Lisaac

Sementes da Palavra, É tempo de semear

Lisaac

Detalhes do autor

Nome: Luiz Antonio de Moura
Data de registro: 12 de dezembro de 2014

Últimos posts

  1. LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS SUGERIDAS PARA HOJE — 5 de dezembro de 2019
  2. ROSAS PARA MARIA – PARTE II — 4 de dezembro de 2019
  3. LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS SUGERIDAS PARA HOJE — 4 de dezembro de 2019
  4. LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS SUGERIDAS PARA HOJE — 3 de dezembro de 2019
  5. EDITORIAL DA SEMANA: A IMENSA MAIORIA RESULTA DA SOMA DE TODAS AS MINORIAS — 2 de dezembro de 2019

Posts mais comentados

  1. AS APARIÇÕES DE FÁTIMA — 13 comentários
  2. TERÇO DE LIBERTAÇÃO E CURA — 11 comentários
  3. GRUPO DE ORAÇÃO PERMANENTE — 10 comentários
  4. EVANGELHO DE HOJE – CLIQUE AQUI E LEIA — 5 comentários
  5. COMENTÁRIO AO EVANGELHO — 5 comentários

Listas de posts do autor

dez 05

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS SUGERIDAS PARA HOJE

BÍBLIA DO ADVENTO

1ª SEMANA DO ADVENTO – QUINTA-FEIRA – 05/12/2019 –

4Não cesso de agradecer a Deus por vós, pela graça divina que vos foi dada em Jesus Cristo.5Nele fostes ricamente contemplados com todos os dons, com os da palavra e os da ciência,6tão solidamente foi confirmado em vós o testemunho de Cristo.7Assim, enquanto aguardais a manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo, não vos falta dom algum.8Ele há de vos confirmar até o fim, para que sejais irrepreensíveis no dia de nosso Senhor Jesus Cristo.9Fiel é Deus, por quem fostes chamados à comunhão de seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor.10Rogo-vos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que todos estejais em pleno acordo e que não haja entre vós divisões. Vivei em boa harmonia, no mesmo espírito e no mesmo sentimento.” (1Cor 1, 4-10)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DO LIVRO DE ISAÍAS – (Is  26,1-6) –

1Naquele dia, cantarão este canto em Judá: “Uma cidade fortificada é a nossa segurança; o Senhor cercou-a de muros e antemuro. 2Abri as suas portas, para que entre um povo justo, cumpridor da palavra, 3firme em seu propósito; e tu lhe conservarás a paz, porque confia em ti. 4Esperai no Senhor por todos os tempos, o Senhor é a rocha eterna. 5Ele derrubou os que habitam no alto, há de humilhar a cidade orgulhosa, deitando-a por terra até fazê-la beijar o chão. 6Hão de pisá-la os pés, os pés dos pobres, as passadas dos humildes”.          

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Mt 7,21.24-27

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 21“Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no reino dos céus, mas o que põe em prática a vontade de meu Pai que está nos céus. 24Portanto, quem ouve estas minhas palavras e as põe em prática é como um homem prudente, que construiu sua casa sobre a rocha. 25Caiu a chuva, vieram as enchentes, os ventos deram contra a casa, mas a casa não caiu, porque estava construída sobre a rocha. 26Por outro lado, quem ouve estas minhas palavras e não as põe em prática é como um homem sem juízo, que construiu sua casa sobre a areia. 27Caiu a chuva, vieram as enchentes, os ventos sopraram e deram contra a casa, e a casa caiu, e sua ruína foi completa!”.                     

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/    

dez 04

ROSAS PARA MARIA – PARTE II

ROSAS PARA MARIA

ROSAS  PARA MARIA!

*Por Viviane Gonçalves Noel –

*Este livro foi criado por Viviane Gonçalves Noel e os fatos históricos sobre as aparições de Nossa Senhora das Graças foram pesquisados no “Devocionário a Nossa Senhora das Graças”, EDITORA CANÇÃO NOVA, São Paulo, SP, Brasil, 2010.

PARTE II -

Maria-Sem-Vergonha, emburrada, saiu para o quintal. Seu pai logo gritou:

– Maria-Sem-Vergonha, aonde pensa que vai, mocinha? Trate de voltar e ir fazer as suas lições de casa! Quero vê-las todas prontas e caprichadas!

– Ora, papai, se o senhor tivesse comprado o meu aspirador, eu poderia ir para o quintal agora, sem pressa para voltar!

O pai de Maria-Sem-Vergonha não entendeu coisa alguma, mas preferiu nem perguntar. Ele sabe bem o quão criativa é a filha! 

Conhecendo Maria das Dores: 

Bem perto dali, mora Maria das Dores, outra menina de oito anos, amiguinha de Maria-Sem-Vergonha. Ora, a amizade é mesmo um campo florido em que a união se dá nas diferenças! Maria das Dores não é desinibida e alegre. É, antes, uma menina chorosa, cheia de medos. Ela olha mais para o chão do que para frente. Ou do que para cima. Ou do que para os lados! Apesar de tão diferente de Maria-Sem-Vergonha, as duas nutrem uma amizade verdadeira. 

Maria das Dores está sempre cabisbaixa, achando tudo árduo demais. Como é que viver pode ser um peso tão grande para uma menina linda de apenas oito anos de idade? Será que é pelo motivo de ela apreciar poesias? Mas nem todo poeta é triste! O fato é que Maria das Dores vibra mesmo é com versos melancólicos! 

Maria das Dores é filha única, uma filha muito amada, bem cuidada por seus pais. Todos a querem muito bem, mas seu humor é realmente trágico! Sua vida é como uma ópera: uma tragédia grega! 

Recentemente, Maria das Dores foi levada ao salão de beleza por sua mãe. Chegando lá, elas encontraram outras meninas com suas mães. Todas pareciam muito felizes entre um corte e outro, entre tranças, coques e marias-chiquinhas! Mas Maria das Dores tinha medo, muito medo de cortar seus longos cabelos. 

– Vamos, minha filha, sente-se nesta cadeira aqui. Agora é a sua vez!

 – Mamãe, por favor, vamos voltar para casa. Eu não quero cortar os cabelos!

 – Minha filha, eu nem consigo me lembrar de qual foi a última vez que você cortou os cabelos. Seus cabelos estão enormes, sem corte, sem vida!

 – Mamãe, sem vida eles estarão se forem cortados! Eu não quero! Por favor, não!

 – Vamos, Maria das Dores, você já está bem crescidinha para fazer pirraça! Você pode escolher o corte! Que tal uma franjinha? Chega de esconder esse lindo rosto!

 – Não, mamãe! Vai doer! Eu não quero!

 – Maria das Dores, quem foi que lhe disse que cortar os cabelos dói? É como cortar as unhas, minha filha, não causa dor alguma! Agora, sente-se aqui! Agora!

 Maria das Dores não pôde evitar as lágrimas, sentou-se na cadeira e começou a soluçar só de olhar a tesoura!

 – Olá, Maria das Dores, eu me chamo Ana, mas pode me chamar de tia Ana. Eu vou cortar os seus cabelos, e você vai ficar ainda mais bonita! Vamos deixar esse seu lindo rosto aparecer! Tão linda assim, não pode continuar se escondendo!

 – Eu não estou me escondendo. Só não quero cortar os meus cabelos!

 – Vamos fazer assim: eu vou começar bem devagar, vou cortar a parte de trás primeiramente. Depois, então, cortamos a parte da frente, fazendo uma linda franjinha.

 Maria das Dores fechou os olhos, contraiu todo o corpo e esperou que a dor chegasse! Como a dor não chegou, ela abriu os olhos para ver o que estava acontecendo.

 Ao abrir os olhos, viu suas madeixas caídas no chão. O susto foi enorme! A dor física que ela esperava não veio, mas a dor emocional foi incontrolável! Maria das Dores chorava inconsolável, enquanto as outras meninas riam.

 – Minha filha, veja como você está ficando linda! Não há motivo para esse choro todo! A tia Ana está caprichando no seu corte!

 – Mas está doendo! A tia Ana está cortando um pedaço de mim!

 – Maria das Dores, minha filha, para um jardim ficar bonito, nós não cortamos sua grama, não podamos suas árvores?

 – Sim, mamãe, mas eu não sou uma árvore! – respondeu ainda entre lágrimas.

 – Ah, mas eu tenho quase certeza de que você é uma linda rosa! – disse tia Ana, tentando animá-la.

 – Minha filha, não é só o jardim que precisa ser aparado para crescer bonito e saudável. Tudo na natureza funciona dessa forma. É assim também com os seres humanos. Nós cortamos os cabelos, as unhas das mãos e dos pés. O umbigo do bebê cai. Os dentes de leite caem para darem lugar aos dentes permanentes. A vida é uma eterna mudança! Você não pode continuar achando que isso é uma perda dolorosa, pois não é! É só uma transformação, e para melhor! Veja como você está ficando ainda mais bonita!

 Maria das Dores levantou a cabeça e deu de cara consigo mesma no espelho! Ela se observou atentamente, como quem observa um desconhecido. Aos poucos, seu semblante foi ficando mais leve, mais tranquilo. Ela até esboçou um sorriso.

 Tia Ana pôde, finalmente, terminar o corte. Maria das Dores ficou uma boneca de franjinha, e com um corte na altura dos ombros! As meninas, presentes no salão, ficaram admiradas com o novo visual de Maria das Dores. Ela não parecia mais a mesma. Parecia ter saído de um conto de fadas!

 Por falar em fada, foi só a mãe de Maria das Dores ter falado em dentes de leite, para que ela se lembrasse dos que havia perdido. Maria das Dores brigou semanas com a tal Fada dos Dentes, exigindo-os de volta!

 Bem antes dos dentinhos de leite começarem a cair, os pais de Maria das Dores a levaram para a sua primeira consulta ao dentista. Maria das Dores era bem pequena, mas já medrosa e dramática!

 A sala de espera do consultório parecia ter saltado de um lindo e colorido livro infantil. Havia muitos personagens pelas paredes, uma estante cheia de brinquedos, o tapete era um enorme quebra-cabeça. Opa, alguém abriu a porta do consultório! Maria das Dores arregalou os olhos amedrontada, apesar de encantada com todas aquelas cores. Do consultório, saiu o doutor Henrique, ou melhor, o doutor Mickey! O doutor Henrique, muito espirituoso, queria ser, antes de qualquer outra coisa, alguém atrativo, alguém que pudesse conquistar a confiança das crianças!

Mas, para Maria das Dores, as coisas não eram tão simples assim. O doutor Henrique agachou perto dela, deixando o rabo do Mickey arrastar pelo chão, e a convidou para entrar. Maria das Dores só entrou depois que seus pais entraram. Desconfiada, ela analisava cada detalhe daquele Mickey de jaleco branco! Ele a levantou do chão e a colocou sentada na cadeira.

 Aos poucos, doutor Henrique foi deitando a cadeira. Maria das Dores logo se levantou, dizendo que não estava com sono, que não precisava ficar deitada. Doutor Henrique explicou que ela não iria dormir, iria apenas deitar um pouquinho para que ele pudesse olhar bem os seus dentes.

Maria das Dores não estava gostando da ideia, mas seus pais a tranquilizaram. Doutor Henrique pediu que ela abrisse a boca bem grande. Ela abriu sim a boca, mas abriu ainda mais os olhos!

Doutor Henrique olhou bem as gengivas, a língua e o “céu da boca” de Maria das Dores. Depois, pegou todos aqueles objetos estranhos e começou a avaliar os dentes. Vendo que estava tudo na mais perfeita ordem, sem cárie alguma, disse aos pais dela que apenas uma limpeza era necessária. E que poderia ser feita naquele momento.

 Os pais de Maria das Dores pareciam animados, todos os seus esforços em manter a boca de Maria das Dores saudável tinha valido a pena. Uma boa alimentação, seguida de uma boa escovação, era mesmo uma fórmula de sucesso!

 Doutor Henrique começou a preparar tudo. Depois de dar os parabéns a Maria das Dores, explicou como tudo aconteceria.

 – Minha criança, seu sorriso é lindo e ficará ainda mais bonito agora!

O doutor estava sendo gentil, pois Maria das Dores não havia sorrido uma vez sequer! Doutor Henrique prosseguiu:

– O que nós vamos fazer agora é muito simples. Será apenas uma limpeza.

– Mas eu já limpo bem os meus dentes!

– Sim, é verdade! Mas a limpeza que faremos aqui é mais profunda, ela limpa melhor os lugares em que a escova de dente não alcança direito. Ela vai retirar também as pequenas manchinhas que os dentes vão adquirindo com o passar do tempo. Não se preocupe, não vai doer nada!

– A minha escova alcança todos os meus dentes, ela cabe direitinho na minha boca, pode perguntar para a minha mãe e para o meu pai também.

– Eu sei, minha criança, eu acredito em você! Fico muito feliz de saber que você cuida dos seus dentinhos direitinho, sem se esquecer de limpar a língua também, não é mesmo?

– Sim, eu limpo a boca toda!

– Então, agora você só precisa relaxar, abrir a boquinha e deixar que eu limpo tudinho para você. Quando terminarmos, eu vou passar flúor nos seus dentes, você sentirá um gostinho doce.

– Um gostinho doce? Mas do que adianta o senhor limpar os meus dentes e depois colocar açúcar neles? O senhor vai estragar os meus dentes!

Todos riram! Maria das Dores queria saber de tudo nos mínimos detalhes.

– Maria das Dores, apesar de ter um gostinho doce, o flúor não é feito de açúcar. Ele serve para proteger os dentes, ajudando a evitar as cáries. Agora, vamos começar! Abra a boquinha, eu vou colocar este canudinho embaixo da sua língua, o nome dele é sugador. Assim, você não vai precisar ficar levantando a todo o momento para cuspir a saliva.

Tudo parecia que iria correr bem, se não fosse o barulho da máquina de sucção. Maria das Dores estremeceu na cadeira e agarrou o sugador. Doutor Henrique tentou acalmá-la, mostrando que o barulho vinha da máquina, mas que nada de mau aconteceria.

Tarde demais, Maria das Dores já havia entendido tudo: o sugador engoliria não só a sua saliva, mas também os seus dentes! Ele era mais potente do que o doutor Henrique havia explicado! Nada mais a deixaria calma!

Seus pais bem que tentaram acalmá-la. Doutor Henrique retirou o sugador e tentou mostrar à menina a inofensibilidade do objeto. Nada mais surtia efeito. Aos prantos, Maria das Dores só pensava em sair correndo dali.

Seus pais insistiram para que ela se acalmasse e voltasse a abrir a boca. Doutor Henrique desligou a máquina de sucção e disse que ela poderia ficar sem o sugador. Não adiantou, o susto foi tamanho, que só de pensar em voltar a abrir a boca, Maria das Dores intensificava o seu choro. Todos continuavam insistindo para que a menina voltasse a abrir a boca.

Milagrosamente, Maria das Dores abriu a boca! Doutor Henrique tentou ser rápido no procedimento, mas assim que colocou a mão na boca da menina, ela, num ato de defesa, mordeu com toda vontade os dedos do doutor. O procedimento acabou naquele momento!

Já em casa, Maria das Dores fez uma promessa a si mesma: jamais voltaria a comer! Quem não come, não deve precisar de dentista. Negou o jantar e foi dormir com a barriga roncando.

Na manhã seguinte, continuou a cumprir sua promessa:

– Maria das Dores, está quase na hora de você sair para a escola. Coma logo!

– Não, mamãe. Eu não tenho mais fome.

– Que história é essa de não ter mais fome? Ontem, você já foi dormir sem jantar. Saco vazio não para em pé, menina! Trate de comer agora mesmo!

– Mas, mamãe, quem não come, não suja os dentes!

– Ah, é? Sim, não suja os dentes, mas quem é que precisa de dentes limpos se estiver morto?

– Morto?

– Sim, morto! Ou você acha que alguém que não come pode viver por muito tempo?

Maria das Dores pensou por um instante e percebeu que morrer seria mais complicado do que ir ao dentista. A dor da fome já estava mesmo apertando a sua barriga!

– Bom, minha filha, se você não comer, vou marcar um médico para você, pois eu não quero que minha filha morra de fome!

– Médico, mamãe?

– Sim, Maria das Dores, talvez uma boa injeção dê jeito na sua falta de apetite!

Maria das Dores, imediatamente, começou a comer. Aliás, comeu bem mais do que de costume! Separou um pedaço de bolo, dois pãezinhos e uma maçã para levar para a escola, caso tivesse mais fome.

Seu pai, observando tudo, logo exclamou:

– Assim está bem melhor! Mas a sua mãe já arrumou a sua lancheira!

– Eu sei, papai, mas pode ser que eu sinta mais fome ainda! É melhor ir para a escola prevenida!

O pai de Maria das Dores gargalhou, escondendo o rosto atrás do jornal que lia. Sua mãe ficou satisfeita, pois bastava toda aquela confusão do dia anterior, no consultório do dentista. Ninguém precisava de outro problema!

CONTINUA EM 11 DE DEZEMBRO DE 2019

_____________________________________________________________  

*Viviane Gonçalves Noel é formada em Pedagogia pela Universidade Católica de Petrópolis e pós-graduada em Espiritualidade, Ecologia e Educação - uma abordagem transdisciplinar, pelo Instituto Teológico Franciscano. Trabalha com a criação de poesias e crônicas personalizadas para as mais diversas ocasiões. É autora dos livros "Francisco de Assis e a Profunda Poesia de Ser Parte da Natureza", "O Travesseiro Mágico" e "Ouse Escutar a Voz do Seu Coração - um livro para refletir e colorir". Atua como dramaturga na Satura Companhia de Teatro e é terapeuta em Cura Prânica, credenciada pelo Instituto Inner Sciences.

dez 04

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS SUGERIDAS PARA HOJE

BÍBLIA DO ADVENTO

1ª SEMANA DO ADVENTO – QUARTA-FEIRA – 04/12/2019 –

4Não cesso de agradecer a Deus por vós, pela graça divina que vos foi dada em Jesus Cristo.5Nele fostes ricamente contemplados com todos os dons, com os da palavra e os da ciência,6tão solidamente foi confirmado em vós o testemunho de Cristo.7Assim, enquanto aguardais a manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo, não vos falta dom algum.8Ele há de vos confirmar até o fim, para que sejais irrepreensíveis no dia de nosso Senhor Jesus Cristo.9Fiel é Deus, por quem fostes chamados à comunhão de seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor.10Rogo-vos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que todos estejais em pleno acordo e que não haja entre vós divisões. Vivei em boa harmonia, no mesmo espírito e no mesmo sentimento.” (1Cor 1, 4-10)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DO LIVRO DE ISAÍAS – (Is  25,6-10’) –

Naquele dia, 6o Senhor dos exércitos dará neste monte, para todos os povos, um banquete de ricas iguarias, regado com vinho puro, servido de pratos deliciosos e dos mais finos vinhos. 7Ele removerá, neste monte, a ponta da cadeia que ligava todos os povos, a teia em que tinha envolvido todas as nações. 8O Senhor Deus eliminará para sempre a morte, e enxugará as lágrimas de todas as faces, e acabará com a desonra do seu povo em toda a terra; o Senhor o disse. 9Naquele dia se dirá: “Este é o nosso Deus, esperamos nele, até que nos salvou; este é o Senhor, nele temos confiado: vamos alegrar-nos e exultar por nos ter salvo”. 10E a mão do Senhor repousará sobre este monte.         

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Mt 15,29-37

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 29Jesus foi para as margens do mar da Galileia, subiu a montanha e sentou-se. 30Numerosas multidões aproximaram-se dele, levando consigo coxos, aleijados, cegos, mudos e muitos outros doentes. Então os colocaram aos pés de Jesus. E ele os curou. 31O povo ficou admirado quando viu os mudos falando, os aleijados sendo curados, os coxos andando e os cegos enxergando. E glorificaram o Deus de Israel. 32Jesus chamou seus discípulos e disse: “Tenho compaixão da multidão, porque já faz três dias que está comigo, e nada tem para comer. Não quero mandá-los embora com fome, para que não desmaiem pelo caminho”. 33Os discípulos disseram: “Onde vamos buscar, neste deserto, tantos pães para saciar tão grande multidão?” 34Jesus perguntou: “Quantos pães tendes?” Eles responderam: “Sete e alguns peixinhos”. 35E Jesus mandou que a multidão se sentasse pelo chão. 36Depois pegou os sete pães e os peixes, deu graças, partiu-os e os dava aos discípulos, e os discípulos, às multidões. 37Todos comeram e ficaram satisfeitos; e encheram sete cestos com os pedaços que sobraram.                     

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/    

dez 03

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS SUGERIDAS PARA HOJE

BÍBLIA DO ADVENTO

1ª SEMANA DO ADVENTO – TERÇA-FEIRA – 03/12/2019 –

4Não cesso de agradecer a Deus por vós, pela graça divina que vos foi dada em Jesus Cristo.5Nele fostes ricamente contemplados com todos os dons, com os da palavra e os da ciência,6tão solidamente foi confirmado em vós o testemunho de Cristo.7Assim, enquanto aguardais a manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo, não vos falta dom algum.8Ele há de vos confirmar até o fim, para que sejais irrepreensíveis no dia de nosso Senhor Jesus Cristo.9Fiel é Deus, por quem fostes chamados à comunhão de seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor.10Rogo-vos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que todos estejais em pleno acordo e que não haja entre vós divisões. Vivei em boa harmonia, no mesmo espírito e no mesmo sentimento.” (1Cor 1, 4-10)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DO LIVRO DE ISAÍAS – (Is  11,1-10) –

Naquele dia, 1nascerá uma haste do tronco de Jessé e, a partir da raiz, surgirá o rebento de uma flor. 2Sobre ele repousará o Espírito do Senhor: espírito de sabedoria e discernimento, espírito de conselho e fortaleza, espírito de ciência e temor de Deus; 3no temor do Senhor encontra ele seu prazer. Ele não julgará pelas aparências que vê nem decidirá somente por ouvir dizer, 4mas trará justiça para os humildes e uma ordem justa para os homens pacíficos; fustigará a terra com a força da sua palavra e destruirá o mau com o sopro dos lábios. 5Cingirá a cintura com a correia da justiça e as costas com a faixa da fidelidade. 6O lobo e o cordeiro viverão juntos, e o leopardo deitar-se-á ao lado do cabrito; o bezerro e o leão comerão juntos, e até mesmo uma criança poderá tangê-los. 7A vaca e o urso pastarão lado a lado, enquanto suas crias descansam juntas; o leão comerá palha como o boi; 8a criança de peito vai brincar em cima do buraco da cobra venenosa; e o menino desmamado não temerá pôr a mão na toca da serpente. 9Não haverá danos nem mortes por todo o meu santo monte: a terra estará tão repleta do saber do Senhor quanto as águas que cobrem o mar. 10Naquele dia, a raiz de Jessé se erguerá como um sinal entre os povos; hão de buscá-la as nações, e gloriosa será a sua morada.         

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Lc 10,21-24

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

21Naquele momento, Jesus exultou no Espírito Santo e disse: “Eu te louvo, Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste essas coisas aos sábios e inteligentes e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, porque assim foi do teu agrado. 22Tudo me foi entregue pelo meu Pai. Ninguém conhece quem é o Filho, a não ser o Pai; e ninguém conhece quem é o Pai, a não ser o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar”. 23Jesus voltou-se para os discípulos e disse-lhes em particular: “Felizes os olhos que veem o que vós vedes! 24Pois eu vos digo que muitos profetas e reis quiseram ver o que estais vendo e não puderam ver; quiseram ouvir o que estais ouvindo e não puderam ouvir”.                     

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/    

dez 02

EDITORIAL DA SEMANA: A IMENSA MAIORIA RESULTA DA SOMA DE TODAS AS MINORIAS

teamwork

DA SOMA DE TODAS AS MINORIAS, RESULTA A GRANDE  MAIORIA

*Por Luiz Antonio de Moura –

Não é novidade para ninguém que, nos dias de hoje, as coisas estão bastante complicadas em todos os aspectos. Se passarmos os olhos pela situação política no mundo, nem se fala apenas do Brasil, vamos ficar estarrecidos; o mesmo olhar na direção da religiosidade e dos seus desdobramentos, causará assombro; se, na busca por coisa melhor, dermos uma espiadinha na questão relacionada com o (meio) ambiente, certamente, haverá pânico. E, quando decididos, passarmos a analisar apenas a situação sanitária na qual estão mergulhadas milhões e milhões de pessoas, no mundo todo, então, baterá um gigantesco desalento, levando-nos a pensar na saúde e na educação, principalmente, em terras verde-amarelas.

Em absolutamente todas estas questões, vamos encontrar uma esmagadora maioria sendo massacrada pela lógica do gigantismo mercantilista, pela ambição desmedida dos gigantes do capitalismo e pela conivência invencível de políticos de todos os espectros e de todas as vertentes ideológicas que, atendidos os seus pleitos individuais, pouco se lixam de verdade para o resto.

Entretanto, existe uma minoria que, nos bastidores da vida, prega o bom senso, clama por justiça de forma indiscriminada, trabalha sincera e honestamente pela paz, zela pela transparência no trato com o dinheiro público, apresenta sugestões inovadoras nas mais diversas áreas do conhecimento e se propõe a trabalhar em prol de uma humanidade mais civilizada e mais humanizada, menos robotizada, menos midiática, menos virtual e materialista, menos alienada e mais voltada para os verdadeiros valores que compõem o valor maior, que é a própria vida. Mas, tudo isso, apenas, nos bastidores!

Certamente que esta minoria, em um primeiro estágio, parece não ter vez e nem voz no mundo atual, graças à fabulosa força de uma mídia globalizada, cujo único objetivo é ocupar e negociar espaços publicitários e mercadológicos. Mas, esta minoria existe e, mesmo que à boca pequena, continua criticando, protestando e chamando a atenção para os descalabros que são praticados dia-a-dia em quase todo o cenário planetário.

Existe uma minoria formada por profissionais altamente qualificados, públicos e privados, que fazem da atividade profissional, não apenas a fonte principal para a sobrevivência, própria e familiar, mas, também, parte da força motriz que faz girar, de maneira digna, honesta e eficaz, a máquina civilizatória. Uma minoria composta por homens, mulheres e outros gêneros, que, de forma também digna, honesta e atuante, propõe novas regras de civilidade, de respeito e de cidadania, capazes de transformar ambientes altamente tensionados, em outros francamente harmônicos entre si e propícios à manutenção da paz e da justiça social.

Não se há de esquecer de uma outra minoria, na qual estão agregados diversos líderes religiosos, cada um com a sua profissão de fé própria, dispostos a pregar o verdadeiro Evangelho da Salvação, que é o do amor a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo, combatendo toda e qualquer forma de discriminação e de exclusão.

Enfim, há que ser lembrado, também, de um considerável grupo formado por jovens, estudantes de todos os níveis que, no dia-a-dia de suas vidas, lutam para sobressaírem nos estudos, nas artes, na música ou na prática das mais diversas modalidades de esportes, de modo a revelarem para o mundo que, os seres humanos, de qualquer condição social, credo religioso, raça, sexo ou nacionalidade são parte indivisível de uma única e distinta espécie: a humana.

Não será difícil perceber, que o conjunto de todas estas, aqui denominadas, “minorias” forma uma imensa maioria que, uma vez unida e unificada, terá força e poder para mudar toda a dinâmica da vida atualmente vivida em sociedade, deixando patente que o estado de coisas vivido pela imensa maioria das pessoas no mundo, é resultado direto do silêncio dos inocentes e da ousadia dos culpados e usurpadores, mas, que não deve permanecer assim.

É preciso lutar para que todas as minorias silenciadas e acabrunhadas tomem consciência do valor que possuem no mundo e, de forma urgente, passem a interagir umas com as outras, no sentido de formarem novos, promissores e valorosos partidos políticos, com representatividade parlamentar e congressual, a fim de mudarem, de forma absolutamente democrática, e pelo voto direto e aberto, todo este ineficiente e injusto arcabouço jurídico existente em praticamente todas as Nações.

Não deve ser esquecido o exemplo milenar dado pelo cristianismo que, a partir da determinação, do trabalho e do destemor de um pequeno grupo de homens, chamados de Apóstolos ou Discípulos, mesmo com a perda física do seu Líder Maior, chegou até as barras do todo-poderoso império romano, lá fincando sua sede, e, a partir de lá, levando ao mundo todo a Boa Nova do Evangelho, sobrevivendo há mais de dois mil anos a todas as formas de enfrentamento e de desafios, internos e externos.

Nunca, antes, na história da humanidade, foi tão urgente que a massa de todas chamadas “minorias” se debruce sobre os clássicos cristãos, políticos e filosóficos para, deles extraírem o conhecimento e a força capazes de promoverem a unificação de todos os homens, mulheres e outros gêneros, em torno de propostas fundamentadas no amor a Deus e ao próximo, no respeito mútuo, na fraternidade, na igualdade, na justiça, na tolerância, na paz, na inclusão total de todos os seres humanos em todos os aspectos da vida, combatendo todo o mal que cai sobre nossas cabeças nos dias que correm.

O que está faltando é união! Os bons, honestos, sábios, competentes, trabalhadores e cheios de todas as virtudes, estão calados e afastados do grande palco da vida, deixando voluntariamente aos demais, que não são dignos de qualquer adjetivação, a possibilidade de ditarem os rumos da história, montados em seus ricos e exuberantes cavalos brancos, manuseando o chicote da lei, dos tribunais e das prisões por eles mesmos criados e usados para todos os fins que, no fim, só atendem aos interesses patriarcais e hereditários.

Precisamos acreditar que somos capazes de, juntos, elaborar propostas sociais, políticas, econômicas, educacionais e culturais mais justas e mais igualitárias, permitindo que o rico mantenha o seu patrimônio, mas, que o pobre possa construir o seu também, sem ser excluído e afastado de todo o cenário civilizado, em razão da pobreza que ostenta, da nacionalidade de origem, da religião que professa, da raça a que pertence ou da condição sexual que assumiu. E tudo isso deve ser feito a partir da união e da unificação dos saberes, dos conhecimentos e das virtudes entranhadas em todo o tecido social. No meio deste joio existe trigo.

Enquanto não houver uma compreensão em torno destas distâncias que, na verdade, são ínfimas, continuaremos sendo regidos por maestros que pouco ou nada entendem de partituras, mas, que, em razão da esperteza, da fama, do prestígio, da riqueza que ostentam e da capacidade para a mentira e para o engodo, acabam por receberem de mão beijada a varinha mágica, com a qual darão início a uma sinfonia que, para todos os especialistas da plateia, está totalmente equivocada.

No caso, os especialistas da plateia, cada um com sua experiência no instrumento escolhido, ficam assombrados com o que veem e com o que ouvem, porém, ninguém se arvora em questionar os diversos maestros que, pouco a pouco, vão se sucedendo diante dos músicos igualmente atordoados. O silêncio dos sábios e dos verdadeiros profissionais chega a ser conivente com o assassinato das notas musicais apresentadas o que, ao final de tudo, permite que se ouça, lá do fundo do auditório, gritos de “bis, bis, bis”. Ou seja: chegaram, gostaram e querem continuar!

Este texto é um convite à reflexão para todos nós. Precisamos refletir sobre o papel que temos desempenhado na sociedade na qual, apesar de todos os “maestros”, estamos inseridos e, se possível, começarmos a dialogar com outras minorias a fim de que, em determinado momento, possamos vislumbrar um mundo total e absolutamente melhor, mais justo, mais igualitário, mais humano e mais inclusivo, onde as culturas do ódio, da intolerância, da vingança e da morte não tenham mais tanto destaque e prestígio como vemos em todos os continentes. Pense sobre tudo isto. Seja feliz, e boa sorte!

_________________________________________________________

*Luiz Antonio de Moura é um pensador espiritualista, um caminhante e um cultor do silêncio (meditativo).

   

dez 02

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS SUGERIDAS PARA HOJE

BÍBLIA DO ADVENTO

1ª SEMANA DO ADVENTO – SEGUNDA-FEIRA – 02/12/2019 –

4Não cesso de agradecer a Deus por vós, pela graça divina que vos foi dada em Jesus Cristo.5Nele fostes ricamente contemplados com todos os dons, com os da palavra e os da ciência,6tão solidamente foi confirmado em vós o testemunho de Cristo.7Assim, enquanto aguardais a manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo, não vos falta dom algum.8Ele há de vos confirmar até o fim, para que sejais irrepreensíveis no dia de nosso Senhor Jesus Cristo.9Fiel é Deus, por quem fostes chamados à comunhão de seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor.10Rogo-vos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que todos estejais em pleno acordo e que não haja entre vós divisões. Vivei em boa harmonia, no mesmo espírito e no mesmo sentimento.” (1Cor 1, 4-10)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DO LIVRO DE ISAÍAS – (Is  4,2-6) –

2Naquele dia, o povo do Senhor terá esplendor e glória, e o fruto da terra será de grande alegria para os sobreviventes de Israel. 3Então, os que forem deixados em Sião, os sobreviventes de Jerusalém, serão chamados santos, a saber, todos os destinados à vida em Jerusalém. 4Quando o Senhor tiver lavado as imundícies das filhas de Sião e limpado as manchas de sangue dentro de Jerusalém com espírito de justiça e de purificação, 5ele criará, em todo o lugar do monte Sião e em suas assembleias, uma nuvem durante o dia e fumaça e clarão de chamas durante a noite: e será proteção para toda a sua glória, 6uma tenda para dar sombra contra o calor do dia, abrigo e refúgio contra a ventania e a chuva.         

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Mt 8,5-11

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 5quando Jesus entrou em Cafarnaum, um oficial romano aproximou-se dele, suplicando: 6“Senhor, o meu empregado está de cama, lá em casa, sofrendo terrivelmente com uma paralisia”. 7Jesus respondeu: “Vou curá-lo”. 8O oficial disse: “Senhor, eu não sou digno de que entres em minha casa. Dize uma só palavra, e o meu empregado ficará curado. 9Pois eu também sou subordinado e tenho soldados debaixo de minhas ordens. E digo a um: ‘Vai!’, e ele vai; e a outro: ‘Vem!’, e ele vem; e digo ao meu escravo: ‘Faze isto!’, e ele faz”. 10Quando ouviu isso, Jesus ficou admirado e disse aos que o seguiam: “Em verdade vos digo, nunca encontrei em Israel alguém que tivesse tanta fé. 11Eu vos digo, muitos virão do oriente e do ocidente e se sentarão à mesa no reino dos céus, junto com Abraão, Isaac e Jacó”.                    

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/    

dez 01

COMENTANDO O EVANGELHO: Pe. JOSÉ MARIA PEREIRA

ZÉ MARIA - 2018

I DOMINGO DO ADVENTO – O QUE ESPERAR?

*Por Mons. José Maria Pereira –

Nesse domingo, inicia mais um Ano Litúrgico, no qual relembramos e revivemos os Mistérios da História da Salvação. A Igreja nos põe de sobreaviso com quatro semanas de antecedência a fim de que nos preparemos para celebrar de novo o Natal e, ao mesmo tempo, para que, com a lembrança da primeira vinda de Deus feito homem ao mundo, estejamos atentos a essas outras vindas do Senhor: no fim da vida de cada um e no fim dos tempos. Por isso o Advento é o tempo de preparação e de esperança.

A palavra ADVENTO significa “Vinda”, chegada: nos faz relembrar e reviver as primeiras etapas da História da Salvação, quando os homens se preparam para a vinda do Salvador, a fim de que também nós possamos preparar hoje em nossa vida a vinda de Cristo por ocasião do Natal. Vivemos, no Advento, o Tempo da expectativa, da espera: um renovado caminho de fé que, por um lado, faz memória do evento de Jesus Cristo e, por outro, se abre ao seu cumprimento final. E é precisamente desta dúplice perspectiva que vive o Tempo de Advento, olhando quer para a primeira vinda do Filho de Deus, quando nasceu da Virgem Maria, quer para o seu retorno glorioso, quando vier “para julgar os vivos e os mortos”, como dizemos no Credo. A expectativa: trata-se de um aspecto profundamente humano, em que a fé se torna, por assim dizer, um só com a nossa carne e o nosso coração.

A expectativa, a espera é uma dimensão que atravessa toda a nossa existência pessoal, familiar e social. A espera está presente em mil situações, desde as mais pequenas e banais, até às mais importantes, que nos empenham total e profundamente. Entre elas, pensamos na espera de um filho da parte de dois esposos; na espera de um parente ou de um amigo que vem visitar-nos de longe; pensamos, para um jovem, na expectativa do êxito de um exame decisivo, ou de uma entrevista de trabalho; nos relacionamentos afetivos, na espera do  encontro com a pessoa amada, da resposta a uma carta, ou do acolhimento de um perdão... Poder-se-ia dizer que o homem está vivo enquanto  espera, enquanto no seu coração estiver viva a esperança. É das suas expectativas que o homem se reconhece: a nossa “estatura” moral e espiritual pode ser medida a partir daquilo que aguardamos, daquilo em que esperamos.

Portanto, cada um de nós, especialmente neste Tempo que nos prepara para o Natal, pode perguntar-se: e eu, o que espero? Para que inclina, neste momento da minha vida, o meu coração? E esta mesma interrogação pode fazer-se a nível familiar, comunitário e nacional. O que esperamos, juntos? O que une as nossas aspirações, o que há de comum nelas? No tempo precedente ao nascimento de Jesus, era extremamente intensa em Israel a espera do Messias, ou seja, de um Consagrado, descendente do Rei Davi, que finalmente teria libertado o povo de toda a escravidão moral e política, instaurando o Reino de Deus. Mas, jamais ninguém teria imaginado que o Messias pudesse nascer de uma jovem humilde como era Maria, noiva do Justo José. Nem sequer ela mesma jamais teria pensado, e no entanto, no seu coração, a expectativa do Salvador era tão grande, a sua fé e a sua esperança eram tão fervorosas, que Ele pôde encontrar nela uma Mãe digna. De resto, foi o próprio Deus que a preparou, antes dos séculos. Existe uma misteriosa correspondência entre a espera de Deus e a de Maria, a criatura “cheia de graça,” totalmente transparente ao desígnio de amor do Altíssimo.

Isaías fala, com ênfase, da era messiânica, quando todos os povos se hão de reunir em Jerusalém para adorarem o único Deus. Jerusalém é figura da Igreja, constituída por Deus “sacramento universal de salvação” (LG 48), que abre os seus braços a todos os homens para os conduzir a Cristo e para que, seguindo os seus ensinamentos, vivam como irmãos na concórdia e na paz. Cada cristão deve ser uma voz a chamar os homens, com a veemência de Isaías, à fé verdadeira e ao amor fraterno. Convida Isaías: “Vinde, e deixemo-nos guiar pela luz do Senhor” (Is 2, 5).

O Evangelho (Mt 24, 37 – 44) convoca os cristãos à vigilância: “Vigiai, porque não sabeis em que dia virá o Senhor” (Mt 24, 42). São Paulo (Rm 13, 11 – 14) lembra que a salvação já está próxima. Chegou a hora de acordar, pois o dia se aproxima É preciso deixar as trevas e ser iluminados pela luz do dia, pela luz de Cristo. Trata-se da conversão: deixar as obras das trevas e fazer o bem revestindo-se do Senhor Jesus Cristo.

Preparemos o caminho para o Senhor que chegará em breve; e se notarmos que a nossa visão está embaçada e não distinguimos com clareza essa luz que procede de Belém, é o momento de afastar os obstáculos. É tempo de fazer com especial delicadeza o exame de consciência e de melhorar a nossa pureza interior para receber a Deus. É o momento de discernir as coisas que nos separam do Senhor e de lançá-las para longe de nós. Um bom exame de consciência deve ir até as raízes dos nossos atos, até os motivos que inspiram as nossas ações. E logo buscar o remédio no Sacramento da Penitência (Confissão)!

“Vigiai, não sabeis em que dia o Senhor virá”. Não se trata apenas da “parusia”, mas também da vinda do Senhor para cada homem no fim da sua vida, quando se encontrar face a face com o seu Salvador; e será esse o dia mais belo, o princípio da vida eterna! “Por isso, também vós ficai preparados! Porque na hora em que menos pensais, o Filho do Homem virá” (Mt 24, 44). Toda a existência do homem é uma constante preparação para ver o Senhor, que cada vez está mais perto; mas no Advento a Igreja ajuda-nos a pedir de um modo especial: “Senhor, mostrai-me os vossos caminhos e ensinai-me as vossas veredas. Dirigi-me na vossa verdade, porque sois o meu Salvador” (Sl 24).

Para manter este estado de vigília, é necessário lutar, porque a tendência de todo homem é viver de olhos cravados nas coisas da terra.

Fiquemos alertas! Assim será se cuidarmos com atenção da oração pessoal, que evita a tibieza e, com ela, a morte dos desejos de santidade; estaremos vigilantes se não abandonarmos os pequenos sacrifícios, que nos mantêm despertos para as coisas de Deus. Diz-nos São Bernardo: “Irmãos, a vós, como às crianças, Deus revela o que ocultou aos sábios e entendidos: os autênticos caminhos da salvação. Aprofundai no sentido deste Advento. E, sobretudo, observai quem é Aquele que vem, de onde vem e para onde vem; para quê, quando e por onde vem. É uma curiosidade boa. A Igreja não celebraria com tanta devoção este Advento se não contivesse algum grande mistério”

Procuremos afastar os motivos que impedem a acolhida do Senhor:

– os prazeres da vida: a pessoa mergulhada nos prazeres fica alienada… No domingo, dorme… passeia… pratica esportes… mas não sobra tempo para a Missa.

– trabalho excessivo: a pessoa obcecada pelo trabalho esquece o resto: Deus, a família, os amigos, a própria saúde…

Como desejo me preparar para o Natal desse ano?

Apenas programando festas, presentes, enfeites, músicas?

Preparemos numa atitude de humildade e vigilância a chegada de Cristo que vem.

____________________________________________________

*Monsenhor José Maria Pereira, Sacerdote da Diocese de Petrópolis, é, também, Professor, Juiz do Tribunal Eclesiástico Interdiocesano de Niterói e Diocesano de Petrópolis e Vigário da Paróquia de São José do ItamaratI, enviando para o site, semanalmente, a homilia do domingo.

dez 01

LEITURA ORANTE – POR FREI LUDOVICO GARMUS

LUDOVICO GARMUS

1º DOMINGO DO ADVENTO – FICAI ATENTOS E PREPARADOS –

*Por Frei Ludovico Garmus, ofm –

ORAÇÃO: Concedei-nos o ardente desejo de possuir o reino celeste, acorrendo com as nossas boas obras ao encontro do Cristo que vem.

1. PRIMEIRA LEITURA: Is 2,1-5

O Senhor reúne todas as nações para a paz eterna do Reino.

Este pequeno oráculo foi pronunciado pelo profeta Isaías em momento de grave crise. Percebe-se a gravidade da crise política, social e religiosa já no primeiro capítulo. Jerusalém está cercada pelas tropas da Assíria (Is 1,2-9). Deus rejeita os sacrifícios do culto oficial, pois quem os oferece tem as “mãos cheias de sangue”, assassinatos, violência, injustiça e corrupção (v. 10-15). Isaías repreende e ameaça os chefes e juízes, exortando-os a deixar de fazer o mal e começar a fazer o bem. Mas, ao mesmo tempo, espera uma intervenção salvadora de Deus, para que Jerusalém, infiel e cheia de injustiça, receba um novo nome: “cidade da justiça, cidade fiel”. Nesse contexto de promessas de salvação foi acrescentada a visão de Isaías, que hoje ouvimos, apontando para um futuro cheio de esperança para Judá e Jerusalém, e para toda a humanidade. O texto é um “cântico de Sião”, no qual os judeus se convidam para a peregrinação anual a Jerusalém (cf. Sl 122). Aqui, porém, são os povos de todas as nações que fazem o convite para a peregrinação. A meta da peregrinação é “o monte da casa do Senhor”. Entre os povos do Médio Oriente fala-se em “montanha dos deuses”. A montanha é o lugar do encontro entre o Céu e a terra, lugar privilegiado para o encontro com Deus. Os que participam da peregrinação desejam encontrar-se com Deus e esperam que Ele “mostre seus caminhos e ensine a cumprir seus preceitos”. Porque para os judeus é “de Sião que provém a lei e de Jerusalém, a palavra do Senhor”. Os chefes e juízes de Jerusalém não julgavam com justiça os mais pobres e semeavam a violência na cidade. Mas, tendo o Deus de Israel como juiz, deixando que Ele mostre os seus caminhos e ensine a cumprir seus preceitos, haverá paz messiânica entre as nações. Não haverá mais guerra, porque as espadas serão transformadas em arados e as lanças em foices. Os instrumentos de morte se transformarão em instrumentos que promovem a vida. Por fim, o profeta, unindo-se a todos os povos, convoca também a nós: “deixemo-nos guiar pela luz do Senhor”. – Para Isaías, Jerusalém e o templo são a morada de Deus. De lá o Senhor ensinará a todos os povos a seguir o seu caminho e cumprir seus preceitos. A partir de Jerusalém também Jesus enviará os seus discípulos para anunciar o Evangelho a todos os povos (Lc 24,47; At 1,8; Mt 28,16-20).

SALMO RESPONSORIAL: Sl 121

Que alegria, quando me disseram: “Vamos à casa do Senhor”!

2. SEGUNDA LEITURA: Rm 13,11-14a

A salvação está mais perto de nós.

Paulo ainda não conhecia pessoalmente a comunidade cristã de Roma. Conheceu-a apenas indiretamente, através do casal Áquila e Priscila, judeus convertidos vindos de Roma. Encontrou o casal em Corinto e como eram também fabricantes de tendas, trabalhava e se hospedava com eles (At 18,1-4). De tanto ouvir falar dos cristãos de Roma, Paulo desejava visitá-los para também ali anunciar o Evangelho (At 19,21-22). Escreve a Carta aos Romanos, a fim de preparar sua visita. No trecho que hoje ouvimos, percebe-se que, para Paulo, o anúncio do Evangelho e a vida cristã são dinâmicos, quando impulsionados pela expectativa do dia da vinda do Senhor. A frase inicial “Vós sabeis em que tempo estamos, pois já é hora de despertar... a salvação está mais perto”, convida a nos situarmos no tempo de Paulo e das comunidades cristãs. A pergunta pelo tempo é também a pergunta pelo hoje de nossas vidas. A esperança da próxima vinda do Senhor, coloca-nos no chão de nossas vidas. No tempo de Paulo, os judeu-cristãos eram perseguidos em Roma e expulsos por decreto do imperador Cláudio, como Áquila e Priscila. E quais são os problemas, as angústias e sofrimentos que afligem nossas vidas e sociedade? Para seu tempo, e para o nosso, Paulo dá algumas orientações: “É hora de despertar... porque a salvação está próxima”. É tempo de Advento, da esperança do Senhor que vem nos salvar. Despir tudo que significa noite ou trevas (pecado, ódio, violência) e vestir-se das armas da luz; isto é, “revestir-se do Senhor Jesus Cristo”. Não basta dizer que os políticos e a sociedade são corruptos, mas é preciso que todos nós mesmos “procedamos honestamente como em pleno dia”.

ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

Mostrai-nos, ó Senhor, vossa bondade

e a vossa salvação no concedei!

3. EVANGELHO: Mt 24,37-44

Ficai atentos e preparados!

O tema do Evangelho é a vinda do Filho do Homem e como preparar-se para recebê-lo. A vinda do Filho do Homem é certa, mas a hora é incerta. No versículo anterior ao texto hoje proclamado, o próprio Jesus diz: “Quanto ao dia e à hora, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho do Homem, mas somente o Pai”. As comparações ilustram como será essa vinda do Filho do Homem e nos convidam à vigilância: Por ocasião do dilúvio, Noé construiu a arca porque foi advertido por Deus. Todos os outros homens, apesar dos avisos de Noé, continuaram sua vida normal, cheia de violência e maldade. Noé salvou sua família e os animais recolhidos na arca enquanto as outras pessoas pereceram porque não se terem convertido. E Jesus explica: “Assim acontecerá também na vinda do Filho do Homem (v. 37-39). O exemplo dos lavradores (v. 40) e das donas de casa que trabalham juntas (v. 41), ou do dono da casa que deve estar atento para impedir que o ladrão lhe arrombe a casa (v. 43) ilustram a necessidade de aguardar vigilantes a vinda do Filho do Homem. No evangelho, Jesus fala quatro vezes da vinda do Filho do Homem. Como não sabemos quando o Senhor virá, fiquemos atentos e vigilantes, preparados para recebê-lo com alegria. Que o Senhor nos encontre ocupados servindo com amor ao próximo.

_________________________________________________________

* Monsenhor José Maria Pereira, Sacerdote da Diocese de Petrópolis, é, também, Professor, Juiz do Tribunal Eclesiástico Interdiocesano de Niterói e Diocesano de Petrópolis e Vigário da Paróquia de São José do ItamaratI, enviando para o site, semanalmente, a homilia do domingo.

dez 01

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS SUGERIDAS PARA HOJE

Closeup of wooden Christian cross on bible

1º DOMINGO DO ADVENTO – 01/12/2019

4Não cesso de agradecer a Deus por vós, pela graça divina que vos foi dada em Jesus Cristo.5Nele fostes ricamente contemplados com todos os dons, com os da palavra e os da ciência,6tão solidamente foi confirmado em vós o testemunho de Cristo.7Assim, enquanto aguardais a manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo, não vos falta dom algum.8Ele há de vos confirmar até o fim, para que sejais irrepreensíveis no dia de nosso Senhor Jesus Cristo.9Fiel é Deus, por quem fostes chamados à comunhão de seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor.10Rogo-vos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que todos estejais em pleno acordo e que não haja entre vós divisões. Vivei em boa harmonia, no mesmo espírito e no mesmo sentimento.” (1Cor 1, 4-10)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DO LIVRO DO PROFETA ISAÍAS – (Is 2,1-5) –

1Visão de Isaías, filho de Amós, sobre Judá e Jerusalém. 2Acontecerá, nos últimos tempos, que o monte da casa do Senhor estará firmemente estabelecido no ponto mais alto das montanhas e dominará as colinas. A ele acorrerão todas as nações, 3para lá irão numerosos povos e dirão: “Vamos subir ao monte do Senhor, à casa do Deus de Jacó, para que ele nos mostre seus caminhos e nos ensine a cumprir seus preceitos”; porque de Sião provém a lei e de Jerusalém, a palavra do Senhor. 4Ele há de julgar as nações e arguir numerosos povos; estes transformarão suas espadas em arados e suas lanças em foices: não pegarão em armas uns contra os outros e não mais travarão combate. 5Vinde, todos da casa de Jacó, e deixemo-nos guiar pela luz do Senhor.  

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

SALMO RESPONSORIAL: Sl 121(122)

R. Que alegria quando me disseram: / “Vamos à casa do Senhor!”

1. Que alegria quando ouvi que me disseram: / “Vamos à casa do Senhor” / E agora nossos pés já se detêm, / Jerusalém, em tuas portas. 

R. Que alegria quando me disseram: / “Vamos à casa do Senhor!”

2. Para lá sobem as tribos de Israel, / as tribos do Senhor. / Para louvar, segundo a lei de Israel, / o nome do Senhor. / A sede da justiça lá está / e o trono de Davi. 

R. Que alegria quando me disseram: / “Vamos à casa do Senhor!”

3. Rogai que viva em paz Jerusalém / e em segurança os que te amam! / Que a paz habite dentro de teus muros, / tranquilidade em teus palácios! 

R. Que alegria quando me disseram: / “Vamos à casa do Senhor!”

4. Por amor a meus irmãos e meus amigos, / peço: “A paz esteja em ti!” / Pelo amor que tenho à casa do Senhor, / eu te desejo todo bem! 

R. Que alegria quando me disseram: / “Vamos à casa do Senhor!”

SEGUNDA LEITURA:

LEITURA DA CARTA DE SÃO PAULO AOS ROMANOS – (Rm 13,11-14)

Irmãos, 11vós sabeis em que tempo estamos, pois já é hora de despertar. Com efeito, agora a salvação está mais perto de nós do que quando abraçamos a fé. 12A noite já vai adiantada, o dia vem chegando: despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da luz. 13Procedamos honestamente, como em pleno dia: nada de glutonerias e bebedeiras, nem de orgias sexuais e imoralidades, nem de brigas e rivalidades. 14Pelo contrário, revesti-vos do Senhor Jesus Cristo.    

 – Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

EVANGELHO: Mt 24,37-44

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, Jesus disse aos seus discípulos: 37“A vinda do Filho do homem será como no tempo de Noé. 38Pois, nos dias antes do dilúvio, todos comiam e bebiam, casavam-se e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca. 39E eles nada perceberam, até que veio o dilúvio e arrastou a todos. Assim acontecerá também na vinda do Filho do homem. 40Dois homens estarão trabalhando no campo: um será levado e o outro será deixado. 41Duas mulheres estarão moendo no moinho: uma será levada e a outra será deixada. 42Portanto, ficai atentos, porque não sabeis em que dia virá o Senhor. 43Compreendei bem isto: se o dono da casa soubesse a que horas viria o ladrão, certamente vigiaria e não deixaria que a sua casa fosse arrombada. 44Por isso, também vós ficai preparados! Porque, na hora em que menos pensais, o Filho do homem virá”.                

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

nov 30

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS SUGERIDAS PARA HOJE

LER A BÍBLIA

34ª SEMANA DO TEMPO COMUM – SÁBADO – 30/11/2019 –

3Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que do alto do céu nos abençoou com toda a bênção espiritual em Cristo,4e nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis, diante de seus olhos.5No seu amor nos predestinou para sermos adotados como filhos seus por Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua livre vontade,6para fazer resplandecer a sua maravilhosa graça, que nos foi concedida por ele no Bem-amado.  7Nesse Filho, pelo seu sangue, temos a Redenção, a remissão dos pecados, segundo as riquezas da sua graça8que derramou profusamente sobre nós, em torrentes de sabedoria e de prudência.” (Ef 1, 3-8)

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DA CARTA DE SÃO PAULO AOS ROMANOS – (Rm  10,9-18) –

Irmãos, 9se, com tua boca, confessares Jesus como Senhor e, no teu coração, creres que Deus o ressuscitou dos mortos, serás salvo. 10É crendo no coração que se alcança a justiça e é confessando a fé com a boca que se consegue a salvação. 11Pois a Escritura diz: “Todo aquele que nele crer não ficará confundido”. 12Portanto, não importa a diferença entre judeu e grego; todos têm o mesmo Senhor, que é generoso para com todos os que o invocam. 13De fato, todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. 14Mas como invocá-lo sem antes crer nele? E como crer sem antes ter ouvido falar dele? E como ouvir sem alguém que pregue? 15E como pregar sem ser enviado para isso? Assim é que está escrito: “Quão belos são os pés dos que anunciam o bem”. 16Mas nem todos obedeceram à Boa-Nova. Pois Isaías diz: “Senhor, quem acreditou em nossa pregação?” 17Logo, a fé vem da pregação, e a pregação se faz pela palavra de Cristo. 18Então, eu pergunto: será que eles não ouviram? Certamente que ouviram, pois “a voz deles se espalhou por toda a terra, e as suas palavras chegaram aos confins do mundo”.         

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Mt 4,18-22

O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo São Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 18quando Jesus andava à beira do mar da Galileia, viu dois irmãos: Simão, chamado Pedro, e seu irmão André. Estavam lançando a rede ao mar, pois eram pescadores. 19Jesus disse a eles: “Segui-me, e eu farei de vós pescadores de homens”. 20Eles, imediatamente, deixaram as redes e o seguiram. 21Caminhando um pouco mais, Jesus viu outros dois irmãos: Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João. Estavam na barca com seu pai, Zebedeu, consertando as redes. Jesus os chamou. 22Eles, imediatamente, deixaram a barca e o pai e o seguiram.                     

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/    

Posts mais antigos «

Apoio: