Lisaac

Sementes da Palavra, É tempo de semear

Arquivo por categoria: JÁ PUBLICADO

jul 22

EDITORIAL DA SEMANA: QUEM ESTÁ POR TRÁS DO “SISTEMA”?

POR TRÁS DO SISTEMA

POR TRÁS DO SISTEMA SEMPRE EXISTE ALGUÉM –

*Por Luiz Antonio de Moura –

Não é raro ouvirmos pessoas dizerem que “a culpa é do sistema” ou, “o sistema exige que seja feito desta forma”, ou, ainda, outras referências menos recomendáveis ao dito “sistema”, como se se tratasse de uma caixa preta inalcançável e inatingível, cheia de perversidades, de armadilhas, de truques e de golpes dos mais tenebrosos. Uma caixa com olhos e ouvidos capazes de interceptar conversas, reclamações, planos e sabotagens e de, imediatamente, colocar em prática todas as defesas possíveis e imagináveis, para punir severamente aqueles que ousam enfrentar o “sistema”.

Parece coisa diabólica. Quando alguém se refere ao sistema, em alguns casos e momentos, chega mesmo a baixar o tom da voz. Todos, de uma forma ou de outra, temem o “sistema”, como se fosse um dragão indomável e carnívoro por natureza.

Entretanto, é preciso raciocinar e entender que “sistema” é apenas o nome designado para um conjunto de exigências, projetos e planos impostos às pessoas. Um conjunto inventado e alimentado dia e noite por seres humanos que carregam consigo a fúria, a ganância, a soberba, a imponência, o desejo de poder absoluto e, principalmente, a sede de punir severamente todos aqueles que ousam discordar ou agir de forma diferente do planejado e do exigido.

Assim, todos, inclusive, os manipuladores do sistema, colocam a culpa em um ente invisível, como se ele existisse de verdade e mais, como se fosse capaz de ditar ordens das mais escabrosas possíveis, punindo severamente e sem piedade. No cesto das maldades, estão as demissões injustas, as perdas de cargos e de funções, públicas e/ou privadas, acusações falsas e mentirosas, difamações, mortes violentas e anônimas, mais uma infinidade de atos praticados contra pessoas, físicas e jurídicas, sempre para reparar a falta de respeito ou mesmo de compromisso para com o “sistema”.

Mas, uma investigação simples e cautelosa, certamente, sempre vai revelar que, por trás do tal do “sistema”, existem pessoas de carne e osso manipulando todo o conjunto de exigências, de maldades e de punições aplicadas, em muitos casos até de forma desumana, na tentativa de deixar sempre claro que o “sistema” é mesmo desumano, perigoso, invisível e imprevisível, como se cada um de nós, por desconhecê-lo pessoalmente, devêssemos viver com medo e agir com o máximo de cuidado possível, porque, a qualquer momento, o “sistema” pode nos encurralar em uma encruzilhada, e ali, vingar-se da forma mais cruel possível, forma que só ele conhece bem e detalhadamente.

No entanto, em cada setor da sociedade, em cada instituição, pública ou privada, sempre existem pessoas que estão no comando geral e, como tais, estão sempre instaladas nos últimos andares da escala organizacional. São sempre as mais graduadas, as mais endinheiradas e, portanto, as mais poderosas, até porque, muitas delas possuem, também, arsenal bélico próprio da guerra. São estas pessoas que, normalmente fazendo-se de invisíveis, comandam cadeias de outras pessoas imediatamente abaixo de si e que, também desejosas de alcançarem a ascensão piramidal no negócio, sujeitam-se aos de cima, e esfolam os de baixo. Dessa forma, o secundo escalão tem abaixo de si outros escalões que lhes são diretamente subordinados e que, portanto, recebem e repassam ordens, das mais tresloucadas possíveis e imagináveis. E, quem está na base, sofre de todos os lados, sem saber, na verdade, quem é o real mandatário de tantas aberrações. Quando ousam questionar o superior imediatamente acima, ouvem sempre a mesma resposta: “a culpa é do sistema”. Ou “o sistema é duro e exigente, ele não perdoa ninguém”.

Desta forma, os que estão no topo da pirâmide, os que realmente mandam e desmandam, quase nunca são descobertos, porque têm abaixo de si verdadeiras legiões de fieis escudeiros que, por medo ou por ambição desmedida, acolhem de bom grado as ordens recebidas e, imediatamente, repassam-nas para o escalão inferior que, por fim, segue a mesma rota.

O “sistema”, portanto, é o título pomposo e assustador que acoberta os verdadeiros carrascos de pessoas que, total e absolutamente desvinculadas dos núcleos de poder e de comando, vivem e atuam da forma mais ingênua possível, acreditando que tudo deve ser feito para contentar aquele ente invisível que, de uma hora para outra, pode ficar irritado e tomar atitudes canibalescas.

Ora, a dica é a seguinte: onde quer que esteja atuando, procure identificar quem, de fato e de direito, está no comando geral. Depois, identifique todas as cadeias de comando abaixo do topo da pirâmide. Assim, você entenderá que, naquele setor ou naquela instituição, pública, privada ou de qualquer outra configuração, existem ordens, exigências, cobranças e punições dadas por pessoas de carne e de osso, como você, e não, por um ente invisível, imprevisível e desumano, chamado “sistema”. Desse jeito, ficará mais fácil para você, porque, antes que o “sistema” possa identificá-lo, você poderá, se quiser, fugir do alcance dele, ou, simples e ardilosamente, enfrentá-lo com métodos idênticos. Este último, sem dúvida, é o pior dos caminhos, porque, ao enfrentá-lo, e em caso de sucesso, você, mais cedo ou mais tarde, estará no topo da pirâmide, fazendo a mesma coisa, de cima para baixo.

São reflexões que devemos fazer sempre, para não cairmos na esparrela de que somos escravizados, conduzidos e punidos por um ente absolutamente invisível que, por conta da sua total imaterialidade, faz acontecer as maiores tragédias nas vidas das pessoas e das famílias, sem qualquer possibilidade de revanche. Não, não acredite nisso. São seres humanos como eu e como você que, ardilosa e maliciosamente, atuam na sociedade, secreta ou não, mas que podem ser identificados, saindo definitivamente das trevas, do anonimato e dos logaritmos, para as câmeras da TV, da internet e das magníficas redes sociais, a partir de quando terão reveladas as suas verdadeiras identidades, desonerando o “sistema”, que nem sempre é tão mágico e tão cruel o quanto dizem.

Pense sobre isso. Reflita e tire suas próprias conclusões. Seja feliz, e boa sorte!

_________________________________________________

*Luiz Antonio de Moura é um pensador espiritualista, um caminhante e um cultor do silêncio.

jul 22

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS INDICADAS PARA HOJE

BÍBLIA DE HOJE - 2018

16ª SEMANA DO TEMPO COMUM – SEGUNDA-FEIRA – 22/07/2019 –

13Nenhuma criatura lhe é invisível. Tudo é nu e descoberto aos olhos daquele a quem havemos de prestar contas.14Temos, portanto, um grande Sumo Sacerdote que penetrou nos céus, Jesus, Filho de Deus. Conservemos firme a nossa fé.15Porque não temos nele um pontífice incapaz de compadecer-se das nossas fraquezas. Ao contrário, passou pelas mesmas provações que nós, com exceção do pecado.16Aproximemo-nos, pois, confiadamente do trono da graça, a fim de alcançar misericórdia e achar a graça de um auxílio oportuno. (Hb 4, 13-16)”

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DO LIVRO DO CÂNTICO DOS CÂNTICOS – (Cânt 3,1-4) –

Eis o que diz a noiva: 1“Em meu leito, durante a noite, busquei o amor de minha vida: procurei-o e não o encontrei. 2Vou levantar-me e percorrer a cidade, procurando, pelas ruas e praças, o amor de minha vida: procurei-o e não o encontrei. 3Encontraram-me os guardas que faziam a ronda pela cidade. ‘Vistes porventura o amor de minha vida?’ 4E logo que passei por eles, encontrei o amor de minha vida”.

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO: Jo 20,1-2.11-18

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São João.

— Glória a vós, Senhor.

1No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao túmulo de Jesus, bem de madrugada, quando ainda estava escuro, e viu que a pedra tinha sido retirada do túmulo. 2Então ela saiu correndo e foi encontrar Simão Pedro e o outro discípulo, aquele que Jesus amava, e lhes disse: “Tiraram o Senhor do túmulo, e não sabemos onde o colocaram”. 11Maria estava do lado de fora do túmulo, chorando. Enquanto chorava, inclinou-se e olhou para dentro do túmulo. 12Viu, então, dois anjos vestidos de branco, sentados onde tinha sido posto o corpo de Jesus, um à cabeceira e outro aos pés. 13Os anjos perguntaram: “Mulher, por que choras?” Ela respondeu: “Levaram o meu Senhor e não sei onde o colocaram”. 14Tendo dito isso, Maria voltou-se para trás e viu Jesus, de pé. Mas não sabia que era Jesus. 15Jesus perguntou-lhe: “Mulher, por que choras? A quem procuras?” Pensando que era o jardineiro, Maria disse: “Senhor, se foste tu que o levaste, dize-me onde o colocaste, e eu o irei buscar”. 16Então Jesus disse: “Maria!” Ela voltou-se e exclamou em hebraico: “Rabunni” (que quer dizer mestre). 17Jesus disse: “Não me segures. Ainda não subi para junto do Pai. Mas vai dizer aos meus irmãos: subo para junto do meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus”. 18Então Maria Madalena foi anunciar aos discípulos: “Eu vi o Senhor!” e contou o que Jesus lhe tinha dito.                    

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

jul 21

MONSENHOR JOSÉ MARIA PEREIRA: REFLEXÃO SOBRE O EVANGELHO

ZÉ MARIA - 2018

XVI DOMINGO DO TEMPO COMUM – AÇÃO E CONTEMPLAÇÃO –

*Por  Mons. José Maria Pereira –

O Evangelho, em Lc 10, 38-42, apresenta Jesus a caminho de Jerusalém e que, em Betânia, é recebido em casa de Marta, irmã de Maria e Lázaro, por quem o Senhor havia chorado e a quem havia ressuscitado. Na casa dos três irmãos, que Jesus amava de todo o coração, encontrou Ele a acolhida e o repouso necessários para descansar, depois de uma longa jornada. Lázaro, neste caso, não comparece. Jesus passa pela sua aldeia e – diz o texto – Marta O recebeu em sua casa ( Lc 10, 38 ). Este pormenor dá a entender que, das duas, Marta é a mais idosa, a que governa a casa. De fato, depois de Jesus ter entrado, Maria senta-se aos seus pés e ouve-O, enquanto Marta andava atarefada com muitos serviços, certamente devidos ao Hóspede extraordinário. Parece que vemos a cena: uma irmã que anda toda atarefada, e a outra como que raptada pela Presença do Mestre e das suas palavras. Um pouco depois Marta, evidentemente ressentida, não resiste mais e protesta, sentindo-se até no direito de criticar Jesus: “Senhor, não te importas que minha irmã me deixe sozinha, com todo o serviço? Manda que ela me venha ajudar!” Marta pretenderia até ensinar o Mestre! Mas Jesus, com grande calma, responde: “Marta, Marta! ( este nome repetido exprime afeto ). Tu te preocupas e andas agitada por muitas coisas. Porém, uma só coisa é necessária. Maria escolheu a melhor parte e esta não lhe será tirada” ( Lc 10, 41-42 ). A Palavra de Cristo é claríssima: nenhum desprezo pela vida ativa, nem muito menos pela generosa hospitalidade; mas uma chamada clara ao fato de que a única coisa deveras necessária é outra; ouvir a Palavra do Senhor; e o Senhor, naquele momento está ali, presente na Pessoa de Jesus! Tudo o resto passará e nos será tirado, mas a Palavra de Deus é eterna e dá sentido ao nosso agir cotidiano.  

O diálogo de Jesus com Marta tem um tom familiar cheio de confiança, que nos faz pensar na grande amizade do Senhor com os três irmãos.

Santo Agostinho comenta esta cena da seguinte maneira: “Marta ocupava-se em muitas coisas, dispondo e preparando a refeição do Senhor. Pelo contrário, Maria preferiu alimentar-se do que dizia o Senhor. Não reparou de certo modo na agitação contínua de sua irmã e sentou-se aos pés de Jesus, sem fazer outra coisa senão escutar as Suas palavras. Tinha muito bem compreendido o que diz o Salmo: “Descansai e vede que Eu sou o Senhor” (Sl 46, 11). Marta consumia-se, Maria alimentava-se; aquela abarcava muitas coisas, esta só atendia a uma. Ambas as coisas são boas.”

Por séculos quis-se apresentar Marta e Maria como dois modelos de vida contrapostos: em Maria quis-se representar a contemplação, a vida de união com Deus; em Marta, a vida ativa de trabalho; mas a vida contemplativa não consiste em estar aos pés de Jesus sem fazer nada: isso seria uma desordem! Os afazeres de cada um são precisamente o lugar em que encontramos a Deus, “o eixo sobre o qual assenta e gira a nossa chamada à santidade” (São Josemaria Escrivá). Sem um trabalho sério, consciente, prestigioso, seria muito difícil, para não dizer impossível, ter uma vida interior profunda e exercer um apostolado eficaz no meio do mundo.

A maioria dos cristãos, chamados a santificar-se no meio do mundo, não se podem considerar como dois modos contrapostos de viver o cristianismo. Pois, uma vida ativa que se esqueça da união com Deus é algo inútil e estéril; uma suposta vida de oração que prescinda da preocupação apostólica e da santificação das realidades ordinárias também não pode agradar a Deus. A chave está, pois, em saber unir estas duas vidas, sem prejuízo nem de uma nem de outra. Esta união profunda entre ação e contemplação pode viver-se de modos muito diversos, segundo a vocação concreta que cada um recebe de Deus.

O trabalho, longe de ser obstáculo, há de ser meio e ocasião de uma intimidade afetuosa com Nosso Senhor, que é o mais importante. Ou seja, é no meio de nossos trabalhos cotidianos e através deles, não apesar deles, que Deus convida a maioria dos cristãos a santificar o mundo e a santificação nele, com uma vida transbordante de oração que vivifique e dê sentido a essas tarefas. A um grupo numeroso ensinava S. Josemaria Escrivá: “Deveis compreender agora – com uma nova clareza – que Deus vos chama a servi-Lo nas e a partir das tarefas civis, materiais, seculares, da vida humana. Deus espera-nos cada dia no laboratório, na sala de operações de um hospital, no quartel, na cátedra universitária, na fábrica, na oficina, no campo, no lar, e em todo o imenso panorama do trabalho. Não esqueçam nunca: há algo de santo, de divino, escondido nas situações mais comuns, algo que a cada um de nós compete descobrir (…). Não há outro caminho: ou sabemos encontrar o Senhor na nossa vida de todos os dias, ou não O encontraremos nunca. Por isso, posso afirmar que a nossa época precisa devolver à matéria e às situações aparentemente vulgares o seu sentido nobre e original; pondo-as ao serviço do Reino de Deus, espiritualizando-as, fazendo delas o meio e a ocasião para o nosso encontro contínuo com Jesus Cristo” (Temas Atuais do Cristianismo, nº 114). Temos que chegar ao amor de Maria enquanto levamos a cabo o trabalho de Marta. Pois, o trabalho alimenta a oração e a oração “embebe” o trabalho. E isto até se chegar ao ponto de o trabalho em si mesmo, enquanto serviço feito ao homem e à sociedade, se converter em oração agradável a Deus. Numa palavra, o trabalho é o meio com que nos santificamos.

E isto é o que verdadeiramente importa: encontrar Jesus no meio desses afazeres diários, não esquecer em momento algum “o Senhor das coisas”; e menos ainda quando esses afazeres se referem mais diretamente a Ele, pois, do contrário, talvez acabássemos por realizá-los com a atenção posta em nós mesmos, procurando neles somente a nossa realização pessoal, o gosto ou a mera satisfação de um dever cumprido, e deixando de lado a retidão de intenção, esquecendo o Mestre.

Marta ao acolher Jesus em sua casa também nos ensina que devemos abrir o coração para o próximo, todo o próximo que se aproxima de nós ou de quem nós nos aproximamos. É toda uma atitude de acolhimento entre os esposos, entre pais e filhos, entre irmãos, entre os vizinhos, no trabalho, em nossas comunidades paroquiais etc.

É importante que acolhamos Jesus como Maria, colocando-nos aos seus pés para ouvi-Lo, mas é importante também que O acolhamos como Marta, proporcionando-Lhe descanso e alimento, contanto que tudo seja feito no Senhor.

Que a Virgem Santíssima nos alcance o espírito de trabalho de Marta e a presença de Deus de Maria, daquela que, sentada aos pés de Jesus, escutava embevecida as suas palavras.

_______________________________________________________

* Monsenhor José Maria Pereira, Sacerdote da Diocese de Petrópolis, é, também, Professor, Juiz do Tribunal Eclesiástico Interdiocesano de Niterói e Diocesano de Petrópolis e Vigário da Paróquia de São José do ItamaratI, enviando para o site, semanalmente, a homilia do domingo.

 

jul 21

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS INDICADAS PARA HOJE

BÍBLIA SAGRADA -2

16º DOMINGO DO TEMPO COMUM – 21/07/2019 –

13Nenhuma criatura lhe é invisível. Tudo é nu e descoberto aos olhos daquele a quem havemos de prestar contas.14Temos, portanto, um grande Sumo Sacerdote que penetrou nos céus, Jesus, Filho de Deus. Conservemos firme a nossa fé.15Porque não temos nele um pontífice incapaz de compadecer-se das nossas fraquezas. Ao contrário, passou pelas mesmas provações que nós, com exceção do pecado.16Aproximemo-nos, pois, confiadamente do trono da graça, a fim de alcançar misericórdia e achar a graça de um auxílio oportuno. (Hb 4, 13-16)”

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DO LIVRO DO GÊNESIS – Gn 18,1-10) –

Naqueles dias, 1o Senhor apareceu a Abraão junto ao carvalho de Mambré quando ele estava sentado à entrada da sua tenda, no maior calor do dia. 2Levantando os olhos, Abraão viu três homens de pé, perto dele. Assim que os viu, correu ao seu encontro e prostrou-se por terra. 3E disse: “Meu Senhor, se ganhei tua amizade, peço-te que não prossigas viagem sem parar junto a mim, teu servo. 4Mandarei trazer um pouco de água para vos lavar os pés, e descansareis debaixo da árvore. 5Farei servir um pouco de pão para refazerdes vossas forças, antes de continuar a viagem. Pois foi para isso mesmo que vos aproximastes do vosso servo”. Eles responderam: “Faze como disseste”. 6Abraão entrou logo na tenda, onde estava Sara, e lhe disse: “Toma depressa três medidas da mais fina farinha, amassa alguns pães e assa-os”. 7Depois, Abraão correu até o rebanho, pegou um bezerro dos mais tenros e melhores e deu-o a um criado, para que o preparasse sem demora. 8A seguir, foi buscar coalhada, leite e o bezerro assado e pôs tudo diante deles. Abraão, porém, permaneceu de pé, junto deles, debaixo da árvore, enquanto comiam. 9E eles lhe perguntaram: “Onde está Sara, tua mulher?” “Está na tenda”, respondeu ele. 10E um deles disse: “Voltarei, sem falta, no ano que vem, por este tempo, e Sara, tua mulher, já terá um filho”.

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

SALMO RESPONSORIAL: Sl 14(15)

R. Senhor, quem morará em vossa casa?

1. É aquele que caminha sem pecado / e pratica a justiça fielmente; / que pensa a verdade no seu íntimo / e não solta em calúnias sua língua. 

R. Senhor, quem morará em vossa casa?

2. Que em nada prejudica o seu irmão / nem cobre de insultos seu vizinho; / que não dá valor algum ao homem ímpio, / mas honra os que respeitam o Senhor. 

R. Senhor, quem morará em vossa casa?

3. Não empresta o seu dinheiro com usura † nem se deixa subornar contra o inocente. / Jamais vacilará quem vive assim! 

R. Senhor, quem morará em vossa casa?

SEGUNDA LEITURA:

LEITURA DA CARTA DE SÃO PAULO AOS COLOSSENSES – (Cl 1,24-28)

Irmãos, 24alegro-me de tudo o que já sofri por vós e procuro completar na minha própria carne o que falta das tribulações de Cristo, em solidariedade com o seu corpo, isto é, a Igreja. 25A ela eu sirvo, exercendo o cargo que Deus me confiou de vos transmitir a palavra de Deus em sua plenitude: 26o mistério escondido por séculos e gerações, mas agora revelado aos seus santos. 27A estes Deus quis manifestar como é rico e glorioso entre as nações este mistério: a presença de Cristo em vós, a esperança da glória. 28Nós o anunciamos, admoestando a todos e ensinando a todos, com toda sabedoria, para a todos tornar perfeitos em sua união com Cristo..

 – Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

EVANGELHO: Lc 10,38-42

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 38Jesus entrou num povoado e certa mulher, de nome Marta, recebeu-o em sua casa. 39Sua irmã, chamada Maria, sentou-se aos pés do Senhor e escutava a sua palavra. 40Marta, porém, estava ocupada com muitos afazeres. Ela aproximou-se e disse: “Senhor, não te importas que minha irmã me deixe sozinha com todo o serviço? Manda que ela me venha ajudar!” 41O Senhor, porém, lhe respondeu: “Marta, Marta! Tu te preocupas e andas agitada por muitas coisas. 42Porém, uma só coisa é necessária. Maria escolheu a melhor parte, e esta não lhe será tirada”.                  

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

jul 21

FREI LUDOVICO GARMUS: LEITURA ORANTE

LUDOVICO GARMUS

16º DOMINGO DO TEMPO COMUM – FELIZES OS QUE OBSERVAM A PALAVRA DO SENHOR –

*Por Frei Ludovico Garmus, ofm –

ORAÇÃO: “Ó Deus, sede generoso para com os vossos filhos e filhas e multiplicai em nós os dons da vossa graça, para que, repletos de fé, esperança e caridade, guardemos fielmente os vossos mandamentos”.

1. PRIMEIRA LEITURA: Gn 18,1-10a

Meu Senhor, não prossigas viagem, sem parar junto a mim, teu servo.

Deus tinha prometido a Abraão que faria dele pai de numerosas nações. Mas os anos iam passando e sua esposa Sara não lhe dava filhos, apesar de o Senhor renovar sua promessa: “É Sara, tua mulher, que te dará um filho, a quem chamarás Isaac” (Gn 17,19). Tempos depois, quando Abraão montou sua tenda junto ao carvalho de Mambré, o próprio Senhor lhe apareceu na figura misteriosa de três viajantes, enquanto descansava na entrada de sua tenda. Logo que os viu correu ao encontro deles para recebê-los. Hospedar viajantes era um dever sagrado entre os beduínos e Abraão o faz com presteza, corre ao encontro deles, prostra-se em sinal de respeito e até suplica para que fiquem com ele. Manda trazer água para lavar os pés, pede a Sara que prepare alguns pães, corre até o rebanho, escolhe um bezerro e manda um criado prepará-lo. Depois, de pé, serve aos visitantes tudo o que foi preparado (cf. Marta/Maria, Evangelho). Os três perguntam-lhe, então, sobre Sara, sua mulher, e Abraão diz que ela está na tenda. E um deles promete: “ao voltar no próximo ano, Sara, tua mulher, já terá um filho”. Abraão hospedou os viajantes com o que de melhor possuía, mas recebeu um dom maior: a promessa do nascimento do filho herdeiro.

SALMO RESPONSORIAL: Sl 14

Senhor, quem morará em vossa casa?

2. SEGUNDA LEITURA: Cl 1,24-28

O mistério escondido por séculos e gerações,

mas agora revelado aos seus santos.

Paulo não fundou a comunidade de Colossos, mas desejava conhecê-la pessoalmente (2,1). Conhecia-a apenas por meio de Epafras, provável fundador da comunidade. Paulo dita a Carta na prisão, onde estava encarcerado e aguardava a possível morte (cf. 4,18). Alegra-se por estar sofrendo pelos cristãos e vê no sofrimento um modo de “completar o que falta das tribulações de Cristo, em solidariedade com o seu corpo, isto é, a Igreja”. De fato, Paulo sofria por causa do Evangelho que anunciava; foi expulso de cidades, apedrejado, açoitado e preso várias vezes. Os sofrimentos são causados pela missão de “transmitir a palavra de Deus em sua plenitude”. A “plenitude” do anúncio da palavra de Deus consiste em completar o que falta aos sofrimentos de Cristo e revelar o mistério de Deus, antes escondido e “agora revelado às nações, isto é, a presença de Cristo em vós, a esperança de glória” [cf. 1ª leitura e Evangelho]. O mistério revelado, segundo Paulo, era que Cristo não veio salvar apenas os judeus, mas todas as nações.

ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

Felizes os que observam a palavra do Senhor,

de reto coração, e que produzem muitos frutos,

até o fim perseverantes!

3. EVANGELHO: Lc 10,38-42

Marta recebeu-o em sua casa.

Maria escolheu a melhor parte.

Estamos acostumados a ler a história de Marta e Maria como um simples fato da vida de Jesus, ou um modelo para “vida ativa” (leigos, sacerdotes, etc.) e “vida contemplativa” (monges e monjas). Mas a Palavra que ouvimos diz muito mais do que isso. Os primeiros cristãos quando recordavam ditos e fatos da vida de Jesus liam-nos a partir da vida concreta das comunidades. É o que Lucas também faz quando escreve o Evangelho e os Atos dos Apóstolos depois dos anos 70. Nos Atos, Lucas fala do crescimento rápido do número dos fiéis em Jerusalém. Os apóstolos já não davam conta de atender a todas as necessidades, sobretudo, das viúvas pobres de origem grega (At 6). Escolheram então sete diáconos, todos de origem grega, para cuidarem das viúvas gregas, “esquecidas no serviço diário”. A eles – diziam – “confiaremos esse serviço e nós continuaremos a dedicar-nos à oração e ao ministério da palavra”. Era uma divisão de trabalho; os diáconos cuidariam do serviço social da comunidade enquanto os apóstolos cuidariam da pregação e do culto. Na realidade, alguns diáconos não se contentaram em cuidar apenas da parte social. Assim, vemos Estêvão pregando em Jerusalém e Filipe em Samaria (cf. At 7–8). Havia na Igreja, portanto, certa tensão entre os dois ministérios, a pregação e o atendimento aos pobres. Este é o pano de fundo para lermos a cena de Jesus na casa de Marta e Maria.

Marta, em aramaico, significa senhora ou dona de casa. O nome na mentalidade semita indica a missão ou vocação de uma pessoa. Algumas senhoras, donas de casa, costumavam hospedar os apóstolos itinerantes, como Paulo (At 16,13; 18,1-4). Maria, por sua vez, significa “a excelsa”, sublime, elevada. Ela optou pela “parte melhor” ao assentar-se aos pés de Jesus numa atitude de discípula, para ouvir seus ensinamentos Marta é advertida porque a atividade exagerada podia afastá-la da escuta da palavra do Senhor. No seu modo de acolher e servir a Jesus, Marta acha que o melhor era preparar uma boa comida para o mestre. Quer chamar a atenção de Jesus sobre o que ela faz, – 1ª leitura: Sara prepara a comida e Abraão dá toda a atenção aos seus hóspedes – e de certa forma exige que Ele a libere para ajudá-la. Jesus repreende a distraída agitação de Marta e louva Maria, que escolheu a parte melhor. Marta se agita para oferecer a melhor acolhida a Jesus. Maria volta toda sua atenção para Jesus, abre o coração para ouvir seus ensinamentos e assim recebe o dom da palavra de Deus. Hospedar alguém, mais do um dar alguma coisa, é estar recebendo. “Hospitalidade é ‘receber’ uma pessoa: o hóspede é um dom de Deus” (Konings). Mais oferece ao hóspede quem o escuta. Não se trata de uma contradição entre vida ativa e contemplativa. São duas maneiras de amar próximo: servindo-o e escutando-o (Voigt).

Com quem eu pareço mais, com Marta ou com Maria? Como podemos chegar a um equilíbrio entre o serviço ao próximo e a escuta do Senhor? ______________________________________________________

* Frei Ludovico Garmus é Doutor em Exegese Bíblica, Professor de Exegese no Instituto Teológico Franciscano-ITF, em Petrópolis, escritor, conferencista e colabora com o nosso Blog, autorizando a reprodução de textos e de reflexões de sua autoria.

jul 20

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS INDICADAS PARA HOJE

BÍBLIA - ANTIGO TESTAMENTO

15ª SEMANA DO TEMPO COMUM – SÁBADO – 20/07/2019 –

13Nenhuma criatura lhe é invisível. Tudo é nu e descoberto aos olhos daquele a quem havemos de prestar contas.14Temos, portanto, um grande Sumo Sacerdote que penetrou nos céus, Jesus, Filho de Deus. Conservemos firme a nossa fé.15Porque não temos nele um pontífice incapaz de compadecer-se das nossas fraquezas. Ao contrário, passou pelas mesmas provações que nós, com exceção do pecado.16Aproximemo-nos, pois, confiadamente do trono da graça, a fim de alcançar misericórdia e achar a graça de um auxílio oportuno. (Hb 4, 13-16)”

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DO LIVRO DO ÊXODO – (Ex 12,37-42) –

Naqueles dias, 37os filhos de Israel partiram de Ramsés para Sucot. Eram cerca de seiscentos mil homens a pé, sem contar as crianças. 38Além disso, uma multidão numerosa subiu com eles, assim como rebanhos consideráveis de ovelhas e bois. 39Com a massa trazida do Egito fizeram pães ázimos, já que a massa não pudera fermentar, pois foram expulsos do Egito e não tinham podido esperar nem preparar provisões para si. 40A permanência dos filhos de Israel no Egito foi de quatrocentos e trinta anos. 41No mesmo dia em que se concluíam os quatrocentos e trinta anos, todos os exércitos do Senhor saíram da terra do Egito. 42Aquela foi uma noite de vigília para o Senhor, quando os fez sair da terra do Egito: essa noite em honra do Senhor deve ser observada por todos os filhos de Israel em todas as suas gerações.

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO: Mt 12,14-21

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 14os fariseus saíram e fizeram um plano para matar Jesus. 15Ao saber disso, Jesus retirou-se dali. Grandes multidões o seguiram, e ele curou a todos. 16E ordenou-lhes que não dissessem quem ele era, 17para se cumprir o que foi dito pelo profeta Isaías: 18“Eis o meu servo, que escolhi; o meu amado, no qual coloco a minha afeição; porei sobre ele o meu Espírito, e ele anunciará às nações o direito. 19Ele não discutirá nem gritará, e ninguém ouvirá a sua voz nas praças. 20Não quebrará o caniço rachado nem apagará o pavio que ainda fumega, até que faça triunfar o direito. 21Em seu nome as nações depositarão a sua esperança”.                    

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

jul 19

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS INDICADAS PARA HOJE

BÍBLIA - ANTIGO TESTAMENTO

15ª SEMANA DO TEMPO COMUM – SEXTA-FEIRA – 19/07/2019 –

13Nenhuma criatura lhe é invisível. Tudo é nu e descoberto aos olhos daquele a quem havemos de prestar contas.14Temos, portanto, um grande Sumo Sacerdote que penetrou nos céus, Jesus, Filho de Deus. Conservemos firme a nossa fé.15Porque não temos nele um pontífice incapaz de compadecer-se das nossas fraquezas. Ao contrário, passou pelas mesmas provações que nós, com exceção do pecado.16Aproximemo-nos, pois, confiadamente do trono da graça, a fim de alcançar misericórdia e achar a graça de um auxílio oportuno. (Hb 4, 13-16)”

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DO LIVRO DO ÊXODO – (Ex 11,10-12,14) –

Naqueles dias, 10Moisés e Aarão realizaram muitos prodígios diante do faraó; mas o Senhor endureceu o coração do faraó, e ele não deixou que os filhos de Israel saíssem da sua terra. 12,1O Senhor disse a Moisés e a Aarão no Egito: 2“Este mês será para vós o começo dos meses; será o primeiro mês do ano. 3Falai a toda a comunidade dos filhos de Israel, dizendo: No décimo dia deste mês, cada um tome um cordeiro por família, um cordeiro por casa. 4Se a família não for bastante numerosa para comer um cordeiro, convidará também o vizinho mais próximo, de acordo com o número de pessoas. Deveis calcular o número de comensais conforme o tamanho do cordeiro. 5O cordeiro será sem defeito, macho, de um ano. Podereis escolher tanto um cordeiro como um cabrito: 6e devereis guardá-lo preso até o dia catorze deste mês. Então toda a comunidade de Israel reunida o imolará ao cair da tarde. 7Tomareis um pouco do seu sangue e untareis os marcos e a travessa da porta, nas casas em que o comerdes. 8Comereis a carne nessa mesma noite, assada ao fogo, com pães ázimos e ervas amargas. 9Não comereis dele nada cru ou cozido em água, mas assado ao fogo, inteiro, com cabeça, pernas e vísceras. 10Não deixareis nada para o dia seguinte: o que sobrar, devereis queimá-lo ao fogo. 11Assim devereis comê-lo: com os rins cingidos, sandálias nos pés e cajado na mão. E comereis às pressas, pois é a Páscoa, isto é, a passagem do Senhor! 12E naquela noite passarei pela terra do Egito e ferirei na terra do Egito todos os primogênitos, desde os homens até os animais; e infligirei castigos contra todos os deuses do Egito, eu, o Senhor. 13O sangue servirá de sinal nas casas onde estiverdes. Ao ver o sangue, passarei adiante, e não vos atingirá a praga exterminadora quando eu ferir a terra do Egito. 14Este dia será para vós uma festa memorável em honra do Senhor, que haveis de celebrar por todas as gerações”. 

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO: Mt 12,1-8

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

1Naquele tempo, Jesus passou no meio de uma plantação num dia de sábado. Seus discípulos tinham fome e começaram a apanhar espigas para comer. 2Vendo isso, os fariseus disseram-lhe: “Olha, os teus discípulos estão fazendo o que não é permitido fazer em dia de sábado!” 3Jesus respondeu-lhes: “Nunca lestes o que fez Davi quando ele e seus companheiros sentiram fome? 4Como entrou na casa de Deus e todos comeram os pães da oferenda, que nem a ele nem aos seus companheiros era permitido comer, mas unicamente aos sacerdotes? 5Ou nunca lestes na lei que, em dia de sábado, no templo, os sacerdotes violam o sábado sem contrair culpa alguma? 6Ora, eu vos digo, aqui está quem é maior do que o templo. 7Se tivésseis compreendido o que significa: ‘Quero a misericórdia e não o sacrifício’, não teríeis condenado os inocentes. 8De fato, o Filho do homem é senhor do sábado”.                   

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

jul 18

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS INDICADAS PARA HOJE

BÍBLIA - ANTIGO TESTAMENTO

15ª SEMANA DO TEMPO COMUM – QUINTA-FEIRA – 18/07/2019 –

13Nenhuma criatura lhe é invisível. Tudo é nu e descoberto aos olhos daquele a quem havemos de prestar contas.14Temos, portanto, um grande Sumo Sacerdote que penetrou nos céus, Jesus, Filho de Deus. Conservemos firme a nossa fé.15Porque não temos nele um pontífice incapaz de compadecer-se das nossas fraquezas. Ao contrário, passou pelas mesmas provações que nós, com exceção do pecado.16Aproximemo-nos, pois, confiadamente do trono da graça, a fim de alcançar misericórdia e achar a graça de um auxílio oportuno. (Hb 4, 13-16)”

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DO LIVRO DO ÊXODO – (Ex 3,13-20) –

Naqueles dias, ouvindo a voz do Senhor do meio da sarça, 13Moisés disse a Deus: “Sim, eu irei aos filhos de Israel e lhes direi: ‘O Deus de vossos pais enviou-me a vós’. Mas, se eles perguntarem: ‘Qual é o seu nome?’, o que lhes devo responder?” 14Deus disse a Moisés: “Eu sou aquele que sou”. E acrescentou: “Assim responderás aos filhos de Israel: ‘Eu sou enviou-me a vós’”. 15E Deus disse ainda a Moisés: “Assim dirás aos filhos de Israel: ‘O Senhor, o Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó, enviou-me a vós’. Esse é o meu nome para sempre, e assim serei lembrado de geração em geração. 16Vai, reúne os anciãos de Israel e dize-lhes: ‘O Senhor, o Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó, apareceu-me, dizendo: Eu vos visitei e vi tudo o que vos sucede no Egito. 17E decidi tirar-vos da opressão do Egito e conduzir-vos à terra dos cananeus, dos hititas, dos amorreus, dos ferezeus, dos eveus e dos jebuseus, a uma terra onde corre leite e mel’. 18Eles te escutarão e tu, com os anciãos de Israel, irás ao rei do Egito e lhe direis: ‘O Senhor, o Deus dos hebreus, veio ao nosso encontro. E agora temos que ir, a três dias de marcha no deserto, para oferecermos sacrifícios ao Senhor nosso Deus’. 19Eu sei, no entanto, que o rei do Egito não vos deixará partir se não for obrigado por mão forte. 20Por isso, estenderei minha mão e castigarei o Egito com toda sorte de prodígios que vou realizar no meio deles. Depois disso, o rei do Egito vos deixará partir”. 

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO: Mt 11,28-30

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, tomou Jesus a palavra e disse: 28“Vinde a mim, todos vós que estais cansados e fatigados sob o peso dos vossos fardos, e eu vos darei descanso. 29Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração, e vós encontrareis descanso. 30Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”.                   

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

jul 17

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS INDICADAS PARA HOJE

BÍBLIA - ANTIGO TESTAMENTO

15ª SEMANA DO TEMPO COMUM – QUARTA-FEIRA – 17/07/2019 –

13Nenhuma criatura lhe é invisível. Tudo é nu e descoberto aos olhos daquele a quem havemos de prestar contas.14Temos, portanto, um grande Sumo Sacerdote que penetrou nos céus, Jesus, Filho de Deus. Conservemos firme a nossa fé.15Porque não temos nele um pontífice incapaz de compadecer-se das nossas fraquezas. Ao contrário, passou pelas mesmas provações que nós, com exceção do pecado.16Aproximemo-nos, pois, confiadamente do trono da graça, a fim de alcançar misericórdia e achar a graça de um auxílio oportuno. (Hb 4, 13-16)”

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DO LIVRO DO ÊXODO – (Ex 3,1-6.9-12) –

Naqueles dias, 1Moisés apascentava o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote de Madiã. Levou, um dia, o rebanho deserto adentro e chegou ao monte de Deus, o Horeb. 2Apareceu-lhe o anjo do Senhor numa chama de fogo, do meio de uma sarça. Moisés notou que a sarça estava em chamas, mas não se consumia, e disse consigo: 3“Vou aproximar-me desta visão extraordinária, para ver por que a sarça não se consome”. 4O Senhor viu que Moisés se aproximava para observar e chamou-o do meio da sarça, dizendo: “Moisés! Moisés!” Ele respondeu: “Aqui estou”. 5E Deus disse: “Não te aproximes! Tira as sandálias dos pés, porque o lugar onde estás é uma terra santa”. 6E acrescentou: “Eu sou o Deus de teus pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó”. Moisés cobriu o rosto, pois temia olhar para Deus. 9“E agora o clamor dos filhos de Israel chegou até mim, e vi a opressão que os egípcios fazem pesar sobre eles. 10Mas vai, eu te envio ao faraó, para que faças sair do Egito o meu povo, os filhos de Israel”. 11E Moisés disse a Deus: “Quem sou eu para ir ao faraó e fazer sair os filhos de Israel do Egito?” 12Deus lhe disse: “Eu estarei contigo; e este será o sinal de que fui eu que te enviei: quando tiveres tirado do Egito o povo, vós servireis a Deus sobre esta montanha”. 

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO: Mt 11,25-27

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

25Naquele tempo, Jesus pôs-se a dizer: “Eu te louvo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e entendidos e as revelaste aos pequeninos. 26Sim, Pai, porque assim foi do teu agrado. 27Tudo me foi entregue por meu Pai, e ninguém conhece o Filho, senão o Pai, e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar”                   

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

jul 16

LEIA A BÍBLIA TODOS OS DIAS: LEITURAS INDICADAS PARA HOJE

BÍBLIA - ANTIGO TESTAMENTO

15ª SEMANA DO TEMPO COMUM – TERÇA-FEIRA – 16/07/2019 –

13Nenhuma criatura lhe é invisível. Tudo é nu e descoberto aos olhos daquele a quem havemos de prestar contas.14Temos, portanto, um grande Sumo Sacerdote que penetrou nos céus, Jesus, Filho de Deus. Conservemos firme a nossa fé.15Porque não temos nele um pontífice incapaz de compadecer-se das nossas fraquezas. Ao contrário, passou pelas mesmas provações que nós, com exceção do pecado.16Aproximemo-nos, pois, confiadamente do trono da graça, a fim de alcançar misericórdia e achar a graça de um auxílio oportuno. (Hb 4, 13-16)”

PRIMEIRA LEITURA:

LEITURA DA PROFECIA DE ZACARIAS – (Zc 2,14-17) –

4“Rejubila, alegra-te, cidade de Sião, eis que venho para habitar no meio de ti, diz o Senhor. 15Muitas nações se aproximarão do Senhor naquele dia e serão o seu povo. Habitarei no meio de ti, e saberás que o Senhor dos exércitos me enviou a ti. 16O Senhor entrará em posse de Judá, como sua porção na terra santa, e escolherá de novo Jerusalém. 17Emudeça todo mortal diante do Senhor, ele acaba de levantar-se de sua santa habitação”. 

– Palavra do Senhor.     

– Graças a Deus.

EVANGELHO: Mt 12,46-50

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 46enquanto Jesus estava falando às multidões, sua mãe e seus irmãos ficaram do lado de fora, procurando falar com ele. 47Alguém disse a Jesus: “Olha! Tua mãe e teus irmãos estão aí fora e querem falar contigo”. 48Jesus perguntou àquele que tinha falado: “Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?” 49E, estendendo a mão para os discípulos, Jesus disse: “Eis minha mãe e meus irmãos. 50Pois todo aquele que faz a vontade do meu Pai, que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe”.                   

– Palavra da salvação!

– Glória a vós, Senhor.

 

FONTE:   https://www.paulus.com.br/portal/liturgia-diaria/

Posts mais antigos «

Apoio: