Lisaac

Sementes da Palavra, É tempo de semear

Lisaac

Detalhes do autor

Nome: Luiz Antonio de Moura
Data de registro: 12 de dezembro de 2014

Últimos posts

  1. LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS INDICADAS PARA HOJE — 15 de junho de 2019
  2. LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS INDICADAS PARA HOJE — 14 de junho de 2019
  3. LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS INDICADAS PARA HOJE — 13 de junho de 2019
  4. LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS INDICADAS PARA HOJE — 12 de junho de 2019
  5. LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS INDICADAS PARA HOJE — 11 de junho de 2019

Posts mais comentados

  1. AS APARIÇÕES DE FÁTIMA — 13 comentários
  2. TERÇO DE LIBERTAÇÃO E CURA — 11 comentários
  3. GRUPO DE ORAÇÃO PERMANENTE — 10 comentários
  4. EVANGELHO DE HOJE – CLIQUE AQUI E LEIA — 5 comentários
  5. COMENTÁRIO AO EVANGELHO — 5 comentários

Listas de posts do autor

jun 15

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS INDICADAS PARA HOJE

BÍBLIA - NOSSO CAMINHO E SALVAÇÃO

10ª SEMANA DO TEMPO COMUM – SÁBADO – 15/06/2019 –

13Nenhuma criatura lhe é invisível. Tudo é nu e descoberto aos olhos daquele a quem havemos de prestar contas.14Temos, portanto, um grande Sumo Sacerdote que penetrou nos céus, Jesus, Filho de Deus. Conservemos firme a nossa fé.15Porque não temos nele um pontífice incapaz de compadecer-se das nossas fraquezas. Ao contrário, passou pelas mesmas provações que nós, com exceção do pecado.16Aproximemo-nos, pois, confiadamente do trono da graça, a fim de alcançar misericórdia e achar a graça de um auxílio oportuno. (Hb 4, 13-16)”

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DA SEGUNDA CARTA DE SÃO PAULO AOS CORÍNTIOS – (IICor 5,14-21) – Irmãos, 14o amor de Cristo nos pressiona, pois julgamos que um só morreu por todos e que, logo, todos morreram. 15De fato, Cristo morreu por todos, para que os vivos não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou. 16Assim, doravante, não conhecemos ninguém conforme a natureza humana. E, se uma vez conhecemos Cristo segundo a carne, agora já não o conhecemos assim. 17Portanto, se alguém está em Cristo, é uma criatura nova. O mundo velho desapareceu. Tudo agora é novo. 18E tudo vem de Deus, que, por Cristo, nos reconciliou consigo e nos confiou o ministério da reconciliação. 19Com efeito, em Cristo, Deus reconciliou o mundo consigo, não imputando aos homens as suas faltas e colocando em nós a palavra da reconciliação. 20Somos, pois, embaixadores de Cristo, e é Deus mesmo que exorta através de nós. Em nome de Cristo, nós vos suplicamos: deixai-vos reconciliar com Deus. 21Aquele que não cometeu nenhum pecado, Deus o fez pecado por nós, para que nele nós nos tornemos justiça de Deus.    

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO: Mt  5,33-37

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 33“Vós ouvistes o que foi dito aos antigos: ‘Não jurarás falso’, mas ‘cumprirás os teus juramentos feitos ao Senhor’. 34Eu, porém, vos digo, não jureis de modo algum: nem pelo céu, porque é o trono de Deus; 35nem pela terra, porque é o suporte onde apoia os seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande rei. 36Não jures tampouco pela tua cabeça, porque tu não podes tornar branco ou preto um só fio de cabelo. 37Seja o vosso ‘sim’ sim e o vosso ‘não’ não. Tudo o que for além disso vem do maligno”.              

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

jun 14

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS INDICADAS PARA HOJE

BÍBLIA - NOSSO CAMINHO E SALVAÇÃO

10ª SEMANA DO TEMPO COMUM – SEXTA-FEIRA – 14/06/2019 –

8Quando subiu ao alto, levou muitos cativos, cumulou de dons os homens (Sl 67,19).9Ora, que quer dizer ele subiu, senão que antes havia descido a esta terra?10Aquele que desceu é também o que subiu acima de todos os céus, para encher todas as coisas.11A uns ele constituiu apóstolos; a outros, profetas; a outros, evangelistas, pastores, doutores, 12para o aperfeiçoamento dos cristãos, para o desempenho da tarefa que visa à construção do corpo de Cristo,13até que todos tenhamos chegado à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, até atingirmos o estado de homem feito, a estatura da maturidade de Cristo. (Ef 4, 8-13)”

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DA SEGUNDA CARTA DE SÃO PAULO AOS CORÍNTIOS – (IICor 4,7-15) – Irmãos, 7trazemos esse tesouro em vasos de barro, para que todos reconheçam que este poder extraordinário vem de Deus e não de nós. 8Somos afligidos de todos os lados, mas não vencidos pela angústia; postos entre os maiores apuros, mas sem perder a esperança; 9perseguidos, mas não desamparados; derrubados, mas não aniquilados; 10por toda parte e sempre levamos em nós mesmos os sofrimentos mortais de Jesus, para que também a vida de Jesus seja manifestada em nossos corpos. 11De fato, nós, os vivos, somos continuamente entregues à morte por causa de Jesus, para que também a vida de Jesus seja manifestada em nossa natureza mortal. 12Assim, a morte age em nós, enquanto a vida age em vós. 13Mas, sustentados pelo mesmo espírito de fé, conforme o que está escrito: “Eu creio e, por isso, falei”, nós também cremos e, por isso, falamos, 14certos de que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus nos ressuscitará também com Jesus e nos colocará ao seu lado, juntamente convosco. 15E tudo isso é por causa de vós, para que a abundância da graça em um número maior de pessoas faça crescer a ação de graças para a glória de Deus.    

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO: Mt  5,27-32

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 27“Ouvistes o que foi dito: ‘Não cometerás adultério’. 28Eu, porém, vos digo, todo aquele que olhar para uma mulher com o desejo de possuí-la já cometeu adultério com ela no seu coração. 29Se o teu olho direito é para ti ocasião de pecado, arranca-o e joga-o para longe de ti! De fato, é melhor perder um de teus membros do que todo o teu corpo ser jogado no inferno. 30Se a tua mão direita é para ti ocasião de pecado, corta-a e joga-a para longe de ti! De fato, é melhor perder um dos teus membros do que todo o teu corpo ir para o inferno. 31Foi dito também: ‘Quem se divorciar de sua mulher, dê-lhe uma certidão de divórcio’. 32Eu, porém, vos digo, todo aquele que se divorcia de sua mulher, a não ser por motivo de união irregular, faz com que ela se torne adúltera; e quem se casa com a mulher divorciada comete adultério”.              

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

jun 13

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS INDICADAS PARA HOJE

BÍBLIA - NOSSO CAMINHO E SALVAÇÃO

10ª SEMANA DO TEMPO COMUM – QUINTA-FEIRA – 13/06/2019 –

8Quando subiu ao alto, levou muitos cativos, cumulou de dons os homens (Sl 67,19).9Ora, que quer dizer ele subiu, senão que antes havia descido a esta terra?10Aquele que desceu é também o que subiu acima de todos os céus, para encher todas as coisas.11A uns ele constituiu apóstolos; a outros, profetas; a outros, evangelistas, pastores, doutores, 12para o aperfeiçoamento dos cristãos, para o desempenho da tarefa que visa à construção do corpo de Cristo,13até que todos tenhamos chegado à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, até atingirmos o estado de homem feito, a estatura da maturidade de Cristo. (Ef 4, 8-13)”

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DA SEGUNDA CARTA DE SÃO PAULO AOS CORÍNTIOS – (IICor 3,15-4,1.3-6) – Irmãos, 15até o dia de hoje, quando os israelitas leem os escritos de Moisés, um véu cobre o coração deles. 16Mas, todas as vezes que o coração se converte ao Senhor, o véu é tirado. 17Pois o Senhor é o Espírito, e onde está o Espírito do Senhor, aí está a liberdade. 18Todos nós, porém, com o rosto descoberto, contemplamos e refletimos a glória do Senhor e assim somos transformados à sua imagem, pelo seu Espírito, com uma glória cada vez maior. 4,1Não desanimamos no exercício deste ministério que recebemos da misericórdia divina. 3E se o nosso evangelho está velado, é só para aqueles que perecem que ele está velado. 4O deus deste mundo cegou a inteligência desses incrédulos, para que eles não vejam a luz esplendorosa do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus. 5De fato, não nos pregamos a nós mesmos, pregamos a Jesus Cristo, o Senhor. Quanto a nós, apresentamo-nos como servos vossos, por causa de Jesus. 6Com efeito, Deus que disse: “Do meio das trevas brilhe a luz” é o mesmo que fez brilhar a sua luz em nossos corações, para tornar claro o conhecimento da sua glória na face de Cristo.    

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO: Mt  5,20-26

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 20“Se a vossa justiça não for maior que a justiça dos mestres da lei e dos fariseus, vós não entrareis no reino dos céus. 21Vós ouvistes o que foi dito aos antigos: ‘Não matarás! Quem matar será condenado pelo tribunal’. 22Eu, porém, vos digo, todo aquele que se encoleriza com seu irmão será réu em juízo; quem disser ao seu irmão ‘patife!’ será condenado pelo tribunal; quem chamar o irmão de tolo será condenado ao fogo do inferno. 23Portanto, quando tu estiveres levando a tua oferta para o altar e ali te lembrares que teu irmão tem alguma coisa contra ti, 24deixa a tua oferta ali, diante do altar, e vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão. Só então vai apresentar a tua oferta. 25Procura reconciliar-te com teu adversário, enquanto caminha contigo para o tribunal. Senão o adversário te entregará ao juiz, o juiz te entregará ao oficial de justiça, e tu serás jogado na prisão. 26Em verdade eu te digo, dali não sairás, enquanto não pagares o último centavo”.             

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

jun 12

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS INDICADAS PARA HOJE

BÍBLIA - NOSSO CAMINHO E SALVAÇÃO

10ª SEMANA DO TEMPO COMUM – QUARTA-FEIRA – 12/06/2019 –

8Quando subiu ao alto, levou muitos cativos, cumulou de dons os homens (Sl 67,19).9Ora, que quer dizer ele subiu, senão que antes havia descido a esta terra?10Aquele que desceu é também o que subiu acima de todos os céus, para encher todas as coisas.11A uns ele constituiu apóstolos; a outros, profetas; a outros, evangelistas, pastores, doutores, 12para o aperfeiçoamento dos cristãos, para o desempenho da tarefa que visa à construção do corpo de Cristo,13até que todos tenhamos chegado à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, até atingirmos o estado de homem feito, a estatura da maturidade de Cristo. (Ef 4, 8-13)”

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DA SEGUNDA CARTA DE SÃO PAULO AOS CORÍNTIOS – (IICor 3,4-11) – Irmãos, 4é por Cristo que temos tal confiança perante Deus, 5não porque sejamos capazes, por nós mesmos, de ter algum pensamento como de nós mesmos, mas essa nossa capacidade vem de Deus. 6Ele é que nos tornou capazes de exercer o ministério de uma aliança nova. Esta não é uma aliança da letra, mas do Espírito. Pois a letra mata, mas o Espírito comunica a vida. 7Se o ministério da morte, gravado em pedras com letras, foi cercado de tanta glória, que os israelitas não podiam fitar o rosto de Moisés por causa do seu fulgor, ainda que passageiro, 8quanto mais glorioso não será o ministério do Espírito? 9Pois, se o ministério da condenação foi glorioso, muito mais glorioso há de ser o ministério a serviço da justificação. 10Realmente, em comparação com uma glória tão eminente, já não se pode chamar glória o que então tinha sido glorioso. 11Pois, se o que era passageiro foi marcado de glória, muito mais glorioso será o que permanece.    

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO: Mt  5,17-19

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 17“Não penseis que vim abolir a lei e os profetas. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento. 18Em verdade eu vos digo, antes que o céu e a terra deixem de existir, nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da lei sem que tudo se cumpra. 19Portanto, quem desobedecer a um só desses mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo será considerado o menor no reino dos céus. Porém quem os praticar e ensinar será considerado grande no reino dos céus”.             

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

jun 11

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS INDICADAS PARA HOJE

BÍBLIA - NOSSO CAMINHO E SALVAÇÃO

10ª SEMANA DO TEMPO COMUM – TERÇA-FEIRA – SÃO BARNABÉ, APÓSTOLO – 11/06/2019 –

8Quando subiu ao alto, levou muitos cativos, cumulou de dons os homens (Sl 67,19).9Ora, que quer dizer ele subiu, senão que antes havia descido a esta terra?10Aquele que desceu é também o que subiu acima de todos os céus, para encher todas as coisas.11A uns ele constituiu apóstolos; a outros, profetas; a outros, evangelistas, pastores, doutores, 12para o aperfeiçoamento dos cristãos, para o desempenho da tarefa que visa à construção do corpo de Cristo,13até que todos tenhamos chegado à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, até atingirmos o estado de homem feito, a estatura da maturidade de Cristo. (Ef 4, 8-13)”

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DOS ATOS DOS APÓSTOLOS – (At    11,21-26;13,1-3) – Naqueles dias, 21muitas pessoas acreditaram no evangelho e se converteram ao Senhor. 22A notícia chegou aos ouvidos da Igreja que estava em Jerusalém. Então enviaram Barnabé até Antioquia. 23Quando Barnabé chegou e viu a graça que Deus havia concedido, ficou muito alegre e exortou a todos para que permanecessem fiéis ao Senhor, com firmeza de coração. 24É que ele era um homem bom, cheio do Espírito Santo e de fé. E uma grande multidão aderiu ao Senhor. 25Então Barnabé partiu para Tarso, à procura de Saulo. 26Tendo encontrado Saulo, levou-o a Antioquia. Passaram um ano inteiro trabalhando juntos naquela Igreja e instruíram uma numerosa multidão. Em Antioquia os discípulos foram, pela primeira vez, chamados com o nome de cristãos. 13,1Na Igreja de Antioquia havia profetas e doutores. Eram eles: Barnabé, Simeão, chamado o Negro, Lúcio de Cirene, Manaém, que fora criado junto com Herodes, e Saulo. 2Um dia, enquanto celebravam a liturgia em honra do Senhor e jejuavam, o Espírito Santo disse: “Separai para mim Barnabé e Saulo, a fim de fazerem o trabalho para o qual eu os chamei”. 3Então eles jejuaram e rezaram, impuseram as mãos sobre Barnabé e Saulo e deixaram-nos partir.    

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO: Mt  10,7-13

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 7“Em vosso caminho, anunciai: ‘O reino dos céus está próximo’. 8Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. De graça recebestes, de graça deveis dar! 9Não leveis ouro, nem prata, nem dinheiro nos vossos cintos; 10nem sacola para o caminho, nem duas túnicas, nem sandálias, nem bastão, porque o operário tem direito ao seu sustento. 11Em qualquer cidade ou povoado onde entrardes, informai-vos para saber quem ali seja digno. Hospedai-vos com ele até a vossa partida. 12Ao entrardes numa casa, saudai-a. 13Se a casa for digna, desça sobre ela a vossa paz; se ela não for digna, volte para vós a vossa paz”.’             

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

jun 10

EDITORIAL DA SEMANA: SEU MELHOR AMIGO É O SEU PRÓPRIO EU, CONVERSE COM ELE

EU e EU - 2019

EU e EU: UMA RELAÇÃO CONTURBADA, MAS VERDADEIRA –

*Por Luiz Antonio de Moura –

Pode parecer loucura, mas não é não. Eu sempre ando com o meu Eu, que é aquele que sempre me revela as coisas como elas são de verdade, ainda que eu não goste muito ou não fique tão satisfeito o quanto poderia ficar. Por exemplo, quando paro em frente ao espelho eu me acho perfeitamente bem: bonito, elegante, esteticamente arrumado, alto, enfim, pronto para todas as lutas. Mas, o meu EU, logo, logo, trata de apequenar minhas pretensões, mostrando algumas ruguinhas, uma gordurinha aqui e outra ali, uma calvície mais avançada do que eu havia admitido, uma estatura pouco abaixo da mediana, algumas impropriedades no modo de ser e de agir e, se eu digo que não estou tão mal assim, o meu EU logo me diz que estou querendo me enganar, e procura aumentar o grau da minha visão, para que eu consiga enxergar tudo direitinho.

Essa relação do eu com o próprio EU, sempre, é muito conturbada porque, de um lado está um eu, repleto de imagens, de crenças, de vaidades e de pretensões; do outro lado, está o EU que, de fato, é quem detém a coragem, a disciplina, a honestidade e, por que não dizer, a própria sabedoria para mostrar o quão enganado está aquele eu que, na maioria das vezes tenta se iludir de verdade, na pretensão de viver e de ser um pouco mais feliz, ainda que de forma fantasiosa.

Alguém poderá dizer que isso é, mesmo, coisa de maluco. Mas, não é não. Pare para pensar em quantas vezes você já se deparou com este diálogo, entre os dois EUS, diante das mais diversas situações. Quantas vezes você quis fazer uma coisa e o seu EU disse para não fazer? Quantas vezes você pensou uma coisa acerca de si e o seu EU, honesto, sincero e verdadeiro como é, mostrou outra realidade bem diferente?

De certa forma, podemos dizer que nunca estamos sozinhos. Somos sempre dois. Um eu visível que ama e que prestigia as aparências, e outro invisível, para quem tudo é muito claro, mas, que teima em estar sempre junto, falando, cochichando, chamando a atenção, criticando, falando muitas coisas que não gostaríamos de ouvir, perturbando mesmo.

Embora pareça ser uma relação bastante conturbada, o fato é que ela é, também, bastante saudável porque, com o passar do tempo acabamos nos acostumando com a presença onipresente do nosso EU e, em estágios mais avançados, existe mesmo um diálogo aberto e franco entre ambos. É o que muitos chamam de “falar sozinho”. Na verdade não existe esta hipótese de falar sozinho. Quem fala, sempre fala com alguém, mesmo que seja absolutamente invisível para o mundo externo.

Falar com o EU, quando o compreendemos perfeitamente bem, é medida muito   salutar, proveitosa e engrandecedora, porque, como disse, quando bem o compreendemos, percebemos o quanto de nós, e sobre nós, é revelado de forma tão simples e tão verdadeira. Revelação que, no fundo, apenas nos torna pessoas muito melhores, porque lança para fora de nós aquela pretensão de sermos e de estarmos, sempre, em situação excelente e até superior às demais criaturas. Revelação que faz de nós pessoas mais comedidas, mais humildes, mais simples, mais realistas e, portanto, mais fáceis na convivência com os nossos semelhantes, aos quais julgamos até poder criticar, pois vemos neles, de forma bastante clara, todos os defeitos que existiam em nós e que, com a ajuda do nosso EU, aprendemos a corrigir lenta e progressivamente.

A relação do EU com o EU pode assumir uma condição de permanente e acalorada discussão, a ponto de a pessoa não suportar a si mesma, porque está sempre sendo confrontada com uma realidade que teima em não aceitar como verdadeira. Odeiam e repudiam a solidão absoluta, porque sentem medo do Eu interior. Daí conhecermos pessoas que parecem estar sempre de mal com a vida, sempre de mal humor. De péssimo humor! Estas pessoas, por onde quer que passem, e o que quer que façam, são criticadas pelo próprio EU que, de tanto agir, faz com que a pessoa se torne insegura demais e viva perguntando aos semelhantes coisas do tipo: como você me vê? Você acha que sou feia(ao)? Acha que estou muito gordo(a)? enxerga muitas rugas em mim? O que está achando do meu cabelo? Vivem elaborando perguntas sem pé nem cabeça, próprias de quem já ouviu as respostas, vindas do próprio EU, mas que insistem em não acreditar, e aí, uma resposta politicamente correta de uma outra pessoa, pode ajudar a inflamar ainda mais o duelo entre os dois EUS.

Entretanto, quando a relação entre eles é boa. Quando o primeiro eu aceita pacificamente todas as observações, críticas e sugestões do segundo EU, e procura se adequar às posturas e às sugestões propostas, a vida parece ganhar mais sentido e a pessoa passa a viver de forma mais feliz. Visivelmente feliz! É quando vemos a pessoa sempre de bom humor; sempre animada para tudo e disponível para todos, a qualquer momento. Pessoas que são capazes de enfrentar seus desafios com bastante naturalidade, porque sabem que, na hora “H”, farão uma breve consulta ao seu EU interior e, juntos, encontrarão respostas até então impensáveis. Acredito ter sido este o caminho escolhido e trilhado pelos grandes gênios da história. Depois de muitas batalhas interiores, a genialidade aflora e produz resultados espetaculares.

Porém, para que esta relação seja assim, boa, amistosa e feliz, é necessário ouvir a sábia voz do Eu interior, porque ele, melhor do que ninguém, é capaz de dizer as coisas mais espantosas sobre nós. Coisas que ninguém, ou quase ninguém, é capaz de nos dizer franca e abertamente. Coisas difíceis, sim, mas, verdadeiras e honestas porque, o que o nosso EU mais deseja é que sejamos felizes do jeito que somos e no meio no qual estamos inseridos. Por esta razão, ele joga na cara, fala de forma escancarada, critica sem meias palavras mas, também, apresenta as mais sábias e pertinentes soluções. É preciso ouvir o nosso EU, se quisermos viver de verdade e em verdade, porque, apenas nas aparências, uma hora a máscara cai, e aí, a decepção poderá ser grande demais para que consigamos sobreviver sem sérias sequelas. Aí estão as depressões e os suicídios a confirmarem  tese.

Minha relação com o meu Eu é tão boa e tão profícua que, há muito tempo eu o promovi à condição de Anjo porque, além de me alertar constantemente sobre o perigo das minhas inconstâncias, incoerências, insanidades, desregramentos, indisciplinas, explosões e rebeldias ele sempre me sugere caminhos sábios, seguros e promissores. Com o tempo, aprendi a respeitá-lo e a ouvi-lo com bastante frequência. Melhorei muito a partir de quando isso aconteceu porque, ao contrário do que eu acreditava, comecei a aprender muito mais sobre mim mesmo, evitando surpresas e ira ao ouvir a opinião de terceiros, e assim, pude corrigir muitos caminhos, jeitos, mal jeitos e trejeitos que estavam incrustados na minha vida e na forma como eu via, tudo e todos à minha volta, travando e obscurecendo a visão do que seja, realmente, uma existência verdadeiramente  feliz.

Ainda que este texto te pareça coisa de maluco, sugiro que reflita sobre ele e veja como andam as suas relações com o seu próprio EU. Veja se não está  fazendo ouvidos de mercador, quando ele fala tudo o que você precisa, mas não gostaria, de ouvir. Saiba que, do aperfeiçoamento desta relação entre os dois EUS, quem sai fortalecido é o “amor próprio”, cuja condição necessária para o crescimento e o fortalecimento é a confiança mútua. E, para que esta confiança se faça sempre presente, é preciso que você ouça a voz do seu EU, acredite nele e siga todas as suas intuições. Assim, você poderá ser muito mais feliz, porque aprenderá a se amar de tal forma, que assumirá quem, realmente, você é, e aceitará fazer profundas mudanças no jeito de ser e de viver, para que todos os que convivem próximos a você possam te amar também, fazendo com que a vida seja vivida em plenitude e com alegria.

Não brigue com o seu EU, porque ninguém é mais fiel, mais leal, mais amigo e mais honesto com você do que ele. Separar-se dele é optar por um terrível e angustiante abandono de si mesmo(a) porque, pode ser que ninguém te suporte tanto quanto ele, e que ninguém consiga te fazer tão feliz, também, quanto ele. Pense sobre isso. Seja feliz, e boa sorte!

________________________________________________________

*Luiz Antonio de Moura é um pensador espiritualista, um caminhante e um cultor do silêncio.

jun 10

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS INDICADAS PARA HOJE

IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA - 2

10ª SEMANA DO TEMPO COMUM – SEGUNDA-FEIRA – MARIA, MÃE DA IGREJA – 10/06/2019 –

8Quando subiu ao alto, levou muitos cativos, cumulou de dons os homens (Sl 67,19).9Ora, que quer dizer ele subiu, senão que antes havia descido a esta terra?10Aquele que desceu é também o que subiu acima de todos os céus, para encher todas as coisas.11A uns ele constituiu apóstolos; a outros, profetas; a outros, evangelistas, pastores, doutores, 12para o aperfeiçoamento dos cristãos, para o desempenho da tarefa que visa à construção do corpo de Cristo,13até que todos tenhamos chegado à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, até atingirmos o estado de homem feito, a estatura da maturidade de Cristo. (Ef 4, 8-13)”

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DO LIVRO DO GÊNESIS – (Gn    3,9-15.20) – Depois que Adão comera do fruto da árvore, 9o Senhor Deus o chamou, dizendo: “Onde estás?” 10E ele respondeu: “Ouvi tua voz no jardim e fiquei com medo porque estava nu; e me escondi”. 11Disse-lhe o Senhor Deus: “E quem te disse que estavas nu? Então comeste da árvore de cujo fruto te proibi comer?” 12Adão disse: “A mulher que tu me deste por companheira, foi ela que me deu do fruto da árvore, e eu comi”. 13Disse o Senhor Deus à mulher: “Por que fizeste isso?” E a mulher respondeu: “A serpente enganou-me, e eu comi”. 14Então o Senhor Deus disse à serpente: “Porque fizeste isso, serás maldita entre todos os animais domésticos e todos os animais selvagens! Rastejarás sobre o ventre e comerás pó todos os dias da tua vida! 15Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar”. 20E Adão chamou à sua mulher “Eva”, porque ela é a mãe de todos os viventes    

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO: Jo  19,25-34

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 25perto da cruz de Jesus, estavam de pé a sua mãe, a irmã da sua mãe, Maria de Cléofas, e Maria Madalena. 26Jesus, ao ver sua mãe e, ao lado dela, o discípulo que ele amava, disse à mãe: “Mulher, este é o teu filho”. 27Depois disse ao discípulo: “Esta é a tua mãe”. Daquela hora em diante, o discípulo a acolheu consigo. 28Depois disso, Jesus, sabendo que tudo estava consumado, e para que a Escritura se cumprisse até o fim, disse: “Tenho sede”. 29Havia ali uma jarra de vinagre. Amarraram numa vara uma esponja embebida de vinagre e levaram-na à boca de Jesus. 30Ele tomou o vinagre e disse: “Tudo está consumado”. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito. 31Era o dia da preparação para a Páscoa. Os judeus queriam evitar que os corpos ficassem na cruz durante o sábado, porque aquele sábado era dia de festa solene. Então pediram a Pilatos que mandasse quebrar as pernas aos crucificados e os tirasse da cruz. 32Os soldados foram e quebraram as pernas de um e depois do outro que foram crucificados com Jesus. 33Ao se aproximarem de Jesus, e vendo que já estava morto, não lhe quebraram as pernas; 34mas um soldado abriu-lhe o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água.             

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

jun 09

FREI LUDOVICO GARMUS: REFLEXÃO SOBRE AS LEITURAS DO DOMINGO

LUDOVICO GARMUS

PENTECOSTES – O PARÁCLITO É ENVIADO, CONFORME PROMETIDO –

*Por Frei Ludovico Garmus, ofm - 

Oração: “Deus eterno e todo-poderoso, quisestes que o mistério pascal se completasse durante cinquenta dias, até a vinda do Espírito Santo. Fazei que todas as nações dispersas pela terra, na diversidade de suas línguas, se unam no louvor do vosso nome”.

1. PRIMEIRA LEITURA: At 2,1-11

Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar.

João coloca a doação do Espírito Santo no dia da Páscoa, quando Jesus ressuscitado aparece aos apóstolos reunidos no Cenáculo (Evangelho). O evangelho de Lucas (cap. 24), também, coloca no mesmo dia as manifestações de Jesus Ressuscitado aos discípulos de Emaús e aos apóstolos, concluindo com a promessa do Espírito Santo e a Ascensão de Jesus ao céu. Nos Atos dos Apóstolos, porém, situa a Ascensão quarenta dias após a Páscoa e, dez dias depois, na festa judaica de Pentecostes, o dom do Espírito Santo. Na origem, Pentecostes era uma festa agrícola ligada a colheita do trigo, celebrada sete semanas após a festa da Páscoa. Era uma das três festas de peregrinação. Nesta festa o israelita devia comparecer diante de Deus e apresentar os primeiros frutos da colheita do trigo. No II século a.C., a festa de Pentecostes passou a comemorar a promulgação da Lei de Moisés no Sinai, feita 50 dias após a saída do Egito (cf. Ex 19,1-16). Na teofania do Sinai, a descida de Deus era acompanhada por “trovões, relâmpagos (...) fortíssimo som de trombetas (...) em meio ao fogo” (Ex 19,16-19). Rabi Johanan dizia a respeito: A voz divina “saiu e se repartiu em setenta vozes ou línguas, de modo que todos os povos a entendessem; e cada povo ouviu a voz em sua própria língua”. Lucas conhecia tal tradição. Por isso fala que a doação do Espírito se dá em meio a um “barulho” e “forte ventania”. Com a voz do Sinai, repartida em setenta línguas, a Lei de Moisés tornou-se conhecida em todo o mundo e unia os judeus dispersos no Império Romano. Agora, a partir de Jerusalém (At 1,8), também o Evangelho é pregado a todos os povos, citados em nosso texto. A diversidade das línguas nas quais cada um entendia a mensagem do Evangelho é um convite aos apóstolos e discípulos, impulsionados pelo Espírito Santo, a levarem a mensagem de Jesus a todos os povos e culturas. Todos os povos estão ouvindo a mensagem do Evangelho, levada pelos discípulos e discípulas que aprenderam ou conheciam suas línguas.

SALMO RESPONSORIAL: Sl 103

Enviai o vosso Espírito, Senhor,

e da terra toda a face renovai.

2. SEGUNDA LEITURA: 1Cor 12,3b-7.12-13

Fomos batizados num único Espírito, para formarmos um único corpo.

Paulo fala longamente para a comunidade de Corinto sobre os dons do Espírito Santo (1Cor 11,2-16; 12,1–14,39). Sem estes dons, nada podemos fazer, nem mesmo dizer: “Jesus é o Senhor”. Os dons ou “carismas” são “atividades”, serviços ou manifestações do Espírito “em vista do bem comum”; cada membro presta serviço para o bem do mesmo corpo. Paulo usa a imagem do corpo que tem muitos membros, mas forma uma única unidade. O Espírito nos unifica num só Corpo com o Cristo: “judeus ou gregos, escravos ou livres, fomos batizados num único Espírito”. O Espírito Santo distribui seus dons / carismas em vista do bem da comunidade, e não para distinguir esta ou aquela pessoa. A manifestação do Espírito se dá em todos os membros da comunidade. Não é privilégio do clero, dos religiosos ou de “grupos carismáticos”. O projeto imperial de Babel era de impor o domínio, unindo todas as raças e culturas por meio de uma só língua (Gn 11,1-9: primeira leitura da Vigília). Deus, porém, pôs fim a tal domínio, multiplicando as línguas e culturas. É na diversidade de línguas e culturas que Deus quer ser louvado e adorado. Em Pentecostes Deus refaz a unidade pela mensagem do Evangelho, a ser anunciado a todos os povos, preservando, porém, as diferentes culturas e raças. O que nos une é a linguagem do amor a Deus e ao próximo (Evangelho).

ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO:

Vinde, Espírito Divino,

e enchei com vossos dons os corações dos fiéis;

e acendei nele o amor como um fogo abrasador.

3. EVANGELHO: Jo 20,19-23

Assim como o Pai me enviou, também eu vos envio:

Recebei o Espírito Santo!

No domingo da Ascensão ouvimos, no evangelho de Lucas, que Jesus prometia aos discípulos enviar-lhes a “força do alto”, o Espírito Santo, antes de começarem a anunciar “a conversão e o perdão dos pecados a todas as nações”. Hoje, segundo João, Jesus no dia de sua ressurreição, se manifesta aos discípulos e concede-lhes o dom do Espírito Santo e a paz. Depois de lhes dizer “a paz esteja convosco”, Jesus se identifica, mostrando-lhes as mãos e o lado perfurados. Ele é o mesmo Jesus crucificado, que cumpriu sua missão, a obra de nossa salvação e volta ao Pai (Jo 20,17). Antes, porém, deixa-nos a tarefa de continuar a sua missão: “Como o Pai me enviou também eu vos envio”. Ao voltar para junto do Pai, Jesus promete estar sempre conosco: “Eis que estou convosco, todos os dias, até o fim do mundo” (Mt 28,20). Esta presença de Cristo se dá pelo seu Espírito, o Advogado e Consolador, que estará sempre ao lado de seus discípulos. Pelo dom de sua vida Jesus nos reconciliou com Deus, manifestando o amor misericordioso do Pai. O presente da Páscoa que nos deixa é o Amor: “Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados”. Agora confia aos seus discípulos a missão de manifestar este mesmo amor misericordioso: “A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados...”. O perdão dado e recebido reconstrói os vínculos do Amor, reconstrói a paz. “Felizes os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus”, que é Amor. Nossa missão é vivermos o que anunciamos aos outros. Para isso recebemos a “força do alto”, o Espírito Santo.

____________________________________________________

* Frei Ludovico Garmus é Doutor em Exegese Bíblica, Professor de Exegese no Instituto Teológico Franciscano-ITF, em Petrópolis, escritor, conferencista e colabora com o nosso Blog, autorizando a reprodução de textos e de reflexões de sua autoria.

jun 09

MONSENHOR JOSÉ MARIA COMENTA O EVANGELHO

ZÉ MARIA - 2018

PENTECOSTES – FESTA DO ESPÍRITO SANTO –

*Por  Mons. José Maria Pereira –

Celebramos hoje a grande festa de Pentecostes, que completa o Tempo de Páscoa, na qual a liturgia nos faz reviver o nascimento da Igreja. Esta Solenidade faz – nos recordar e reviver a efusão do Espírito Santo sobre os Apóstolos e os outros discípulos, reunidos em oração com a Virgem Maria no Cenáculo (At 2, 1-11). Jesus, tendo ressuscitado e subido ao Céu, envia à Igreja o seu Espírito, para que cada cristão possa participar na sua mesma vida divina e tornar – se sua testemunha válida no mundo. Cinquenta dias depois da Páscoa, Espírito santo, irrompendo na História, derrota a sua aridez, abre os corações à esperança, estimula e favorece em nós a maturação na relação com Deus e com o próximo.

Podemos afirmar que não há Igreja sem Pentecostes. E gostaria de acrescentar: não há Pentecostes sem a Virgem Maria. Foi assim no início, no Cenáculo, onde os discípulos “eram assíduos e concordes na oração, em companhia de algumas mulheres, entre as quais Maria, a Mãe de Jesus, e de seus irmãos”, como nos refere o livro dos Atos dos Apóstolos (At 1, 14).

Pentecostes era uma das grandes festas judaicas; muitos israelitas iam nesses dias em peregrinação a Jerusalém, para adorar a Deus no Templo. A origem da festa remontava a uma antiquíssima celebração em que se davam graças a Deus pela safra do ano, em vésperas de ser colhida. Depois acrescentou-se a essa comemoração, que se celebrava cinquenta dias depois da Páscoa, a da promulgação da Lei dada por Deus no monte Sinai. Por desígnio divino, a colheita material que os judeus festejavam com tanto júbilo converteu-se, na Nova Aliança, numa festa de imensa alegria: a vinda do Espírito Santo com todos os seus dons e frutos.

Pentecostes é o cumprimento da promessa de Jesus: “… se Eu for, enviá-lo-ei” (Jo 16,7).

Na solene celebração do Pentecostes, somos enviados a professar a nossa fé na Presença e na Ação do Espírito Santo e a invocar a sua efusão sobre nós, sobre a Igreja e sobre o mundo inteiro.

A vinda do Espírito Santo no dia de Pentecostes não foi um acontecimento isolado na vida da Igreja. O Paráclito santifica-a continuamente, como também santifica cada alma, através das inúmeras inspirações que se escondem em “todos os atrativos, movimentos, censuras e remorsos interiores, luzes e conhecimentos que Deus produz em nós, prevenindo o nosso coração com as suas bênçãos, pelo seu cuidado e amor paternal, a fim de nos despertar, mover, estimular para o amor celestial, para as boas resoluções, para tudo aquilo que, numa palavra, nos conduz à nossa vida eterna. A sua ação na alma é suave e aprazível; Ele vem salvar, curar, iluminar.” (São Francisco de Sales).

No dia de Pentecostes, os Apóstolos foram robustecidos na sua missão de anunciarem a Boa Nova a todos os povos. Todos os cristãos têm desde então a missão de anunciar, de cantar as maravilhas que Deus fez no seu Filho e em todos aqueles que creem n’Ele. Somos agora um povo santo para publicar as grandezas d’Aquele que nos tirou das trevas para a sua luz admirável.

Ao compreendermos a grandeza da nossa missão, compreendemos também que ela depende da nossa correspondência às moções do Espírito Santo, e sentimo-nos necessitados de pedir-lhe frequentemente que lave o que está manchado, regue o que está seco, cure o que está doente, acenda o que está morno, retifique o que está torcido. Porque sabemos bem que no nosso interior há manchas, e partes que não dão todo o fruto que deveriam porque estão secas, e partes doentes, e tibieza e também pequenos desvios, que é necessário retificar.

Não se pode conceber vida cristã nem Igreja sem a presença e a ação do Espírito Santo.

Depois que Jesus completou a sua obra, constituído Senhor a partir de sua ressurreição, envia ao mundo o seu Espírito, o Espírito do Pai. Conforme São João (Cf. Jo 20,19-23), Jesus comunica o seu Espírito, o mesmo Espírito que Ele entregou ao Pai no dia da ressurreição. Para isso, sopra sobre eles, transmitindo-lhes a vida nova, a força, o Espírito Santo: “Recebi o Espírito Santo…” e o Dom do Perdão e da Reconciliação.

O Espírito Santo nos conduz à vida de oração. A vida cristã requer um diálogo constante com Deus Uno e Trino, e é a essa intimidade que o Espírito Santo nos conduz. Acostumemos-nos a procurar o convívio com o Espírito Santo, que é quem nos há de santificar; a confiar n’Ele, a pedir a sua ajuda, a senti-lo perto de nós. Assim se irá dilatando o nosso pobre coração, teremos mais ânsias de amar a Deus e, por Ele, a todas as criaturas.

A chama do Espírito Santo transformou totalmente os apóstolos… Que essa mesma chama ilumine e aqueça a nossa vida no caminho da Unidade, do Bem e da Verdade…

“O Espírito Santo vem em socorro à nossa fraqueza”, diz S. Paulo (Rom. 8,26). Diz São João da Cruz que o Espírito Santo, com a sua chama está ferindo a alma, gastando e consumindo-lhe as imperfeições dos seus maus hábitos.

O Espírito Santo é alma da Igreja. Sem Ele, ao que se reduziria a Igreja? Sem dúvida, seria um grande movimento histórico, uma instituição social complexa e sólida, talvez uma espécie de agência humanitária. E na verdade é assim que a julgam quantos a consideram fora de uma perspectiva de fé. Na realidade, porém, na sua verdadeira natureza e também na sua mais autêntica presença histórica, a Igreja é incessantemente plasmada e orientada pelo Espírito do seu Senhor. É um Corpo vivo, cuja vitalidade é precisamente o fruto do invisível Espírito Divino.

Além disso, a Igreja é, por sua natureza, missionária, e a partir do dia de Pentecostes o Espírito Santo não cessa de a estimular pelos caminhos do mundo, até aos extremos confins da Terra e até ao fim dos tempos.

Para chegarmos a um convívio mais íntimo com o Espírito Santo, aproximemo-nos da Virgem Maria, que soube secundar como ninguém as inspirações do Espírito Santo. “Perseveravam unânimes na oração, com algumas mulheres e com Maria, a Mãe de Jesus” (At 1,14).

Queridos irmãos e irmãs, o primeiro Pentecostes aconteceu quando Maria Santíssima estava presente no meio dos discípulos no Cenáculo de Jerusalém e rezava. Também hoje nós confiamos à sua materna intercessão, para que o Espírito Santo desça abundantemente sobre a Igreja de nosso tempo, encha os corações de todos os fiéis e acenda neles o fogo do seu amor.

Por isso, cantemos: Vem, vem, vem, vem Espírito Santo de Amor, vem a nós, traz à Igreja em novo vigor. Uma invocação tão simples e imediata, mas ao mesmo tempo extraordinariamente profunda, que brota em primeiro lugar do Coração de Cristo. Com efeito, o Espírito é o dom que Jesus pediu e pede continuamente ao Pai pelos seus amigos; o primeiro e principal dom que nos obteve com a sua Ressurreição e Ascensão ao Céu.

_______________________________________________________

*Monsenhor José Maria Pereira, Sacerdote da Diocese de Petrópolis, é, também, Professor, Juiz do Tribunal Eclesiástico Interdiocesano de Niterói e Diocesano de Petrópolis e Vigário da Paróquia de São José do ItamaratI, enviando para o site, semanalmente, a homilia do domingo.

     

jun 09

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS INDICADAS PARA HOJE

PENTECOSTES

DOMINGO – PENTECOSTES – 09/06/2019 –

“8Quando subiu ao alto, levou muitos cativos, cumulou de dons os homens (Sl 67,19).9Ora, que quer dizer ele subiu, senão que antes havia descido a esta terra?10Aquele que desceu é também o que subiu acima de todos os céus, para encher todas as coisas.11A uns ele constituiu apóstolos; a outros, profetas; a outros, evangelistas, pastores, doutores, 12para o aperfeiçoamento dos cristãos, para o desempenho da tarefa que visa à construção do corpo de Cristo,13até que todos tenhamos chegado à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, até atingirmos o estado de homem feito, a estatura da maturidade de Cristo. (Ef 4, 8-13)” –

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DO LIVRO DOS ATOS DOS APÓSTOLOS – (At 2,1-11) –

1Quando chegou o dia de Pentecostes, os discípulos estavam todos reunidos no mesmo lugar. 2De repente, veio do céu um barulho como se fosse uma forte ventania, que encheu a casa onde eles se encontravam. 3Então apareceram línguas como de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. 4Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito os inspirava. 5Moravam em Jerusalém judeus devotos, de todas as nações do mundo. 6Quando ouviram o barulho, juntou-se a multidão e todos ficaram confusos, pois cada um ouvia os discípulos falar em sua própria língua. 7Cheios de espanto e admiração, diziam: “Esses homens que estão falando não são todos galileus? 8Como é que nós os escutamos na nossa própria língua? 9Nós que somos partos, medos e elamitas, habitantes da Mesopotâmia, da Judeia e da Capadócia, do Ponto e da Ásia, 10da Frígia e da Panfília, do Egito e da parte da Líbia próxima de Cirene, também romanos que aqui residem; 11judeus e prosélitos, cretenses e árabes, todos nós os escutamos anunciar as maravilhas de Deus na nossa própria língua!”  

– Palavra do Senhor!

– Graças a Deus.

SALMO RESPONSORIAL: 103(104)

R. Enviai o vosso Espírito, Senhor, / e da terra toda a face renovai.

1. Bendize, ó minha alma, ao Senhor! / Ó meu Deus e meu Senhor, como sois grande! / Quão numerosas, ó Senhor, são vossas obras! / Encheu-se a terra com as vossas criaturas! 

R. Enviai o vosso Espírito, Senhor, / e da terra toda a face renovai.

2. Se tirais o seu respiro, elas perecem / e voltam para o pó de onde vieram. / Enviais o vosso espírito e renascem, / e da terra toda a face renovais. 

R. Enviai o vosso Espírito, Senhor, / e da terra toda a face renovai.

3. Que a glória do Senhor perdure sempre, / e alegre-se o Senhor em suas obras! / Hoje, seja-lhe agradável o meu canto, / pois o Senhor é a minha grande alegria! 

R. Enviai o vosso Espírito, Senhor, / e da terra toda a face renovai.

SEGUNDA LEITURA:

LEITURA DA PRIMEIRA CARTA DE SÃO PAULO AOS CORÍNTIOS (ICor 12,3-7.12-13)  

 Irmãos, 3ninguém pode dizer: “Jesus é o Senhor”, a não ser no Espírito Santo. 4Há diversidade de dons, mas um mesmo é o Espírito. 5Há diversidade de ministérios, mas um mesmo é o Senhor. 6Há diferentes atividades, mas um mesmo Deus que realiza todas as coisas em todos. 7A cada um é dada a manifestação do Espírito em vista do bem comum. 12Como o corpo é um, embora tenha muitos membros, e como todos os membros do corpo, embora sejam muitos, formam um só corpo, assim também acontece com Cristo. 13De fato, todos nós, judeus ou gregos, escravos ou livres, fomos batizados num único Espírito, para formarmos um único corpo, e todos nós bebemos de um único Espírito.    

– Palavra do Senhor! 

– Graças a Deus. 

EVANGELHO: Jo  20,19-23

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São João.

— Glória a vós, Senhor.

19Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: “A paz esteja convosco”. 20Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor. 21Novamente, Jesus disse: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio”. 22E, depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. 23A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem não os perdoardes, eles lhes serão retidos”. 

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

Posts mais antigos «

Apoio: