Lisaac

Sementes da Palavra, É tempo de semear

Arquivo por mês: setembro 2020

set 23

LEITURA DIÁRIA: É PRECISO CAMINHAR COM DEUS

BÍBLIA - DIA DE LER

25ª SEMANA DO TEMPO COMUM – QUARTA-FEIRA – 23/09/2020 –

26Durante a refeição, Jesus tomou o pão, benzeu-o, partiu-o e o deu aos discípulos, dizendo: Tomai e comei, isto é meu corpo.27Tomou depois o cálice, rendeu graças e deu-lho, dizendo: Bebei dele todos,28porque isto é meu sangue, o sangue da Nova Aliança, derramado por muitos homens em remissão dos pecados.29Digo-vos: doravante não beberei mais desse fruto da vinha até o dia em que o beberei de novo convosco no Reino de meu Pai. 31Disse-lhes então Jesus: Esta noite serei para todos vós uma ocasião de queda; porque está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas do rebanho serão dispersadas (Zc 13,7).32Mas, depois da minha Ressurreição, eu vos precederei na Galileia. (Mt 26, 26-31.32)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DO LIVRO DOS PROVÉRBIOS – (Prov 30,5-9) –

5A Palavra de Deus é comprovada. Ele é um escudo para os que nele se abrigam. 6Não acrescentes nada às suas palavras, para que ele não te repreenda e passes por mentiroso! 7Duas coisas eu te pedi; não mas recuses, antes de eu morrer: 8afasta de mim a falsidade e a mentira, não me dês pobreza nem riqueza, mas concede-me o pão que me é necessário. 9Não aconteça que, saciado, eu te renegue e diga: “Quem é o Senhor?” Ou que, empobrecido, eu me ponha a roubar e profane o nome de meu Deus.                                 

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Lc 9,1-6

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1Jesus convocou os doze, deu-lhes poder e autoridade sobre todos os demônios e para curar doenças 2e enviou-os a proclamar o Reino de Deus e a curar os enfermos. 3E disse-lhes: “Não leveis nada para o caminho: nem cajado, nem sacola, nem pão, nem dinheiro, nem mesmo duas túnicas. 4Em qualquer casa onde entrardes, ficai aí; e daí é que partireis de novo. 5Todos aqueles que não vos acolherem, ao sairdes daquela cidade, sacudi a poeira dos vossos pés como protesto contra eles”. 6Os discípulos partiram e percorriam os povoados, anunciando a Boa-nova e fazendo curas em todos os lugares.                             

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/  

set 22

LEITURA DIÁRIA: É PRECISO CAMINHAR COM DEUS

BÍBLIA - DIA DE LER

25ª SEMANA DO TEMPO COMUM – TERÇA-FEIRA – 22/09/2020 –

26Durante a refeição, Jesus tomou o pão, benzeu-o, partiu-o e o deu aos discípulos, dizendo: Tomai e comei, isto é meu corpo.27Tomou depois o cálice, rendeu graças e deu-lho, dizendo: Bebei dele todos,28porque isto é meu sangue, o sangue da Nova Aliança, derramado por muitos homens em remissão dos pecados.29Digo-vos: doravante não beberei mais desse fruto da vinha até o dia em que o beberei de novo convosco no Reino de meu Pai. 31Disse-lhes então Jesus: Esta noite serei para todos vós uma ocasião de queda; porque está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas do rebanho serão dispersadas (Zc 13,7).32Mas, depois da minha Ressurreição, eu vos precederei na Galileia. (Mt 26, 26-31.32)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DO LIVRO DOS PROVÉRBIOS – (Prov 21,1-6.10-13) –

1O coração do rei nas mãos do Senhor é como água corrente; ele o dirige para onde quer. 2O homem pensa que o seu caminho é sempre reto, mas é o Senhor quem sonda os corações. 3Praticar a justiça e o direito é mais agradável ao Senhor do que os sacrifícios. 4Olhar arrogante e coração orgulhoso, a lâmpada dos malvados não é senão o pecado. 5Os projetos do homem aplicado produzem abundância, mas todos os apressados só alcançam indigência. 6Tesouros adquiridos com língua mentirosa são ilusão passageira dos que procuram a morte. 10A alma do malvado deseja o mal, ele olha sem piedade para o seu próximo. 11Quando se castiga o zombador, aprende o imbecil, e quando o sábio é instruído, ele adquire mais saber. 12O justo observa a casa do ímpio e leva os ímpios à desgraça. 13Quem tapa os ouvidos ao clamor do pobre também há de clamar, mas não será ouvido.                                 

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Lc 8,19-21

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 19a mãe e os irmãos de Jesus aproximaram-se, mas não podiam chegar perto dele por causa da multidão. 20Então anunciaram a Jesus: “Tua mãe e teus irmãos estão aí fora e querem te ver”. 21Jesus respondeu: “Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a Palavra de Deus e a põem em prática”.                             

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

set 21

EDITORIAL DA SEMANA: A LAUDATO SI’, OS POBRES E OS HUMILDES DO EVANGELHO

LAUDATO SI - 2020

MEIO AMBIENTE: FARISEUS E ET’s ESTÃO NO MEIO DE NÓS –

*Por L. A. de Moura –

Você, certamente, já ouviu falar, tanto sobre fariseus, quanto sobre extraterrestres, mais conhecidos como ET’s, não já? Claro que sim. Porém, caso não tenha ouvido falar sobre, ou não compreenda muito bem, o termo “fariseu”, vou te dar uma ajudinha. Sempre que utilizamos este termo para fazer referência a alguém, estamos, na verdade, fazendo menção àqueles homens, do tempo de Jesus que, ligados fortemente ao judaísmo, exigiam a observação rigorosa da lei escrita por Moisés, compilada nos cinco primeiros Livros do Antigo Testamento ou Rolos da Lei – para nós, o Pentateuco – porém, não observavam nada do que exigiam dos outros. Tanto assim que, a respeito deles, Jesus dizia: “Observai, pois, e fazei tudo o que eles vos disserem; mas não imiteis as suas ações. Atam cargas pesadas e impossíveis de levar, e as põem sobre os ombros dos homens, mas nem com um dedo as querem mover.” (Mt 23, 3-4). Pois é, os tais fariseus eram assim, falavam, falavam, falavam mas, fazer, que é bom, nada! E Jesus, sábio que era, já tinha manjado os caras.

Sobre ET’s acho desnecessário falar qualquer coisa, você já sabe o suficiente. Bem, apesar de estarmos, aparentemente, distantes, tanto daqueles fariseus, quanto dos tais ET’s, a verdade é que, de fato, eles estão mais próximos de nós do que nunca. E, normalmente, poderíamos afirmar, são ET’s fariseus, ou fariseus ET’s, porque, além de um assombroso farisaísmo, demonstram ser originários de outros planetas, em razão das ideias que propõem para nós viventes. Só para nós!

É óbvio que eu, e você perceberá isso de cara, não vou ficar, aqui, dando nomes aos bois, porque senão eles me agarram na próxima esquina, porque, acima de qualquer outra coisa, são ágeis para fazer o mal, principalmente, contra quem os critica.

No entanto, vou convidar você, e quantos mais quiserem, a virem comigo para uma suave e proveitosa caminhada. Vamos falar sobre um tema que não sai da pauta dos grandes homens do nosso tempo: o meio ambiente e tudo o que o envolve, inclusive, a alarmante crise socioambiental, da qual o Papa Francisco fala na Carta Encíclica LAUDATO SI' e em diversas outras oportunidades.

É claro que você, não apenas já ouviu falar sobre este tema, como, também, tem ouvido falar sempre, e de forma repetitiva, sobre ele. O que eu não posso afirmar, com segurança, é que você esteja, realmente, familiarizado com a coisa. E por que digo isto? Porque, e é aí que começam a aparecer os primeiros fariseus nesta história, você ouve falar sempre sobre o tema do meio ambiente, das agressões impostas a ele, do mal sofrido pela natureza e de todas as consequências daí resultantes sem que, no entanto, alguém apareça na sua casa, na sua igreja ou na sua comunidade, para fazer demonstrações concretas, capazes de, não apenas comprovar tudo o que dizem, que, de fato, é verdade, mas, e sobretudo, de te convencer a abraçar a luta pela preservação do meio ambiente e mais: te auxiliar na luta diária por esta necessária regeneração.

Ora, venha comigo: se técnicos, cientistas e pesquisadores marcassem um encontro coletivo com a sua comunidade de bairro, para apresentar depoimentos e vídeos demonstrativos de todo o mal que causa à natureza e à própria Mãe-Terra, o simples fato de não saber separar corretamente, por exemplo, o lixo caseiro, já prestariam um serviço muito grande à causa, não é verdade? Se estes senhores e estas senhoras saíssem dos seus gabinetes, levando seus inúmeros assistentes, pastas, vídeos e colaboradores, e se apresentassem nos sindicatos de trabalhadores e/ou de empregadores, para a demonstração de quanto mal é causado aos peixes e aos micro-organismos, o despejo do esgoto in natura nos rios, nos córregos e nos mares; se apresentassem o resultado das suas pesquisas de campo e de laboratório, a comprovarem todas as estatísticas apresentadas em todos os foros nacionais e internacionais, certamente, ampliariam em muito a participação dos trabalhadores e, quiçá, de alguns empregadores também, na incansável batalha pela reversão de todo o mal causado à vida e à natureza.

E mais: se técnicos, pesquisadores, cientistas e desenvolvedores de projetos ambientais, ensinassem às comunidades, na prática, como construírem e fazerem a manutenção de fossas assépticas com, inclusive, o tratamento final e o reaproveitamento de parte considerável da água que por ali circula, sem sombra de dúvida, trariam uma grande parte da população mais pobre e mais humilde para a frente de batalha pela preservação do meio ambiente. Eu mesmo fiz esta experiência na minha casa: desenvolvi um projeto neste sentido. Fiz o desenho, construí e faço periódica manutenção do esgoto caseiro sem, no entanto, conseguir levar avante a divulgação do projeto, por não encontrar ninguém interessado em, ao menos, conhecê-lo. É assim que acontece: se a coisa não representa prestígio para os “sábios”, eles simplesmente fingem desconhecer. Você sabe como funciona: eles sempre alegam falta de tempo e de pessoal. Agora, é a pandemia, claro!

Ora, você haverá de concordar que, sem a participação intensa e ostensiva dos seres humanos, a guerra contra a destruição do meio ambiente está longe de ser vencida, se é que será algum dia. Veja, por exemplo, o que está ocorrendo nos supermercados, em relação às tais “sacolas plásticas”: você não tem mais direito de usá-las, porque contaminam de forma bastante agressiva o meio ambiente. Até aí, tudo bem. Isto é verdade! Entretanto, as “sacolinhas” recomendadas, são vendidas, gerando um lucro absurdo. Imagine por exemplo que, se, em apenas UM simples final de semana, em todo o país, 120 milhões de brasileiros forem aos incontáveis supermercados, e se cada um pagar R$ 0,05 (em alguns lugares é mais caro ainda) por cada sacolinha, teremos a espantosa cifra de R$ 6.000.000,00 (seis milhões de reais) circulando naquele weekend. E você sabe que minha conta está subestimada. Em um final de semana o número de brasileiros que vão às compras em supermercados e assemelhados supera, em muito, os tais 120 milhões! Se não superar em número de pessoas, supera seguramente em número de sacolas vendidas. Pois bem, você adquire a tal sacolinha, para “colaborar com a preservação do meio ambiente”. No entanto, no interior do supermercado, em cada setor, existem rolos e mais rolos de embalagens plásticas tradicionais, dispostas, de graça, para você separar os itens a serem comprados. Embalagens que contaminam enormemente o ecossistema como um todo, e ninguém, ninguém fala ou faz absolutamente nada!!!

Muitos populares até questionam tudo isto, eu já presenciei, e já questionei também. Mas, quem lhes dá ouvidos? Quem nos dá ouvidos? Entretanto, campanhas realizadas abertamente nas praças, escolas, igrejas, quadras de esportes, salões paroquiais etc., promovidas e patrocinadas pelo meio acadêmico, por institutos de pesquisas com seus técnicos e cientistas, pelas igrejas e por outros setores da sociedade seriamente comprometidos, é óbvio que produziriam excelentes outros resultados. E estas campanhas não deveriam acontecer em um ou outro dos lugares acima descritos não. Deveriam ocorrer sempre, e em cada um deles a seu tempo.

Mas, você sabe que não é assim. O padre, às vezes comenta sobre o cuidado com a “casa comum”; O pastor, sempre que pode, fala alguma coisa também. Os políticos, principalmente, nas épocas próprias, também, não fogem do assunto. No mais, o que dizer?

Recentemente, só para te dar um exemplo bem quente, participei de um evento comemorativo do aniversário de um documento publicado pelo Papa Francisco, em contundente defesa do meio ambiente. Um evento muito bem organizado, envolvendo setores acadêmicos e religiosos. Pessoas altamente qualificadas foram convidadas a darem seus testemunhos e suas contribuições científicas, analíticas e críticas. Muito bom mesmo! Coisa de altíssimo nível. No entanto, não ouvi a voz de nenhum índio; de nenhum líder comunitário; de nenhuma professora do ensino fundamental de qualquer escola dos países envolvidos no evento; não ouvi a voz de nenhuma dona de casa. O “seu João”, a “dona Maria”, o “seu Pedro”, a “dona Joana” ou o “seu Zé”, nem mesmo o famoso “Hernandez”, foram convidados a se pronunciarem. Parece que ninguém da parte de baixo da pirâmide social foi convidado para falar, sequer, sobre suas dúvidas em relação ao meio ambiente e, principalmente, sobre a forma como poderiam contribuir, mais e melhor, para reverter aquilo que, inclusive, foi destacado como “ecocídio”. Isto não é uma crítica, é uma constatação. Quase sempre é assim: o povo, o pobre, o desvalido, o prejudicado, o sofrido, o esquecido, quase nunca é chamado para falar o que sabe, o que pensa ou o que sugere. É como se nós, cá de baixo, nada soubéssemos. Apenas eles sabem de tudo; apenas eles são capazes de entabular caminhos e soluções para os problemas da humanidade, sem conseguirem perceber que o problema envolve absolutamente todos os seres humanos, de forma unitária, unida e unificada.

Existe um documentário produzido por Marianne Thieme, deputada nos Países Baixos, pelo Partido dos Animais, cujo título é “Meat The Truth – Uma verdade mais do que inconveniente” (legendado), no qual ela expõe as mazelas relacionadas com o meio ambiente, demonstrando o quanto, percentualmente falando, a pecuária, o consumo de carne e a produção mercadológica de animais para o abate representam na contagem da quantidade de CO2 lançada na atmosfera. Neste documentário, que sugiro que você assista no YouTube (https://www.youtube.com/watch?v=u7LBPHtOBnk&t=12s), ela conversa com autoridades, com cientistas, com fazendeiros e com populares, nas ruas, questionando-os e ouvido suas opiniões e sugestões. Tudo muito diferente do que se faz nas bandas de cá, onde o povo só aparece em fotos e em cartazes pregados nas paredes das escolas e das aldeias indígenas.

Mas, do lado de cá, se você escalar a pirâmide social e cultural um pouco mais acima, verá que a conversa é outra: é uma rasgação de seda só. Gente importante abraçando gente importante; doutores confraternizado com outros doutores. Todos muito simpáticos uns com os outros, colhendo impressões e opiniões; promovendo lançamentos de livros de muitos dos amigos presentes. Gente defendendo ideias do outro mundo. Discutindo sobre a possibilidade de existência de vida nesta galáxia ou na próxima mais próxima, ou coisas do gênero. Coisas de ET's mesmo!

Bem, você então chegará à conclusão: são, mesmo, muito parecidos com os fariseus, também! Mas, eu ainda não te contei tudo. Sabe aquela conversa do meio ambiente, de economizar água para que todos possam tê-la na medida das suas necessidades? É uma conversa muito útil, muito bacana e atual. No entanto, enquanto você é compelido a economizar o máximo de água, os senhores da razão e da verdade lavam seus carrões com água em abundância; lavam, ou mandam lavar, suas calçadas, além de promoverem a troca da água da piscina sempre que desejam. E, para se eximirem de qualquer culpa, haverá sempre aquele(a) que alegará estar comprando água própria, para economizar a da região! Enquanto eles orientam você a usar o mínimo de lâmpadas possíveis, na sua casa, eles colocam lâmpadas até no interior do canil, para o pobre cãozinho não andar no escuro durante a noite. E não pense que estou exagerando não. Não estou não! Prova disto é que tem ator famoso fazendo publicidade na TV, perguntando abertamente: “se todo mundo concorda, por que não fazemos?”, e arrematando: “quem concorda faz!”. Você já deve ter visto, não viu? Só que este recado foca em mim, em você, em quem, de fato, tem consciência.

Ora, se a gente quisesse, e você sabe disto muito bem, poderíamos escrever muito mais, não é verdade? Mas, vamos encerrando por aqui.

Acho que já deu para você perceber que fariseus e ET’s estão no meio de nós. E, como ensinou o Mestre de Nazaré, façamos o que eles dizem, mas, não imitemos as suas práticas.

E te digo mais: façamos mais do que eles dizem. Façamos o que eles não fazem. Unamo-nos em torno do meio ambiente e cuidemos para que o nosso mundo seja um lugar melhor e mais promissor.

Em primeiro lugar, quero sugerir que você compre imediatamente (não custa caro não), um exemplar da Carta Encíclica chamada LAUDATO SI’, escrita pelo Papa Francisco, no ano de 2015, para alertar o mundo todo sobre os danos que estão sendo impostos à nossa casa comum, como ele chama o Planeta Terra. Será que você já ouviu falar sobre esta Carta? Em qualquer caso, compre-a e leia. A leitura, na linguagem utilizada pelo Papa, é muito simples, qualquer pessoa alfabetizada é capaz de ler e de entender plenamente tudo o que o Papa quer transmitir. Depois que você fizer isto, compartilha a ideia com seus amigos, contatos no WhatsApp, vizinhos, irmãos e irmãs na fé, colegas de trabalho e, se conhecer algum ET, compartilha com ele também, vai que ele decide ficar morando por aqui.

Mais adiante, sem deixar a ideia morrer, chama todo mundo para reuniões ambientais, convocando algum mais falante para esclarecer melhor as dúvidas e, todos, juntos, proponham iniciativas úteis e fáceis de executar na própria comunidade. Um exemplo simples: distribuindo panfletos explicativos entre os moradores, pedindo para que evitem jogar lixo nas ruas ou nos riachos, separando-os de forma seletiva; solicitando aos fumantes para que apaguem totalmente suas guimbas de cigarros, antes de descartá-las nas lixeiras mais próximas, de modo a evitarem incêndios desastrosos. E por aí vai. Você perceberá que a maioria da comunidade aceitará participar destas iniciativas, com boa vontade, porque todos reconhecerão que tudo será revertido em benefício comum.

Você e seus amigos, parentes, vizinhos, irmãos e irmãs na fé, perceberão que o Papa chama de “casa comum” a Terra onde eu, você e todos nós temos a nossa morada. Faça esta experiência no seu bairro; no seu condomínio, no seu trabalho, na sua igreja, e se sentirá verdadeiramente útil. Deixa os fariseus cuidarem dos seus iguais. Não se preocupe com eles não. Eles nunca souberam o que é tocar a terra com a mão desnuda ou com os pés descalços, como os índios e os absolutamente pobres fazem, às vezes por necessidade sim, mas, sempre, por amor à Terra também.

Escrevi este texto para que, ao lê-lo sinta-se acolhido(a) por um igual a você. Para que você saiba que esta seria a atitude de Jesus em relação a você e a todos os seus entes queridos e unidos na mesma sorte. Jesus falava com os fariseus, mas, não andava com eles, não comia nem bebia com eles, porque sabia quem eram, o que faziam e o que pensavam. Espero que você valorize minhas sugestões e, comprando a Laudato Si’, possa iniciar o melhor e o maior projeto socioambiental da sua vida. Se precisar de mim, é só falar. Mas tenho certeza de que será capaz de reunir outras pessoas tão fortes, inteligentes, poderosas e importantes como você. Faça isto! Seja feliz, e boa sorte!

______________________________________________________

*L. A. de Moura, é estudante de Filosofia, é estudioso de Teologia, é um pensador espiritualista, um caminhante e um cultor do silêncio.

set 21

LEITURA DIÁRIA: É PRECISO CAMINHAR COM DEUS

BÍBLIA - DIA DE LER

25ª SEMANA DO TEMPO COMUM – SEGUNDA-FEIRA – 21/09/2020 –

26Durante a refeição, Jesus tomou o pão, benzeu-o, partiu-o e o deu aos discípulos, dizendo: Tomai e comei, isto é meu corpo.27Tomou depois o cálice, rendeu graças e deu-lho, dizendo: Bebei dele todos,28porque isto é meu sangue, o sangue da Nova Aliança, derramado por muitos homens em remissão dos pecados.29Digo-vos: doravante não beberei mais desse fruto da vinha até o dia em que o beberei de novo convosco no Reino de meu Pai. 31Disse-lhes então Jesus: Esta noite serei para todos vós uma ocasião de queda; porque está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas do rebanho serão dispersadas (Zc 13,7).32Mas, depois da minha Ressurreição, eu vos precederei na Galileia. (Mt 26, 26-31.32)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DA PRIMEIRA CARTA DE SÃO PAULO AOS EFÉSIOS – (Ef 4,1-7.11-13’) –

Irmãos, 1eu, prisioneiro no Senhor, vos exorto a caminhardes de acordo com a vocação que recebestes: 2com toda a humildade e mansidão, suportai-vos uns aos outros com paciência, no amor. 3Aplicai-vos a guardar a unidade do espírito pelo vínculo da paz. 4Há um só corpo e um só Espírito, como também é uma só a esperança à qual fostes chamados. 5Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo, 6um só Deus e Pai de todos, que reina sobre todos, age por meio de todos e permanece em todos. 7Cada um de nós recebeu a graça na medida em que Cristo lha deu. 11E foi ele quem instituiu alguns como apóstolos, outros como profetas, outros ainda como evangelistas, outros, enfim, como pastores e mestres. 12Assim, ele capacitou os santos para o ministério, para edificar o corpo de Cristo, 13até que cheguemos todos juntos à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, ao estado do homem perfeito e à estatura de Cristo em sua plenitude.                                 

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Mt 9,9-13

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 9Jesus viu um homem, chamado Mateus, sentado na coletoria de impostos e disse-lhe: “Segue-me!” Ele se levantou e seguiu a Jesus. 10Enquanto Jesus estava à mesa, em casa de Mateus, vieram muitos cobradores de impostos e pecadores e sentaram-se à mesa com Jesus e seus discípulos. 11Alguns fariseus viram isso e perguntaram aos discípulos: “Por que vosso mestre come com os cobradores de impostos e pecadores?” 12Jesus ouviu a pergunta e respondeu: “Aqueles que têm saúde não precisam de médico, mas sim os doentes. 13Aprendei, pois, o que significa: ‘Quero misericórdia e não sacrifício’. De fato, eu não vim para chamar os justos, mas os pecadores”.                             

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

set 20

COMENTANDO O EVANGELHO: POR MONS. JOSÉ MARIA PEREIRA

ZÉ MARIA - 2018

XXV DOMINGO DO TEMPO COMUM – PATRÃO GENEROSO!

*Por Mons. José Maria Pereira –

Aqui encontramo-nos, de imediato, frente a frente com Deus que nos fala em primeira pessoa: “Pois os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, e vossos caminhos não são os meus caminhos”, diz o Senhor (Is 55,8). No Salmo 144 (145): Grande é o Senhor e muito digno de louvores, e ninguém pode medir sua grandeza.

Grande, justo, bom, santo: Assim também Jesus rezava e louvava o Pai.

O homem não pode reduzir Deus à medida dos seus pensamentos, nem condicionar o comportamento do Altíssimo às suas categorias de justiça e de bondade. Deus está muito acima do homem, muito mais do que está o céu acima da terra (Is 55,9); por isso, muitas vezes os projetos da sua providência são incompreensíveis à inteligência humana, que os deve aceitar com humildade, sem pretender advinha-los ou julgá-los. Quantas vezes ficamos aquém das maravilhas que Deus nos preparou! Quantas vezes os nossos planos se revelam tão estreitos!

É este o ensinamento profundo contido na parábola dos trabalhadores da vinha (Mt 20,1-16). Jesus narra precisamente a parábola do senhor da vinha que em diversas horas do dia chama trabalhadores para a sua vinha. E à tarde dá a todos o mesmo salário, uma moeda, suscitando o protesto daqueles da primeira hora. É claro que aquela moeda representa a vida eterna, dádiva que Deus reserva a todos. Aliás, precisamente aqueles que são considerados os “últimos”, se O aceitarem, serão os “primeiros”, enquanto os “primeiros” podem correr o risco de ser os “últimos”. Uma primeira mensagem desta parábola está no próprio fato de que o Senhor não tolera, por assim dizer, o desemprego: quer que todos estejam ocupados na sua vinha. E na realidade ser chamado é já a primeira recompensa: poder trabalhar na vinha do Senhor, pôr-se ao seu serviço, colaborar para a sua obra, constitui por si mesmo um prêmio inestimável, que recompensa todo o esforço. Mas só o compreende quem ama o Senhor e o seu Reino; pelo contrário, quem trabalha unicamente pelo salário nunca se dará conta do valor deste tesouro inestimável.

Trata-se de um patrão que saiu de manhã cedo para contratar trabalhadores para a sua vinha. Combina com eles uma moeda de prata por dia. Torna a sair pelas nove, pelo meio dia, pelas três da tarde e pelas cindo da tarde. Chegado o fim do dia, manda pagar a todos o mesmo salário, a começar pelos últimos. Os primeiros murmuraram, pensando que haviam de receber mais. O patrão mostra que não é injusto para com os primeiros, e defende o direito de fazer o bem. Por que o patrão age assim? A resposta está no fim: “Porque eu sou bom!” Jesus quer dizer que o modo de agir dele é cópia do modo de agir de Deus; Ele é bom e por isso eu também o sou. O dono se compadece de sua pobreza e por isso manda pagar uma diária inteira. A parábola não descreve um ato arbitrário, mas um gesto de uma pessoa cheia de bondade, generosa e de fina sensibilidade para com os pobres. Deus é assim! – quis dizer Jesus; é tão bom que faz participar de seu Reino também os publicanos e pecadores.

Mas eis que logo aparecem os pensamentos do homem. Eles se manifestam murmurando contra os primeiros contratados.

Esses homens têm inveja da bondade de Deus; gostariam que fosse prerrogativa só sua e se escandalizam de que Deus (e Jesus Cristo) se mostre tão generoso com quem, segundo eles, não o merece. A parábola evangélica de hoje nasceu desta situação que se criou ao redor de Jesus de Nazaré: justificar a Boa-Nova do Reino das contínuas acusações dos adversários. Agindo assim, quanta luz de revelação irradiou a parábola: luz de como é Deus, luz para saber quem é Jesus Cristo, luz sobre como são feitos os homens.

Esta parábola pode aplicar-se ao povo judeu, que passou para o último lugar porque não reconheceu o dom de Deus. Depois chamou também os gentios. Todos são chamados com o mesmo direito a fazer parte do novo Povo de Deus, que é a Igreja. Para todos o convite é gratuito. Por isso, os Judeus, que foram chamados primeiro, não teriam razão ao murmurar contra Deus pela escolha dos últimos, que têm o mesmo prêmio: fazer parte do Seu Povo. À primeira vista, o protesto dos trabalhadores da primeira hora parece justo. E parece-o, porque não compreendeu que poder trabalhar na vinha do Senhor é um dom divino. Jesus deixa claro com a parábola que são diversos os caminhos pelos quais chama, mas que o prêmio é sempre o mesmo: o Céu!

Com esta parábola o Senhor não deseja dar-nos uma lição de moral salarial ou profissional, mas sublinhar que, no mundo da Graça, tudo é um puro dom, mesmo o que parece ser um direito que nos assiste pelas nossas boas obras. 

Os que fomos chamados a diferentes horas para trabalhar na vinha do Senhor, só temos motivos de agradecimento. A chamada, em si mesma, já é uma honra. “Não há ninguém, afirma São Bernardo, que, por pouco que reflita, não encontre em si mesmo poderosos motivos que o obriguem a mostrar-se agradecido a Deus. E especialmente nós, porque o Senhor nos escolheu para si e nos guardou para o servirmos somente a Ele”. É imenso o trabalho na vinha do Senhor! O patrão insiste com mais energia no seu convite: “Ide vós também para a minha vinha”.

Podemos ficar indiferentes diante de tantos que não conhecem a figura de Cristo? No campo do Senhor há trabalho para todos! Deus não chega nem demasiado cedo nem demasiado tarde às nossas vidas. O que Ele quer é que, a partir do momento em que nos visitou na sua misericórdia, nos sintamos verdadeiramente comprometidos a trabalhar na sua vinha, com todas as forças e com todo o entusiasmo, sem nos esquivarmos com promessas futuras, nem desanimarmos com o tempo perdido.

Não são gratas ao Senhor as queixas estéreis, que revelam falta de fé, ou mesmo um sentido negativo e cético do ambiente que nos rodeia. Esta é a vinha e este é o campo em que o Senhor quer que estejamos inseridos nessa sociedade que apresenta os seus valores e deficiências. É na nossa própria família, e não em outra, que devemos santificar-nos, e é essa família que devemos levar a Deus; e o trabalho que nos espera hoje, na Universidade ou no escritório, e não outro, que devemos converter em trabalho de Deus…Esta é a vinha do Senhor, onde Ele quer que trabalhemos sem falsas desculpas, sem saudosismos, sem exagerar as dificuldades, sem esperar oportunidades melhores.

Para levarmos a cabo este apostolado, temos todas as graças necessárias. É nisto que se fundamenta todo o nosso otimismo. Deus chama-me e envia-me como trabalhador para a sua vinha; chama-me e envia-me a trabalhar para o advento do seu Reino na história: esta vocação e missão pessoal define a dignidade e a responsabilidade de cada fiel leigo e constitui o ponto forte de toda a ação formativa.

O Senhor quer nos mostrar que no mundo da Graça não se podem fazer valer quaisquer direitos. É certo que o homem deve colaborar na sua salvação eterna, mas esta é um bem tão sublime que jamais deixa de ser um dom, até mesmo para as almas mais santas.

Deus pode chamar a qualquer hora e o homem deve estar sempre pronto para responder ao Seu chamamento. “Buscai o Senhor, enquanto pode ser achado; invocai-o, enquanto Ele está perto” (Is 55,6). Continuemos o trabalho na vinha do Senhor! Rejeitemos o pessimismo e a tristeza, se alguma vez não obtemos o resultado que esperávamos.

“Não admitas o desalento no teu apostolado. Não fracassaste, como Jesus também não fracassou na Cruz.  Ânimo!  Continua contra a corrente, protegido pelo Coração Materno e Puríssimo de Nossa Senhora! Tu és o meu refúgio e a minha fortaleza.

“Tranquilo. Sereno... Deus tem muito poucos amigos na terra. Não te esquives ao peso dos dias, ainda que às vezes se nos tornem muito longos” (São Josemaria Escrivá, Via Sacra, Xlll estação).

Na Eucaristia que é celebrada, nos reunimos ao redor de Jesus agradecidos e humildes como aqueles últimos chegados da parábola que foram receber seu dinheiro e voltaram para casa cheios de alegria por causa da generosidade do dono. Aquele dinheiro é o Reino de Deus que Jesus traz consigo como presente: aliás, é Jesus em pessoa!

____________________________________________________

*Monsenhor José Maria Pereira, Sacerdote da Diocese de Petrópolis, é, também, Professor, Juiz do Tribunal Eclesiástico Interdiocesano de Niterói e Diocesano de Petrópolis e Vigário da Paróquia de São José do ItamaratI, enviando para o site, semanalmente, a homilia do domingo.

       

set 20

LEITURA DIÁRIA: É PRECISO CAMINHAR COM DEUS

BÍBLIA NOVÍSSIMA

25º DOMINGO DO TEMPO COMUM – 20/09/2020

26Durante a refeição, Jesus tomou o pão, benzeu-o, partiu-o e o deu aos discípulos, dizendo: Tomai e comei, isto é meu corpo.27Tomou depois o cálice, rendeu graças e deu-lho, dizendo: Bebei dele todos,28porque isto é meu sangue, o sangue da Nova Aliança, derramado por muitos homens em remissão dos pecados.29Digo-vos: doravante não beberei mais desse fruto da vinha até o dia em que o beberei de novo convosco no Reino de meu Pai. 31Disse-lhes então Jesus: Esta noite serei para todos vós uma ocasião de queda; porque está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas do rebanho serão dispersadas (Zc 13,7).32Mas, depois da minha Ressurreição, eu vos precederei na Galileia. (Mt 26, 26-31.32)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DO LIVRO DO PROFETA ISAÍAS – (Is 55,6-9) –

6Buscai o Senhor, enquanto pode ser achado; invocai-o, enquanto ele está perto. 7Abandone o ímpio seu caminho, e o homem injusto, suas maquinações; volte para o Senhor, que terá piedade dele, volte para nosso Deus, que é generoso no perdão. 8Meus pensamentos não são como os vossos pensamentos, e vossos caminhos não são como os meus caminhos, diz o Senhor. 9Estão meus caminhos tão acima dos vossos caminhos e meus pensamentos acima dos vossos pensamentos quanto está o céu acima da terra.       

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

SALMO RESPONSORIAL: Sl 144(145)

R. O Senhor está perto da pessoa que o invoca!

1. Todos os dias haverei de bendizer-vos, / hei de louvar o vosso nome para sempre. / Grande é o Senhor e muito digno de louvores, / e ninguém pode medir sua grandeza. 

R. O Senhor está perto da pessoa que o invoca!

2. Misericórdia e piedade é o Senhor, / ele é amor, é paciência, é compaixão. / O Senhor é muito bom para com todos, / sua ternura abraça toda criatura. 

R. O Senhor está perto da pessoa que o invoca!

3. É justo o Senhor em seus caminhos, / é santo em toda obra que ele faz. / Ele está perto da pessoa que o invoca, / de todo aquele que o invoca lealmente. 

R. O Senhor está perto da pessoa que o invoca!

SEGUNDA LEITURA:

LEITURA DA CARTA DE SÃO PAULO AOS FILIPENSES – (Fl 1,20-24.27)

Irmãos, 20Cristo vai ser glorificado no meu corpo, seja pela minha vida, seja pela minha morte. 21Pois, para mim, o viver é Cristo e o morrer é lucro. 22Entretanto, se o viver na carne significa que meu trabalho será frutuoso, neste caso, não sei o que escolher. 23Sinto-me atraído para os dois lados: tenho o desejo de partir, para estar com Cristo – o que para mim seria de longe o melhor -, 24mas para vós é mais necessário que eu continue minha vida neste mundo. 27Só uma coisa importa: vivei à altura do Evangelho de Cristo.           

 – Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

EVANGELHO: Mt 20,1-16

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, Jesus contou esta parábola a seus discípulos: 1“O Reino dos céus é como a história do patrão que saiu de madrugada para contratar trabalhadores para a sua vinha. 2Combinou com os trabalhadores uma moeda de prata por dia e os mandou para a vinha. 3Às nove horas da manhã, o patrão saiu de novo, viu outros que estavam na praça desocupados 4e lhes disse: ‘Ide também vós para a minha vinha! E eu vos pagarei o que for justo’. 5E eles foram. O patrão saiu de novo ao meio-dia e às três horas da tarde e fez a mesma coisa. 6Saindo outra vez pelas cinco horas da tarde, encontrou outros que estavam na praça e lhes disse: ‘Por que estais aí o dia inteiro desocupados?’ 7Eles responderam: ‘Porque ninguém nos contratou’. O patrão lhes disse: ‘Ide vós também para a minha vinha’. 8Quando chegou a tarde, o patrão disse ao administrador: ‘Chama os trabalhadores e paga-lhes uma diária a todos, começando pelos últimos até os primeiros!’ 9Vieram os que tinham sido contratados às cinco da tarde e cada um recebeu uma moeda de prata. 10Em seguida vieram os que foram contratados primeiro e pensavam que iam receber mais. Porém cada um deles também recebeu uma moeda de prata. 11Ao receberem o pagamento, começaram a resmungar contra o patrão: 12‘Estes últimos trabalharam uma hora só, e tu os igualaste a nós, que suportamos o cansaço e o calor o dia inteiro’. 13Então o patrão disse a um deles: ‘Amigo, eu não fui injusto contigo. Não combinamos uma moeda de prata? 14Toma o que é teu e volta para casa! Eu quero dar a este que foi contratado por último o mesmo que dei a ti. 15Por acaso não tenho o direito de fazer o que quero com aquilo que me pertence? Ou estás com inveja, por que estou sendo bom?’ 16Assim, os últimos serão os primeiros, e os primeiros serão os últimos”.

– Palavra da salvação.

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

set 19

LEITURA DIÁRIA: É PRECISO CAMINHAR COM DEUS

biblia-setembro-de-2016-2

24ª SEMANA DO TEMPO COMUM – SÁBADO – 19/09/2020 –

26Durante a refeição, Jesus tomou o pão, benzeu-o, partiu-o e o deu aos discípulos, dizendo: Tomai e comei, isto é meu corpo.27Tomou depois o cálice, rendeu graças e deu-lho, dizendo: Bebei dele todos,28porque isto é meu sangue, o sangue da Nova Aliança, derramado por muitos homens em remissão dos pecados.29Digo-vos: doravante não beberei mais desse fruto da vinha até o dia em que o beberei de novo convosco no Reino de meu Pai. 31Disse-lhes então Jesus: Esta noite serei para todos vós uma ocasião de queda; porque está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas do rebanho serão dispersadas (Zc 13,7).32Mas, depois da minha Ressurreição, eu vos precederei na Galileia. (Mt 26, 26-31.32)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DA PRIMEIRA CARTA DE SÃO PAULO AOS CORÍNTIOS – (1Cor 15,35-37.42-49) –

Irmãos, 35alguém perguntará: Como ressuscitam os mortos? 36Insensato! O que semeias não nasce sem antes morrer. 37E, quando semeias, não semeias o corpo da planta, que há de nascer, mas o simples grão, como o de trigo ou de alguma outra planta. 42Pois assim será também a ressurreição dos mortos. Semeia-se em corrupção e ressuscita-se em incorrupção. 43Semeia-se em ignomínia e ressuscita-se em glória. Semeia-se em fraqueza e ressuscita-se em vigor. 44Semeia-se um corpo animal e ressuscita-se um corpo espiritual. Se há um corpo animal, há também um espiritual. 45Por isso está escrito: o primeiro homem, Adão, “foi um ser vivo”. O segundo Adão é um espírito vivificante. 46Veio primeiro não o homem espiritual, mas o homem natural; depois é que veio o homem espiritual. 47O primeiro homem, tirado da terra, é terrestre; o segundo homem vem do céu. 48Como foi o homem terrestre, assim também são as pessoas terrestres; e como é o homem celeste, assim também vão ser as pessoas celestes. 49E como já refletimos a imagem do homem terrestre, assim também refletiremos a imagem do homem celeste.                                 

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Lc 8,4-15

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 4reuniu-se uma grande multidão, e de todas as cidades iam ter com Jesus. Então ele contou esta parábola: 5“O semeador saiu para semear a sua semente. Enquanto semeava, uma parte caiu à beira do caminho; foi pisada e os pássaros do céu a comeram. 6Outra parte caiu sobre pedras; brotou e secou, porque não havia umidade. 7Outra parte caiu no meio de espinhos; os espinhos cresceram junto e a sufocaram. 8Outra parte caiu em terra boa; brotou e deu fruto, cem por um”. Dizendo isso, Jesus exclamou: “Quem tem ouvidos para ouvir, ouça”. 9Os discípulos lhe perguntaram o significado dessa parábola. 10Jesus respondeu: “A vós foi dado conhecer os mistérios do Reino de Deus. Mas, aos outros, só por meio de parábolas, para que, olhando, não vejam e, ouvindo, não compreendam. 11A parábola quer dizer o seguinte: a semente é a Palavra de Deus. 12Os que estão à beira do caminho são aqueles que ouviram, mas depois vem o diabo e tira a Palavra do coração deles, para que não acreditem e não se salvem. 13Os que estão sobre a pedra são aqueles que, ouvindo, acolhem a Palavra com alegria. Mas eles não têm raiz: por um momento acreditam, mas, na hora da tentação, voltam atrás. 14Aquilo que caiu entre os espinhos são os que ouvem, mas, com o passar do tempo, são sufocados pelas preocupações, pela riqueza e pelos prazeres da vida e não chegam a amadurecer. 15E o que caiu em terra boa são aqueles que, ouvindo com um coração bom e generoso, conservam a Palavra e dão fruto na perseverança”.                             

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

set 18

LEITURA DIÁRIA: É PRECISO CAMINHAR COM DEUS

biblia-setembro-de-2016-2

24ª SEMANA DO TEMPO COMUM – SEXTA-FEIRA – 18/09/2020 –

26Durante a refeição, Jesus tomou o pão, benzeu-o, partiu-o e o deu aos discípulos, dizendo: Tomai e comei, isto é meu corpo.27Tomou depois o cálice, rendeu graças e deu-lho, dizendo: Bebei dele todos,28porque isto é meu sangue, o sangue da Nova Aliança, derramado por muitos homens em remissão dos pecados.29Digo-vos: doravante não beberei mais desse fruto da vinha até o dia em que o beberei de novo convosco no Reino de meu Pai. 31Disse-lhes então Jesus: Esta noite serei para todos vós uma ocasião de queda; porque está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas do rebanho serão dispersadas (Zc 13,7).32Mas, depois da minha Ressurreição, eu vos precederei na Galileia. (Mt 26, 26-31.32)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DA PRIMEIRA CARTA DE SÃO PAULO AOS CORÍNTIOS – (1Cor 15,12-20) –

Irmãos, 12se se prega que Cristo ressuscitou dos mortos, como podem alguns dizer entre vós que não há ressurreição dos mortos? 13Se não há ressurreição dos mortos, então Cristo não ressuscitou. 14E se Cristo não ressuscitou, a nossa pregação é vã e a vossa fé é vã também. 15Nesse caso, nós seríamos testemunhas mentirosas de Deus, porque teríamos atestado, contra Deus, que ele ressuscitou Cristo quando, de fato, ele não o teria ressuscitado – se é verdade que os mortos não ressuscitam. 16Pois, se os mortos não ressuscitam, então Cristo também não ressuscitou. 17E se Cristo não ressuscitou, a vossa fé não tem nenhum valor e ainda estais nos vossos pecados. 18Então, também os que morreram em Cristo pereceram. 19Se é para esta vida que pusemos a nossa esperança em Cristo, nós somos – de todos os homens – os mais dignos de compaixão. 20Mas, na realidade, Cristo ressuscitou dos mortos como primícias dos que morreram.                                 

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Lc 8,1-3

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1Jesus andava por cidades e povoados, pregando e anunciando a Boa-nova do Reino de Deus. Os doze iam com ele; 2e também algumas mulheres que haviam sido curadas de maus espíritos e doenças: Maria, chamada Madalena, da qual tinham saído sete demônios; 3Joana, mulher de Cuza, alto funcionário de Herodes; Susana e várias outras mulheres que ajudavam a Jesus e aos discípulos com os bens que possuíam.                             

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

set 17

LEITURA DIÁRIA: É PRECISO CAMINHAR COM DEUS

biblia-setembro-de-2016-2

24ª SEMANA DO TEMPO COMUM – QUINTA-FEIRA – 17/09/2020 –

26Durante a refeição, Jesus tomou o pão, benzeu-o, partiu-o e o deu aos discípulos, dizendo: Tomai e comei, isto é meu corpo.27Tomou depois o cálice, rendeu graças e deu-lho, dizendo: Bebei dele todos,28porque isto é meu sangue, o sangue da Nova Aliança, derramado por muitos homens em remissão dos pecados.29Digo-vos: doravante não beberei mais desse fruto da vinha até o dia em que o beberei de novo convosco no Reino de meu Pai. 31Disse-lhes então Jesus: Esta noite serei para todos vós uma ocasião de queda; porque está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas do rebanho serão dispersadas (Zc 13,7).32Mas, depois da minha Ressurreição, eu vos precederei na Galileia. (Mt 26, 26-31.32)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DA PRIMEIRA CARTA DE SÃO PAULO AOS CORÍNTIOS – (1Cor 15,1-11) –

1Irmãos, quero lembrar-vos o Evangelho que vos preguei e que recebestes, e no qual estais firmes. 2Por ele sois salvos, se o estais guardando tal qual ele vos foi pregado por mim. De outro modo, teríeis abraçado a fé em vão. 3Com efeito, transmiti-vos, em primeiro lugar, aquilo que eu mesmo tinha recebido, a saber: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras; 4que foi sepultado; que, ao terceiro dia, ressuscitou, segundo as Escrituras; 5e que apareceu a Cefas e, depois, aos doze. 6Mais tarde, apareceu a mais de quinhentos irmãos de uma vez. Destes, a maioria ainda vive e alguns já morreram. 7Depois, apareceu a Tiago e, depois, apareceu aos apóstolos todos juntos. 8Por último, apareceu também a mim, como a um abortivo. 9Na verdade, eu sou o menor dos apóstolos, nem mereço o nome de apóstolo, porque persegui a Igreja de Deus. 10É pela graça de Deus que eu sou o que sou. Sua graça para comigo não foi estéril: a prova é que tenho trabalhado mais do que os outros apóstolos – não propriamente eu, mas a graça de Deus comigo. 11É isso, em resumo, o que eu e eles temos pregado e é isso o que crestes.                                 

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Lc 7,36-50

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 36um fariseu convidou Jesus para uma refeição em sua casa. Jesus entrou na casa do fariseu e pôs-se à mesa. 37Certa mulher, conhecida na cidade como pecadora, soube que Jesus estava à mesa na casa do fariseu. Ela trouxe um frasco de alabastro com perfume 38e, ficando por detrás, chorava aos pés de Jesus; com as lágrimas começou a banhar-lhe os pés, enxugava-os com os cabelos, cobria-os de beijos e os ungia com o perfume. 39Vendo isso, o fariseu que o havia convidado ficou pensando: “Se este homem fosse um profeta, saberia que tipo de mulher está tocando nele, pois é uma pecadora”. 40Jesus disse então ao fariseu: “Simão, tenho uma coisa para te dizer”. Simão respondeu: “Fala, mestre!” 41“Certo credor tinha dois devedores; um lhe devia quinhentas moedas de prata, o outro cinquenta. 42Como não tivessem com que pagar, o homem perdoou os dois. Qual deles o amará mais?” 43Simão respondeu: “Acho que é aquele ao qual perdoou mais”. Jesus lhe disse: “Tu julgaste corretamente”. 44Então, Jesus virou-se para a mulher e disse a Simão: “Estás vendo esta mulher? Quando entrei em tua casa, tu não me ofereceste água para lavar os pés; ela, porém, banhou meus pés com lágrimas e enxugou-os com os cabelos. 45Tu não me deste o beijo de saudação; ela, porém, desde que entrei, não parou de beijar meus pés. 46Tu não derramaste óleo na minha cabeça; ela, porém, ungiu meus pés com perfume. 47Por essa razão, eu te declaro: os muitos pecados que ela cometeu estão perdoados, porque ela mostrou muito amor. Aquele a quem se perdoa pouco mostra pouco amor”. 48E Jesus disse à mulher: “Teus pecados estão perdoados”. 49Então, os convidados começaram a pensar: “Quem é este que até perdoa pecados?” 50Mas Jesus disse à mulher: “Tua fé te salvou. Vai em paz!”                             

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

set 16

LEITURA DIÁRIA: É PRECISO CAMINHAR COM DEUS

biblia-setembro-de-2016-2

24ª SEMANA DO TEMPO COMUM – QUARTA-FEIRA – 16/09/2020 –

26Durante a refeição, Jesus tomou o pão, benzeu-o, partiu-o e o deu aos discípulos, dizendo: Tomai e comei, isto é meu corpo.27Tomou depois o cálice, rendeu graças e deu-lho, dizendo: Bebei dele todos,28porque isto é meu sangue, o sangue da Nova Aliança, derramado por muitos homens em remissão dos pecados.29Digo-vos: doravante não beberei mais desse fruto da vinha até o dia em que o beberei de novo convosco no Reino de meu Pai. 31Disse-lhes então Jesus: Esta noite serei para todos vós uma ocasião de queda; porque está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas do rebanho serão dispersadas (Zc 13,7).32Mas, depois da minha Ressurreição, eu vos precederei na Galileia. (Mt 26, 26-31.32)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DA PRIMEIRA CARTA DE SÃO PAULO AOS CORÍNTIOS – (1Cor 12,31-13,13) –

Irmãos, 31aspirai aos dons mais elevados. Eu vou ainda mostrar-vos um caminho incomparavelmente superior. 13,1Se eu falasse todas as línguas, as dos homens e as dos anjos, mas não tivesse caridade, eu seria como um bronze que soa ou um címbalo que retine. 2Se eu tivesse o dom da profecia, se conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, se tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, mas se não tivesse caridade, eu não seria nada. 3Se eu gastasse todos os meus bens para sustento dos pobres, se entregasse o meu corpo às chamas, mas não tivesse caridade, isso de nada me serviria. 4A caridade é paciente, é benigna; não é invejosa, não é vaidosa, não se ensoberbece; 5não faz nada de inconveniente, não é interesseira, não se encoleriza, não guarda rancor; 6não se alegra com a iniquidade, mas regozija-se com a verdade. 7Suporta tudo, crê tudo, espera tudo, desculpa tudo. 8A caridade não acabará nunca. As profecias desaparecerão, as línguas cessarão, a ciência desaparecerá. 9Com efeito, o nosso conhecimento é limitado e a nossa profecia é imperfeita. 10Mas, quando vier o que é perfeito, desaparecerá o que é imperfeito. 11Quando eu era criança, falava como criança, pensava como criança, raciocinava como criança. Quando me tornei adulto, rejeitei o que era próprio de criança. 12Agora nós vemos num espelho, confusamente, mas, então, veremos face a face. Agora, conheço apenas de modo imperfeito, mas, então, conhecerei como sou conhecido. 13Atualmente permanecem estas três coisas: fé, esperança, caridade. Mas a maior delas é a caridade.                                 

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Lc 7,31-35

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus: 31“Com quem hei de comparar os homens desta geração? Com quem eles se parecem? 32São como crianças que se sentam nas praças, se dirigem aos colegas, dizendo: ‘Tocamos flauta para vós e não dançastes; fizemos lamentações e não chorastes!’ 33Pois veio João Batista, que não comia pão nem bebia vinho, e vós dissestes: ‘Ele está com um demônio!’ 34Veio o Filho do Homem, que come e bebe, e vós dizeis: ‘Ele é um comilão e beberrão, amigo dos publicanos e dos pecadores!’ 35Mas a sabedoria foi justificada por todos os seus filhos”.                             

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

Posts mais antigos «

Apoio: