Lisaac

Sementes da Palavra, É tempo de semear

«

»

set 06

UMA SIMPLES REFLEXÃO: BRILHAR E LEVAR BRILHO

ALIANÇA

O QUE BRILHA E O QUE O FAZ BRILHAR –

*Por Luiz Antonio de Moura –

Existe um produto leitoso – branco como leite mesmo – que é muito utilizado para a limpeza e para o aperfeiçoamento do brilho de metais finos como o ouro e a prata, denominado “SILVO”. Basta algumas poucas aplicações, seguidas por um polimento caprichado, para que a peça, de ouro ou de prata, por exemplo, brilhe de forma bastante intensa, parecendo saída da vitrine naquele instante. Para quem não conhece, o SILVO pode ser encontrado nas prateleiras dos melhores supermercados.

Pois bem, por que me lembrei deste produto? Porque na vida, também, existem pessoas que não ostentam muito brilho, são até mesmo meio opacas mas, que, uma vez ativadas, são capazes de levar outras pessoas a brilharem de forma intensa, nas mais diversas atividades. Não precisa pensar muito para, logo, logo, descobrir algum exemplo. O diretor de um filme ou de um documentário vem à mente como paradigma mais que apropriado para o caso. Trata-se de pessoa que normalmente, não aparece na trama ou no desenrolar da filmagem, mas, que leva atores e atrizes, já propensos ao brilho, a brilharem de forma ainda mais reluzente.

Assim, quantas coisas que fazemos que, num primeiro momento podem parecer insignificantes, mas, que, mais à frente, podem contribuir para o brilho de alguém. Todas as nossas ações exalam consequências, umas muito boas, outras, nem tanto. Outras, ainda, muito más. Por esta razão, é preciso estar sempre atentos para que, do nosso proceder, luzes sejam acesas e pessoas possam brilhar.

Nunca me esqueço de episódio vivido há muitos anos quando, ainda jovem, fui convidado para trabalhar com um grupo de teatro. Eu, apesar de gostar da arte da representação, nunca demonstrei aptidão para a tarefa. E, já com este entendimento, perguntei a quem me convidou: “o que vou fazer lá, não tenho jeito para ser ator?”. A pessoa, então, me disse de forma clara e simples: “você pode trabalhar abrindo e fechando as cortinas. Do lado direito ou do esquerdo, é só escolher”. Pensei um pouco e, em seguida, aceitei o convite. A peça era encenada nos finais de semana, durante o período da quaresma. Depois da terceira apresentação, eu descobri o quanto o meu trabalho era importante para que todos aqueles atores brilhassem diante do público. Bastava eu abrir ou fechar as cortinas no momento errado, para que tudo ficasse seriamente ofuscado. Descobri, ali, que meu trabalho, também, levava brilho ao trabalho dos demais.

Hoje, de forma absolutamente anônima para muita gente, eu escrevo textos e publico no site e, como parece óbvio, procuro acompanhar as estatísticas para ver quantas pessoas acessaram e leram os textos e, em muitos casos, percebo que um número bem grande de pessoas leu. N’outras oportunidades, recebo comentários no próprio site, agradecendo o texto, afirmando ter sido útil desta ou daquela forma. Enfim, ainda que absolutamente desconhecido da maioria dos leitores consigo, através da escrita, levar um pouco de brilho para pessoas que, certamente, eu jamais conhecerei pessoalmente. Não sou colunista do jornal mais famoso ou da revista da hora. Não sou o âncora do jornal da noite da TV mais assistida. Sou apenas um anônimo.

Tenho convicção de que, quem inventou o SILVO, no primeiro momento, não imaginou a incalculável quantidade de metais finos que, uma vez submetidos ao produto, ganhariam o brilho excepcional que ganham depois da aplicação, aumentando de forma exponencial a beleza natural de tais peças.

Desta forma, o trabalho realizado com dedicação e com amor, ainda que não apareça nos relatórios mensais ou anuais da empresa, nas primeiras páginas dos jornais, nas capas das revistas mais renomadas ou nas telas das TVs mais assistidas, tem o poder de levar muito brilho para a vida e para a atuação de muitas pessoas. Os exemplos pululam em nossas mentes!

Quem nunca se deu ao trabalho de parar diante de um jardim para admirar o planificado aparo da grama, os contornos dos canteiros de flores e a poda das árvores? Trabalho realizado com carinho, dedicação e sutileza por alguém que, em muitos casos, nem conseguimos ver porque, quando chegamos, o trabalho já estava pronto desde ontem! Olha o brilho que um simples e competente jardineiro é capaz de proporcionar em poucos metros quadrados de terra plantada!

Precisamos ter consciência disto, para que executemos todas as tarefas colocadas sob nossos cuidados, com extrema dedicação, carinho e amor porque, certamente, assim, estaremos levando muito brilho para a vida de pessoas, de animais, de lugares e, enfim, de toda a Criação.

Tudo isto é benção de Deus. São graças recebidas e muitas vezes rejeitadas ou mal administradas, simplesmente porque o anonimato parece ofuscar a obra realizada. Ledo engano! Tudo o que produzimos com dedicação, carinho, atenção e amor, contribui para o crescimento e para o brilho de outros seres. Ninguém é capaz de executar tão bem a tarefa que nós executamos movidos por estes nobres sentimentos e, também, ninguém é capaz de levar tanto brilho a todos os que estão a depender daquilo que nós executamos.

Reflita sobre isto. Reflita sobre tudo o que você faz e veja se faz para brilhar ou para proporcionar o brilho. Que papel você exerce: o do ouro opaco ou o do SILVO que o faz brilhar intensamente depois de aplicado? Seja feliz, e boa sorte!

_______________________________________________

*Luiz Antonio de Moura é um pensador espiritualista, um caminhante e um cultor do silêncio.

 

2 comentários

  1. Maria José Leão Salvini

    Formidável Luiz! E que forças nos trazem essas palavras!

    1. lisaac

      Agradeço pela mensagem. Este é o plano. Levar mais brilho para todas as pessoas. Grande abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Apoio: