mas não nos exime de maneira nenhuma de dedicar-nos plenamente à nossa profissão no seio da sociedade. Mais ainda: é com os nossos afazeres terrenos, ajudados pela graça, que temos de ganhar o Céu.

Para imitar Cristo, que trabalhou como artesão a maior parte de sua vida, longe de descuidar as tarefas temporais, os cristãos “estão mais obrigados a cumpri-los, por causa da própria fé, de acordo com a vocação a que cada um foi chamado (GS, 43).

O trabalho é o meio ordinário de subsistência e o campo privilegiado para o desenvolvimento das virtudes humanas: a rijeza, a constância, o otimismo por cima das dificuldades… A fé cristã impele-nos além disso a comporta-nos como filhos de Deus com os filhos de Deus, a viver um espírito de caridade, de convivência, de compreensão, a tirar da vida o apego à nossa comodidade, a tentação do egoísmo, a tendência para a exaltação pessoal, a mostrar a caridade de Cristo e os seus resultados concretos de amizade, de compreensão, de afeto humano, de paz. Pelo contrário, a preguiça, a ociosidade, o trabalho mal acabado trazem graves consequências. “A ociosidade ensina muitas maldades” (Eclo 33, 29), pois impede a perfeição humana e sobrenatural do homem, debilita-lhe o caráter e abre as portas à concupiscência e a muitas tentações.

Durante séculos, muitos pensavam que, para serem bons cristãos, bastava-lhes uma vida de piedade sem conexão alguma com as suas ocupações profissionais no escritório, na fábrica, no campo, na Universidade… Muitos tinham, além disso, a convicção de que os afazeres temporais, os assuntos profanos em que o homem está imerso de uma forma ou de outra eram um obstáculo para o encontro com Deus e para uma vida plenamente cristã. A vida oculta de Jesus veio ensinar-nos o valor do trabalho, da unidade de vida, pois com o seu trabalho diário o Senhor estava também redimindo o mundo.

O fiel cristão não deve esquecer que, além de ser cidadão da Terra, também o é do Céu, e por isso deve comportar-se entre os outros de uma maneira digna da vocação a que foi chamado, sempre alegre, irrepreensível e simples, compreensivo com todos, bom trabalhador e bom amigo, aberto a todas as realidades autenticamente humanas (cf. Fl. 1, 27; 2, 3-4; 2, 15; 4,4).

Jesus (Lc, 21, 5-19) alerta sobre os falsos profetas: “Cuidado para não serdes enganados…” (Lc 21, 8). Diante das catástrofes Jesus exorta à esperança: não ter medo… Esses sinais de desagregação do mundo velho não devem assustar, pelo contrário são anúncio de alegria e esperança, de que um mundo novo está por surgir. “Quando essas coisas começarem a acontecer, levantem-se, ergam a cabeça, porque a libertação está próxima” (Lc 21, 28). A vida do discípulo no mundo assume, de repente, um aspecto novo: é vida de espera, por isso de vigilância; é vida de peregrinos a caminho, não de domiciliados e de sedentários.

“É permanecendo firmes que ireis ganhar a vida” (Lc 21, 19). Aproveitemos o tempo! Diante das dificuldades não nos deixemos levar pelo desânimo! Acreditemos na Vitória final do Reino de Cristo.

Na nossa vida cotidiana, no exercício da nossa profissão, encontraremos naturalmente, sem assumir ares de mestres, inúmeras ocasiões de dar a conhecer a doutrina de Cristo: numa conversa amigável, no comentário a uma notícia que está na boca de todos, ao escutarmos a confidência de um problema pessoal ou familiar… O Anjo da Guarda, a quem tantas vezes recorremos, porá na nossa boca a palavra certa que anime, que ajude e facilite, talvez com o tempo, a aproximação mais direta de Cristo das pessoas que trabalham conosco.

Cristo nos garante: “Coragem, levantai a cabeça, porque se aproxima a libertação”.

__________________________________________________________

*Monsenhor José Maria Pereira, Sacerdote da Diocese de Petrópolis, é, também, Professor, Juiz do Tribunal Eclesiástico Interdiocesano de Niterói e Diocesano de Petrópolis e Vigário da Paróquia de São José do ItamaratI, enviando para o site, semanalmente, a homilia do domingo.

nov 17

LEITURA ORANTE: POR FREI LUDOVICO GARMUS

LUDOVICO GARMUS

33º DOMINGO DO TEMPO COMUM – NASCERÁ PARA VÓS O SOL DA JUSTIÇA –

*Por Frei Ludovico Garmus, ofm –

ORAÇÃO: “Senhor nosso Deus, fazei que nossa alegria consista em vos servir de todo o coração, pois só teremos felicidade completa, servindo a vós, o Criador de todas as coisas”.

1. PRIMEIRA LEITURA: Ml 3,19-20a

Nascerá para vós o sol da justiça.

Na primeira leitura ouvimos um trecho do profeta Malaquias, o último livro do Antigo Testamento. Malaquias é um profeta anônimo que atuou em Jerusalém por volta do ano 460 a.C. O Templo já estava reconstruído, mas Jerusalém vivia sob o domínio Persa e da província de Samaria. Havia conflitos internos e com os samaritanos. O texto nos fala do dia do Senhor, ou dia do julgamento divino. É um tema comum aos profetas pré-exílicos, que exortavam o povo de Deus à conversão e anunciavam o juízo divino para os pecadores. Este julgamento divino aconteceu com a destruição de Samaria, capital do Reino de Israel, e de Jerusalém, capital do Reino de Judá, selando o fim dos dois reinos. Agora, o profeta anuncia o juízo de Deus para os ímpios e para os justos, para os que praticam o mal e os que procuram fazer o bem, mantendo-se fiéis à aliança do Senhor. A tentação permanente dos justos é passar para o lado dos ímpios; estes parecem ser mais felizes, porque vivem na riqueza, enquanto os justos sofrem a pobreza, a violência e o desprezo (cf. Ml 3,13-16; Sl 1; 73). Malaquias afirma que os ímpios serão erradicados e queimados como palha, enquanto para os justos nascerá o “sol da justiça, trazendo a salvação”. Sol da justiça significa a vitória do bem sobre o mal (cf. Is 41,1). Nas festas litúrgicas do Natal e da Epifania o título “Sol de Justiça” é aplicado a Jesus Cristo.

SALMO RESPONSORIAL: Sl 97

O senhor virá julgar a terra inteira;

com justiça julgará.

2. SEGUNDA LEITURA: 2Ts 3,7-12

Quem não quer trabalhar, também não deve comer.

O apóstolo Paulo vivia na expectativa da vinda iminente de Cristo ressuscitado como juiz dos vivos e dos mortos. Esperava que isso acontecesse estando ele ainda vivo. Dizia que quando Cristo vier, primeiro ressuscitarão os mortos. “Depois nós, que ficamos ainda os vivos, seremos arrebatados juntamente com eles para as nuvens, ao encontro do Senhor nos ares” (1Ts 4,17). Em Tessalônica e em outras comunidades que liam as cartas de Paulo havia cristãos que concluíram: Já que Cristo vai voltar logo, para que trabalhar? E viviam “à toa, muito ocupados em não fazer nada” (2Ts 3,11), à custa dos outros. No texto de hoje, Paulo se apresenta como modelo. Ele, como apóstolo e missionário, recusava-se a viver à custa de outros e sempre viveu do próprio trabalho para se sustentar. E estabelece uma regra de vida para todos: “Quem não quer trabalhar, também não deve comer”. Por fim, em nome do Senhor, exorta e ordena que todos “trabalhem e comam com tranqüilidade o seu próprio pão”. A vida cristã não consiste apenas em esperar a vinda do Filho do Homem. Inclui também a fé prática, o trabalho tranquilo, a vivência do Evangelho e a missão. Quando Cristo vier, quer nos encontrar vivendo o Evangelho, sem o pavor do fim (Evangelho).

ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO: Lc 21,18

Levantai vossa cabeça e olhai,

pois a vossa redenção se aproxima.

3. EVANGELHO: Lc 21,5-19

É permanecendo firmes que ireis ganhar a vida!

Certa ocasião, estando Jesus no monte das Oliveiras, um dos discípulos lhe disse: “Mestre, olha que pedras e que construções” (Mc 13,1). E Jesus disse aos discípulos: “Vós admirais estas coisas? Dias virão em que não ficará pedra sobre pedra. Tudo será destruído”. Então Jesus começou a anunciar a vida do Senhor, no dia do juízo final. A expectativa da vinda iminente de Jesus Cristo era comum entre os primeiros cristãos. O apóstolo Paulo, por exemplo, esperava que a vinda do Senhor acontecesse enquanto vivo (1Ts 4,13-18). Mas a vinda do Senhor se protelava e Paulo teve que reconsiderar esta expectativa, pois havia cristãos que não trabalhavam mais porque o Senhor viria logo (2ª leitura). Quando Lucas escreve o Templo já tinha sido destruído (Lc 21,5-9.20-24) e não havia mais a preocupação com a vinda imediata do Senhor (v. 9). Lucas reafirma a esperança na vinda do Senhor; no entanto, pede que não fiquem parados, mas voltem a Jerusalém para receber o Espírito Santo e partir em missão pela Judeia, Samaria e até os confins da terra (At 1,6-11).

No Evangelho de hoje, os discípulos perguntam duas coisas a Jesus: “Quando acontecerá isto” e “qual o sinal de que estas coisas vão acontecer”? Jesus responde à segunda pergunta: a) Não se deixem enganar com falsos anúncios ‘sou eu’ ou ‘o tempo está próximo’; b) não se deixem enganar pelos sinais, como guerras, revoluções, terremotos, fomes e pestes ou outros sinais pavorosos. E conclui: “É preciso que estas coisas aconteçam, mas não será logo o fim”; c) os cristãos serão presos e perseguidos, condenados por reis e governadores, “por causa do meu nome”. Jesus não responde sobre o “quando acontecerá isso”. Exorta-nos, contudo, a permanecermos fiéis à nossa missão de anunciar e viver Evangelho: “É permanecendo firmes que ireis ganhar a vida”. É com esta fé e esperança que devemos ganhar o próprio pão (2ª leitura) e anunciar o evangelho do reino de Deus (Lc 16,16). Mateus afirma que o evangelho do Reino será pregado a todas as nações, antes que venha o fim do mundo (Mt 24,14).

Mesmo assim, gostaríamos de saber quando essas coisas acontecerão. Para nosso consolo, o próprio Jesus disse que não sabia: “Quanto a esse dia a essa hora, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, mas somente o Pai” (v. 36). Apenas afirmou que a vinda do Filho do Homem será inesperada e repentina como um relâmpago (v. 27).

______________________________________________________

* Frei Ludovico Garmus é Doutor em Exegese Bíblica, Professor de Exegese no Instituto Teológico Franciscano-ITF, em Petrópolis, escritor, conferencista e colabora com o nosso Blog, autorizando a reprodução de textos e de reflexões de sua autoria.

nov 17

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS SUGERIDAS PARA HOJE

BÍBLIA NOVÍSSIMA

33º DOMINGO DO TEMPO COMUM – 17/11/2019

3Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que do alto do céu nos abençoou com toda a bênção espiritual em Cristo,4e nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis, diante de seus olhos.5No seu amor nos predestinou para sermos adotados como filhos seus por Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua livre vontade,6para fazer resplandecer a sua maravilhosa graça, que nos foi concedida por ele no Bem-amado.7Nesse Filho, pelo seu sangue, temos a Redenção, a remissão dos pecados, segundo as riquezas da sua graça8que derramou profusamente sobre nós, em torrentes de sabedoria e de prudência.” (Ef 1, 3-8)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DA PROFECIA DE MALAQUIAS – (Ml 3,19-20) –

19Eis que virá o dia, abrasador como fornalha, em que todos os soberbos e ímpios serão como palha; e esse dia vindouro haverá de queimá-los, diz o Senhor dos exércitos, tal que não lhes deixará raiz nem ramo. 20Para vós, que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, trazendo salvação em suas asas.  

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

SALMO RESPONSORIAL: Sl   97(98)

R. O Senhor virá julgar a terra inteira; / com justiça julgará.

1. Cantai salmos ao Senhor ao som da harpa / e da cítara suave! / Aclamai, com os clarins e as trombetas, / ao Senhor, o nosso rei! 

R. O Senhor virá julgar a terra inteira; / com justiça julgará.

2. Aplauda o mar com todo ser que nele vive, / o mundo inteiro e toda gente! / As montanhas e os rios batam palmas / e exultem de alegria. 

R. O Senhor virá julgar a terra inteira; / com justiça julgará.

3. Exultem na presença do Senhor, pois ele vem, / vem julgar a terra inteira. / Julgará o universo com justiça / e as nações com equidade. 

R. O Senhor virá julgar a terra inteira; / com justiça julgará.

SEGUNDA LEITURA:

LEITURA DA SEGUNDA CARTA DE SÃO PAULO AOS TESSALONICENSES – (2Ts 3,7-12)

Irmãos, 7bem sabeis como deveis seguir o nosso exemplo, pois não temos vivido entre vós na ociosidade. 8De ninguém recebemos de graça o pão que comemos. Pelo contrário, trabalhamos com esforço e cansaço, de dia e de noite, para não sermos pesados a ninguém. 9Não que não tivéssemos o direito de fazê-lo, mas queríamos apresentar-nos como exemplo a ser imitado. 10Com efeito, quando estávamos entre vós, demos esta regra: “Quem não quer trabalhar também não deve comer”. 11Ora, ouvimos dizer que entre vós há alguns que vivem à toa, muito ocupados em não fazer nada. 12Em nome do Senhor Jesus Cristo, ordenamos e exortamos a estas pessoas que, trabalhando, comam na tranquilidade o seu próprio pão.’    

 – Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

EVANGELHO: Lc 21,5-19

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 5algumas pessoas comentavam a respeito do templo que era enfeitado com belas pedras e com ofertas votivas. Jesus disse: 6“Vós admirais estas coisas? Dias virão em que não ficará pedra sobre pedra. Tudo será destruído”. 7Mas eles perguntaram: “Mestre, quando acontecerá isso? E qual vai ser o sinal de que essas coisas estão para acontecer?” 8Jesus respondeu: “Cuidado para não serdes enganados, porque muitos virão em meu nome, dizendo: ‘Sou eu!’ e ainda: ‘O tempo está próximo’. Não sigais essa gente! 9Quando ouvirdes falar de guerras e revoluções, não fiqueis apavorados. É preciso que essas coisas aconteçam primeiro, mas não será logo o fim”. 10E Jesus continuou: “Um povo se levantará contra outro povo, um país atacará outro país. 11Haverá grandes terremotos, fomes e pestes em muitos lugares; acontecerão coisas pavorosas e grandes sinais serão vistos no céu. 12Antes, porém, que essas coisas aconteçam, sereis presos e perseguidos; sereis entregues às sinagogas e postos na prisão; sereis levados diante de reis e governadores por causa do meu nome. 13Essa será a ocasião em que testemunhareis a vossa fé. 14Fazei o firme propósito de não planejar com antecedência a própria defesa; 15porque eu vos darei palavras tão acertadas, que nenhum dos inimigos vos poderá resistir ou rebater. 16Sereis entregues até mesmo pelos próprios pais, irmãos, parentes e amigos. E eles matarão alguns de vós. 17Todos vos odiarão por causa do meu nome. 18Mas vós não perdereis um só fio de cabelo da vossa cabeça. 19É permanecendo firmes que ireis ganhar a vida!”’.                

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

nov 16

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS SUGERIDAS PARA HOJE

BÍBLIA - ANTIGO TESTAMENTO

32ª SEMANA DO TEMPO COMUM – SÁBADO – 16/11/2019 –

3Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que do alto do céu nos abençoou com toda a bênção espiritual em Cristo,4e nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis, diante de seus olhos.5No seu amor nos predestinou para sermos adotados como filhos seus por Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua livre vontade,6para fazer resplandecer a sua maravilhosa graça, que nos foi concedida por ele no Bem-amado.  7Nesse Filho, pelo seu sangue, temos a Redenção, a remissão dos pecados, segundo as riquezas da sua graça8que derramou profusamente sobre nós, em torrentes de sabedoria e de prudência.” (Ef 1, 3-8)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DO LIVRO DA SABEDORIA – (Sb  18,14-16; 19,6-9) –

14Quando um tranquilo silêncio envolvia todas as coisas e a noite chegava ao meio de seu curso, 15a tua palavra onipotente, vinda do alto do céu, do seu trono real, precipitou-se, como guerreiro impiedoso, no meio de uma terra condenada ao extermínio; como espada afiada, levava teu decreto irrevogável; 16defendendo-se, encheu tudo de morte e, mesmo estando sobre a terra, ela atingia o céu. 19,6Então, a criação inteira, obediente às tuas ordens, foi de novo remodelada em cada espécie de seres, para que teus filhos fossem preservados de todo perigo. 7Apareceu a nuvem para dar sombra ao acampamento, e a terra enxuta surgiu onde antes era água: o mar Vermelho tornou-se caminho desimpedido, e as ondas violentas se transformaram em campo verdejante, 8por onde passaram, como um só povo, os que eram protegidos por tua mão, contemplando coisas assombrosas. 9Como cavalos soltos na pastagem e como cordeiros, correndo aos saltos, glorificaram-te a ti, Senhor, seu libertador.                     

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Lc 18,1-8

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1Jesus contou aos discípulos uma parábola, para mostrar-lhes a necessidade de rezar sempre e nunca desistir, dizendo: 2“Numa cidade havia um juiz que não temia a Deus e não respeitava homem algum. 3Na mesma cidade havia uma viúva, que vinha à procura do juiz, pedindo: ‘Faze-me justiça contra o meu adversário!’ 4Durante muito tempo, o juiz se recusou. Por fim, ele pensou: ‘Eu não temo a Deus e não respeito homem algum. 5Mas essa viúva já me está aborrecendo. Vou fazer-lhe justiça, para que ela não venha agredir-me!’” 6E o Senhor acrescentou: “Escutai o que diz esse juiz injusto. 7E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que dia e noite gritam por ele? Será que vai fazê-los esperar? 8Eu vos digo que Deus lhes fará justiça bem depressa. Mas o Filho do homem, quando vier, será que ainda vai encontrar fé sobre a terra?”                    

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/    

nov 15

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS SUGERIDAS PARA HOJE

BÍBLIA - ANTIGO TESTAMENTO

32ª SEMANA DO TEMPO COMUM – SEXTA-FEIRA – 15/11/2019 –

3Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que do alto do céu nos abençoou com toda a bênção espiritual em Cristo,4e nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis, diante de seus olhos.5No seu amor nos predestinou para sermos adotados como filhos seus por Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua livre vontade,6para fazer resplandecer a sua maravilhosa graça, que nos foi concedida por ele no Bem-amado.  7Nesse Filho, pelo seu sangue, temos a Redenção, a remissão dos pecados, segundo as riquezas da sua graça8que derramou profusamente sobre nós, em torrentes de sabedoria e de prudência.” (Ef 1, 3-8)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DO LIVRO DA SABEDORIA – (Sb  13,1-9) –

1São insensatos por natureza todos os homens que ignoram a Deus, os que, partindo dos bens visíveis, não foram capazes de conhecer aquele que é; nem tampouco, pela consideração das obras, chegaram a reconhecer o artífice. 2Tomaram por deuses, por governadores do mundo, o fogo e o vento, o ar fugidio, o giro das estrelas, a água impetuosa, os luzeiros do dia. 3Se, encantados por sua beleza, tomaram essas criaturas por deuses, reconheçam quanto o seu Senhor está acima delas, pois foi o autor da beleza quem as criou. 4Se ficaram maravilhados com o seu poder e a sua atividade, concluam daí quanto mais poderoso é aquele que as formou: 5de fato, partindo da grandeza e da beleza das criaturas, pode-se chegar a ver, por analogia, aquele que as criou. 6Contudo, estes merecem menor repreensão: talvez se tenham extraviado procurando a Deus e querendo encontrá-lo. 7Com efeito, vivendo entre as obras dele, põem-se a procurá-lo, mas deixam-se seduzir pela aparência, pois é belo aquilo que se vê! 8Mesmo assim, nem a estes se pode perdoar, 9porque, se chegaram a tão vasta ciência, a ponto de investigarem o universo, como é que não encontraram mais facilmente o seu Senhor?                     

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Lc 17,26-37

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 26“Como aconteceu nos dias de Noé, assim também acontecerá nos dias do Filho do homem. 27Eles comiam, bebiam, casavam-se e se davam em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca. Então chegou o dilúvio e fez morrer todos eles. 28Acontecerá como nos dias de Ló: comiam e bebiam, compravam e vendiam, plantavam e construíam. 29Mas no dia em que Ló saiu de Sodoma, Deus fez chover fogo e enxofre do céu e fez morrer todos. 30O mesmo acontecerá no dia em que o Filho do homem for revelado. 31Nesse dia, quem estiver no terraço não desça para apanhar os bens que estão em sua casa. E quem estiver nos campos não volte para trás. 32Lembrai-vos da mulher de Ló. 33Quem procura ganhar a sua vida vai perdê-la, e quem a perde vai conservá-la. 34Eu vos digo, nessa noite dois estarão numa cama: um será tomado e o outro será deixado. 35Duas mulheres estarão moendo juntas: uma será tomada e a outra será deixada. 36Dois homens estarão no campo: um será levado e o outro será deixado”. 37Os discípulos perguntaram: “Senhor, onde acontecerá isso?” Jesus respondeu: “Onde estiver o cadáver, aí se reunirão os abutres”.                    

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

  FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/    

nov 14

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS SUGERIDAS PARA HOJE

BÍBLIA - ANTIGO TESTAMENTO

32ª SEMANA DO TEMPO COMUM – QUINTA-FEIRA – 14/11/2019 –

3Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que do alto do céu nos abençoou com toda a bênção espiritual em Cristo,4e nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis, diante de seus olhos.5No seu amor nos predestinou para sermos adotados como filhos seus por Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua livre vontade,6para fazer resplandecer a sua maravilhosa graça, que nos foi concedida por ele no Bem-amado.  7Nesse Filho, pelo seu sangue, temos a Redenção, a remissão dos pecados, segundo as riquezas da sua graça8que derramou profusamente sobre nós, em torrentes de sabedoria e de prudência.” (Ef 1, 3-8)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DO LIVRO DA SABEDORIA – (Sb  7,22-8,1) –

22Na sabedoria há um espírito inteligente, santo, único, múltiplo, sutil, móvel, perspicaz, imaculado, lúcido, invulnerável, amante do bem, penetrante, 23desimpedido, benfazejo, amigo dos homens, constante, seguro, sem inquietação, que tudo pode, que tudo supervisiona, que penetra todos os espíritos, os inteligentes, os puros, os mais sutis. 24Pois a sabedoria é mais ágil que qualquer movimento e atravessa e penetra tudo por causa da sua pureza. 25Ela é um sopro do poder de Deus, uma emanação pura da glória do Todo-Poderoso; por isso, nada de impuro pode introduzir-se nela: 26ela é um reflexo da luz eterna, espelho sem mancha da atividade de Deus e imagem da sua bondade. 27Sendo única, tudo pode; permanecendo imutável, renova tudo; e, comunicando-se às almas santas de geração em geração, forma os amigos de Deus e os profetas. 28Pois Deus ama tão somente aquele que vive com a sabedoria. 29De fato, ela é mais bela que o sol e supera todas as constelações; comparada à luz, ela tem a primazia: 30pois a luz cede lugar à noite, ao passo que, contra a sabedoria, o mal não prevalece. 8,1Ela se estende, com vigor, de uma extremidade à outra da terra e, com suavidade, governa todas as coisas.                    

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Lc 17,20-25

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 20os fariseus perguntaram a Jesus sobre o momento em que chegaria o reino de Deus. Jesus respondeu: “O reino de Deus não vem ostensivamente. 21Nem se poderá dizer: ‘Está aqui’ ou ‘está ali’, porque o reino de Deus está entre vós”. 22E Jesus disse aos discípulos: “Dias virão em que desejareis ver um só dia do Filho do homem e não podereis ver. 23As pessoas vos dirão: ‘Ele está ali’ ou ‘ele está aqui’. Não deveis ir nem correr atrás. 24Pois, como o relâmpago brilha de um lado até o outro do céu, assim também será o Filho do homem no seu dia. 25Antes, porém, ele deverá sofrer muito e ser rejeitado por esta geração”.                    

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/    

nov 13

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS SUGERIDAS PARA HOJE

BÍBLIA - ANTIGO TESTAMENTO

32ª SEMANA DO TEMPO COMUM – QUARTA-FEIRA – 13/11/2019 –

3Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que do alto do céu nos abençoou com toda a bênção espiritual em Cristo,4e nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis, diante de seus olhos.5No seu amor nos predestinou para sermos adotados como filhos seus por Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua livre vontade,6para fazer resplandecer a sua maravilhosa graça, que nos foi concedida por ele no Bem-amado.  7Nesse Filho, pelo seu sangue, temos a Redenção, a remissão dos pecados, segundo as riquezas da sua graça8que derramou profusamente sobre nós, em torrentes de sabedoria e de prudência.” (Ef 1, 3-8)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DO LIVRO DA SABEDORIA – (Sb  6,1-11) –

1Escutai, ó reis, e compreendei. Instruí-vos, governadores dos confins da terra! 2Prestai atenção, vós que dominais as multidões e vos orgulhais do número de vossos súditos. 3Pois o poder vos foi dado pelo Senhor, e a soberania, pelo Altíssimo. É ele quem examinará as vossas obras e sondará as vossas intenções; 4apesar de estardes ao serviço do seu reino, não julgastes com retidão, nem observastes a lei, nem procedestes conforme a vontade de Deus. 5Por isso, ele cairá de repente sobre vós, de modo terrível, porque um julgamento implacável será feito sobre os poderosos. 6O pequeno pode ser perdoado por misericórdia, mas os poderosos serão examinados com poder. 7O Senhor de todos não recuará diante de ninguém nem se deixará impressionar pela grandeza, porque o pequeno e o grande, foi ele quem os fez, e a sua providência é a mesma para com todos; 8mas, para os poderosos, o julgamento será severo. 9A vós, pois, governantes, dirigem-se as minhas palavras, para que aprendais a sabedoria e não venhais a tropeçar. 10Os que observam fielmente as coisas santas serão justificados; e os que as aprenderem vão encontrar sua defesa. 11Portanto, desejai ardentemente minhas palavras, amai-as e sereis instruídos.                    

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Lc 17,11-19

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

11Aconteceu que, caminhando para Jerusalém, Jesus passava entre a Samaria e a Galileia. 12Quando estava para entrar num povoado, dez leprosos vieram ao seu encontro. Pararam a distância 13e gritaram: “Jesus, mestre, tem compaixão de nós!” 14Ao vê-los, Jesus disse: “Ide apresentar-vos aos sacerdotes”. Enquanto caminhavam, aconteceu que ficaram curados. 15Um deles, ao perceber que estava curado, voltou glorificando a Deus em alta voz; 16atirou-se aos pés de Jesus com o rosto por terra e lhe agradeceu. E este era um samaritano. 17Então Jesus lhe perguntou: “Não foram dez os curados? E os outros nove, onde estão? 18Não houve quem voltasse para dar glória a Deus, a não ser este estrangeiro?” 19E disse-lhe: “Levanta-te e vai! Tua fé te salvou”.’                    

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/    

nov 12

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS SUGERIDAS PARA HOJE

BÍBLIA - ANTIGO TESTAMENTO

32ª SEMANA DO TEMPO COMUM – TERÇA-FEIRA – 12/11/2019 –

3Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que do alto do céu nos abençoou com toda a bênção espiritual em Cristo,4e nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis, diante de seus olhos.5No seu amor nos predestinou para sermos adotados como filhos seus por Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua livre vontade,6para fazer resplandecer a sua maravilhosa graça, que nos foi concedida por ele no Bem-amado.  7Nesse Filho, pelo seu sangue, temos a Redenção, a remissão dos pecados, segundo as riquezas da sua graça8que derramou profusamente sobre nós, em torrentes de sabedoria e de prudência.” (Ef 1, 3-8)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DO LIVRO DA SABEDORIA – (Sb  2,23-3,9) –

23Deus criou o homem para a imortalidade e o fez à imagem de sua própria natureza; 24foi por inveja do diabo que a morte entrou no mundo, e experimentam-na os que a ele pertencem. 3,1A vida dos justos está nas mãos de Deus, e nenhum tormento os atingirá. 2Aos olhos dos insensatos parecem ter morrido; sua saída do mundo foi considerada uma desgraça, 3e sua partida do meio de nós, uma destruição; mas eles estão em paz. 4Aos olhos dos homens parecem ter sido castigados, mas sua esperança é cheia de imortalidade; 5tendo sofrido leves correções, serão cumulados de grandes bens, porque Deus os pôs à prova e os achou dignos de si. 6Provou-os como se prova o ouro no fogo e aceitou-os como ofertas de holocausto; 7no dia do seu julgamento hão de brilhar, correndo como centelhas no meio da palha; 8vão julgar as nações e dominar os povos, e o Senhor reinará sobre eles para sempre. 9Os que nele confiam compreenderão a verdade, e os que perseveram no amor ficarão junto dele, porque a graça e a misericórdia são para seus eleitos.                    

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Lc 17,7-10

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus: 7“Se algum de vós tem um empregado que trabalha a terra ou cuida dos animais, por acaso vai dizer-lhe, quando ele volta do campo: ‘Vem depressa para a mesa’? 8Pelo contrário, não vai dizer ao empregado: ‘Prepara-me o jantar, cinge-te e serve-me, enquanto eu como e bebo; depois disso tu poderás comer e beber’? 9Será que vai agradecer ao empregado, porque fez o que lhe havia mandado? 10Assim também vós, quando tiverdes feito tudo o que vos mandaram, dizei: ‘Somos servos inúteis; fizemos o que devíamos fazer’”.                    

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/    

Posts mais antigos «

Apoio: